refinanciamento-de-imóvel

Financiamento de imóvel e de veículo quase todo mundo conhece. É quando você pega dinheiro emprestado para comprar carro, moto, casa ou apê. Mas e o refinanciamento desses bens, você sabe direitinho como ele funciona? Aprenda!

Fazer a reforma do cafofo, sair das dívidas, levar as crianças para conhecer a Disney… Todo mundo tem um sonho que deseja muito colocar em prática. Quando a grana está curta para que ele vire realidade, um empréstimo pode ser a solução para deixar as contas em dia, se programar e, finalmente, tirar os planos do papel! (Ou, pelo menos, sair do sufoco).

Além do crédito pessoal — que é superprático e não pede nada em garantia —, quem está na busca por um empréstimo pode contar com várias outras opções, entre elas o refinanciamento de imóvel ou de veículo. Disponível somente para quem tem esses bens quitados (ou prestes a serem quitados) no próprio nome, elas têm como vantagem a liberação de créditos mais altos, por taxas de juros menores e, muitas vezes, com mais prazo para pagar.

Parece vantajoso, não é mesmo? E, de fato, ele pode ser! Mas, para isso, é preciso saber tim-tim por tim-tim como o empréstimo com garantia funciona, para quem ele costuma ser liberado e em quais situações ele é mais indicado.

O que é refinanciamento de imóvel ou de veículo?

O termo pode até soar estranho, mas, na prática, o refinanciamento é simples de entender. Funciona assim: ao pedir esse tipo de empréstimo, em vez de dar somente sua palavra na assinatura do contrato, você deixa um imóvel ou veículo como garantia de pagamento. Por isso mesmo, outro nome para o refinanciamento é empréstimo com garantia.

A partir da assinatura do contrato, seu bem fica em nome do banco ou instituição financeira com quem você pegou o crédito. Mas calma! Só temporariamente, até que você quite o valor do empréstimo. Até lá, pode continuar na sua casa e usar seu carro normalmente. Só tome cuidado para não atrasar e fazer em dia o pagamento das parcelas.

Por que o empréstimo com garantia costuma ser vantajoso?

Imagine que, num belo dia, um conhecido chega para você e pede um valor emprestado. Vocês se conhecem há algum tempo, e ele nunca deu motivos para desconfiar dele, mesmo assim, sempre bate o medo de sofrer calote, não é mesmo?

Agora, imagine que esse mesmo conhecido pede dinheiro emprestado, mas, em vez de só prometer pagar em dia, ele deixa algo de valor financeiro ou afetivo nas suas mãos. Você pode até achar exagero e não aceitar. Mas é provável que fique muito mais confiante em emprestar a grana, certo? Com os bancos e instituições financeiras é a mesma coisa!

Embora sempre façam uma análise de crédito antes de emprestar qualquer quantia, quanto mais certeza essas empresas têm de que você fará o pagamento em dia, mais dinheiro elas estão dispostas a emprestar. Além disso, menos inclinadas elas ficam a cobrar juros altos para cobrir possíveis calotes dos clientes.

Por isso mesmo, enquanto no empréstimo pessoal os juros costumam ficar em torno de 6%, no refinanciamento, eles começam a partir de 1,14% ao mês. Ah! E os valores emprestados costumam ser mais altos: dá para conseguir até 70% do valor do veículo e até 60% do preço de mercado do imóvel.

Quem pode pedir o refinanciamento de imóvel ou de veículo?

 

O primeiro pré-requisito para aproveitar esse tipo de crédito é ter um imóvel ou veículo quitado em seu nome. Mas engana-se quem pensa que, no caso do imóvel, só são aceitas casas ou apartamentos residenciais. A seguir, confira quais propriedades podem ir para o contrato:

  • Imóveis residenciais
  • Salas e prédios comerciais
  • Terreno em área urbana, desde que dentro de condomínio residencial

É importante destacar que, para ser usado como garantia, o imóvel deve estar com todas as documentações em dia, incluindo IPTU e condomínio. O mesmo vale para o refinanciamento de veículo! Desde que esteja quitado (ou quase quitado) em seu nome, ele pode ser de uso pessoal ou da empresa, e o ideal é que esteja sem multas e com o IPVA pago.

Lembrando que, mesmo tendo algo como garantia, o banco ou instituição financeira ainda fará uma análise de crédito, mas quem está negativado também tem chance de ser aprovado.

Para quem e em quais situações o empréstimo com garantia é recomendado?

Uma das maiores vantagens do refinanciamento é que, com ele, você não precisa dar satisfação do que pretende fazer com o dinheiro, diferente do financiamento de veículo, por exemplo, que só pode ser usado na compra de carro, moto, etc.

Por liberar um valor alto a juros amigáveis, o empréstimo com garantia de imóvel pode ser uma boa para investir em projetos grandes. É o caso, por exemplo, de quem quer começar um novo negócio ou sonha em reformar a casa. Já o refinanciamento de veículo costuma ser uma saída e tanto para conseguir um dinheirinho a juros baixos e pagar as dívidas.

Independente do que decidir fazer, o fato é: empréstimo com garantia só vale a pena para quem tem certeza de que vai conseguir honrar as parcelas em dia. Isso porque, a partir de 3 parcelas atrasadas, o banco ou instituição financeira já pode iniciar o processo para tomar o bem de você. Então, muito cuidado! Antes de assinar contrato, compare as ofertas na FinanZero e só assine aquela que cabe direitinho no seu bolso.