Tag: agiota

Agiota: o que é?

Em resumo, agiota é uma pessoa física que, sem aval do Banco Central, oferece empréstimo para outras pessoas físicas.

Por não ter autorização para operar, essa atividade é ilegal.

De acordo com a Lei nº 1521/51, ser agiota é crime contra a economia popular. Por isso mesmo, é arriscado pegar empréstimo com esse perfil.

Como empréstimo com agiota pode ser ruim para mim?

Por não ter aval do BaCen, não tem regulação, em resumo. Por isso, você fica à mercê das cláusulas impostas pelo agiota, sem ter a lei para te defender.

Estudos, por exemplo, apontam que agiotas cobram 40% mais taxas que bancos ou fintechs, já que podem embutir no empréstimo valores como:

  • taxa de avalista;
  • aumento de score;
  • abertura de contrato; e
  • seguros.

Além disso, um agiota pode cobrar valores adiantados. Isso, no entanto, é ilegal conforme a legislação do Brasil.

Mais uma vez, bancos ou fintechs não cobram esses valores, já que o Banco Central dita valores máximos e quais taxas eles podem cobrar.

E dita, também, que a cobrança de parcelas antecipadas é crime!

Saiba mais dos tipos de ações ilegais que os agiotas podem vir a cometer:

Juros abusivos

Os agiotas se aproveitam do desespero do momento difícil no qual os seus “clientes” o procuram. Assim, aceitam emprestar o dinheiro, porém com taxas de juros altíssimas.

De acordo com o BaCen, as taxas de juros mensais mais altas cobradas por instituições financeiras regulamentadas são de 25%.

Mas, com um agiota, as taxas podem chegar a até 40% ao mês, o que dificulta ainda mais a saída das dívidas da pessoa que pediu o empréstimo.

Eles cobram garantias

Assim como os bancos e as financeiras, os agiotas também correm risco de inadimplência: o risco do cliente do empréstimo não quitar sua dívida. Para diminuir esse risco, os agiotas pedem garantias de crédito.

Tais garantias podem ser joias, veículos, dentre outros bens. Em geral, o valor supera – e muito – a quantia emprestada. Não há garantias para o cliente que pegou o empréstimo de que o agiota devolverá a garantia, mesmo com a quitação da dívida.

Não existe fiscalização

Por atuarem de forma ilegal, os agiotas não estão abaixo de nenhum órgão de fiscalização. Isso significa que, em caso de problemas, não é possível recorrer ao Procon ou ao Banco Central, por exemplo.

Integridade física em risco

Quando uma pessoa deve para uma financeira, o máximo que pode acontecer é a pessoa ficar com o nome sujo e ter que lidar com as ligações de cobrança.

Mas, quando não há lei regendo o empréstimo, os riscos são bem maiores. A fim de receber a grana, muitos agiotas recorrem a ameaças e agressões, que podem se estender aos familiares da vítima.