Levantamento com consumidores de classes C e D prevê melhoras para Black Friday

De acordo com pesquisa da Superdigital, fintech do Grupo Santander, a Black Friday deve apresentar um melhor resultado neste ano, quando comparado com o período de 2019. Isso porque 82% dos consumidores das classes C e D pretendem aproveitar as promoções dessa época.

Por isso, o número é 14 pontos percentuais maior comparado com o registrado no ano passado, quando apenas 68% dos consumidores dessas classes pretendiam fazer compras na Black Friday.

Além disso, quando questionados sobre quais valores estão dispostos a gastar em 2020 durante a Black Friday, 38% dos participantes responderam que pretendem desembolsar mais de R$ 1 mil.

Importante ressaltar que o levantamento foi feito com 1.339 pessoas entre os dias 4 e 8 de novembro, em todas as regiões do país.

Veja mais – Simule seu empréstimo e encontre as melhores taxas de juros do mercado!

Qual a pretensão de gastos na Black Friday?

Uma das perguntas do levantamento foi sobre quais valores os consumidores estão dispostas a gastar neste ano. Por isso, as respostas foram as seguintes:

  • 38% dos participantes relataram que pretendem gastar R$ 1 mil;
  • já 29% disseram que devem gastar entre R$ 500 e R$ 1 mil;
  • 22% apontaram valores entre R$ 200 e R$ 500,
  • por fim, 11% dos participantes afirmaram que devem limitar as compras em até R$ 200.

Itens mais desejados

Assim como outras pesquisas, o levantamento da Superdigital apontou que entre os itens mais desejados da Black Friday 2020 estão as televisões e eletrodomésticos, com 35% das intenções de compras. Além disso:

  • 25% dos entrevistados pretendem comprar aparelhos celulares;
  • 16% pretende comprar acessórios e itens de vestuário;
  • 2% viagens,
  • por fim, 22% relatou que devem comprar outras coisas.

Leia também – Black Friday: Mercado Pago libera ofertas para empreendedores

Compras na internet ganham destaque

De acordo com a pesquisa as compras na internet são preferência para quase metade dos entrevistados. Isso porque de acordo com os participantes?

  • 49% pretende fazer comprar em e-commerce;
  • 51% das pessoas responderam que pretendem fazer as compras em lojas físicas.

Além disso, o cartão de crédito está entre os mais usados na hora do pagamento. Isso porque 35% dos entrevistados pretendem utilizar o cartão de crédito para comprar na Black Friday:

  • 33% devem parcelar;
  • 29% deve pagar à vista;
  • enquanto apenas 3% no cartão de débito.

Comparando preços

Por fim, a pesquisa indicou que boa parte dos entrevistados das classes C e D estão pesquisando os preços dos produtos que querem comprar na Black Friday, totalizando 83%.

Além disso, é importante frisar que essa é uma etapa muito importante na hora de fazer compras, principalmente durante essa época do ano. Isso porque muitos comércios acabam aumentando o preço ao longo dos meses e depois diminuindo durante este período. A chamada Black Fraude

Glossário: O que é Black Fraude?
No Brasil, a Black Friday ficou popularmente conhecida como Black Fraude. Isso porque, muitos comerciantes acabam aumentando o preço dos produtos ao longo das semanas para quando chegar na última sexta de novembro abaixarem novamente alegando terem dado grandes descontos.

Pensando nisso, o Procon-SP elencou uma série de dicas para os brasileiros não caírem em falsas promoções.

Saiba mais em – Black Friday: Procon elabora dicas para consumidor não cair em golpes

Ficou com mais alguma dúvida sobre os levantamentos para Black Friday? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.