Já definiu as metas financeiras para 2021? Não sabe como começar? Respira que vamos explicar

2021 acabou de iniciar, e como é de costume a vontade de fazer as coisas serem diferentes acaba passando pela cabeça de muitos brasileiros. Principalmente quando o assunto é a vida financeira.

Todo final de dezembro centenas de milhares de pessoas apostam na Mega da Virada, um jogo especial de loteria que acaba deixando alguns sortudos milionários. O problema é que nem todo mundo conquista o prêmio de milhões e, com isso, precisa recorrer a outras estratégias para ficar bem financeiramente.

Desse modo, algo estritamente necessário para quem quer organizar-se economicamente é ter em mãos as próprias metas financeiras.

E isso é bem mais fácil do que parece, pois são elas as responsáveis pelo direcionamento dos gastos durante todo o ano.

Bom, para desmistificar esse assunto, pedimos os conselhos de alguém que sempre sabe como economizar no nosso time, a estagiária de Marketing Joyce Cardoso.

Vem ver as dicas ela deu para gente 🙂

Veja também – Empréstimo para investir: vale a pena? FinanZero responde

Como você estipula as suas metas financeiras?

“Então, antes de definir eu penso em como foi o ano anterior. Paro para observar tudo o que eu gastei. Dessa forma, consigo refletir se preciso mesmo de tudo o que comprei.

Por exemplo: se gastei demais com doces (que devo dizer: é um ponto fraco meu), e isso acarretou em um alto valor, eu entendo que neste ano é melhor me policiar para que isso não aconteça mais.

Claro que há gastos que são impossíveis de evitar, e acabam acontecendo, porém muitos podem ser cortados.

Tudo o que eu compro eu anoto

Isso facilita muito no final do mês! Assim, eu sei como o meu dinheiro foi consumido. Desse modo, dá para ir aos poucos se podando. Eu mesma gasto muito com prazeres imediatos, em momentos de ansiedade, como doce ou livros, por exemplo. Por isso, defino um valor máximo que posso gastar com isso e tento não exceder.

Nesse caso, ferramentas de organização podem ajudar muito no controle. Durante 2020, por exemplo, eu usei um planner físico e meu celular para me ajudar nisso.

Mas percebi que algumas coisas acabaram meio confusas e defini que, para 2021, quero usar apenas uma planilha no Excel como ferramenta de organização financeira.

Assim, acredito que é importante testar todas as possibilidades e ver qual é a melhor para você, cada pessoa tem a sua realidade. Inclusive, uma meta pode ser diferente para cada um.

Peça uma cotação grátis e receba ofertas de empréstimo pessoal de até 10 parceiros FinanZero!

Eu defino as minhas metas em pequenos objetivos ao longo do ano

Penso na meta como um todo e fragmento no máximo possível. Assim, fica mais fácil de economizar meu dinheiro para comprar algo que eu queira, por exemplo.

Por isso, logo no começo do ano eu estipulo tudo o que desejo e vou elaborando meios para ir me organizando durante o passar dos meses para atingir determinado objetivo.

Uma das metas desse ano é criar um fundo de emergência

Infelizmente, eu ainda não crio um fundo de emergência, e isso tem muita ligação com a minha forma de viver. Já que hoje eu ainda moro com meus pais e não sou a provedora principal da minha casa.

Só que isso não é desculpa, né? Eu mantenho meu dinheiro guardado apenas na conta-corrente, e aí, não rende nada! Por isso, defini que este ano vou tentar investir pelo menos uma parte!

Metas financeiras são importantes para entender em que situação você está e aonde quer chegar

Em geral, se planejar é a parte fácil, por em prática que é complicado.

Por exemplo, antes da pandemia, eu tinha dificuldade em economizar na hora de comer. Isso porque tinha o costume de passar o dia inteiro fora de casa. Vou para o trabalho de manhã, e não levo marmita, depois tenho faculdade à noite.

O que acarreta em gastos com comida (e besteiras). Apesar de ser algo essencial, também pode ser muito caro. Pensando que eu estudo na Avenida Paulista e acabava, quase sempre, recorrendo ao Shopping para me alimentar. Aos poucos, o gasto mensal com isso começou a ficar elevado.

Então, eu e meus amigos definimos um sistema. Comer em lugares mais baratos, às vezes comprar no mercado mesmo algumas vezes, durante toda a semana. E, se a vontade de comer algo mais saboroso batesse, a gente reservava para gastar um pouco a mais apenas em um dia específico da semana.

Apesar de simples essa atitude, acabou funcionando para evitar gastos. É preciso parar para analisar o que pode ser cortado e aos poucos deixar de lado a nossa necessidade de consumir sem motivo. Para você conseguir colocar isso em prática vou dar algumas dicas que me ajudaram.

1º Como tá a sua vida financeira?

Vamos fazer um levantamento?

Antes de planejar o que você quer e estipular as metas é preciso entender como estão as dívidas, o que tem que ser pago todo mês e o que está sendo gasto a mais sem motivo.

Muitas vezes as pessoas nem percebem, mas acabam gastando grande parte do salário em Uber ou comida por encomenda, por exemplo.

Para ter uma melhor estabilidade financeira, e conseguir visualizar o que está sendo gasto, nada melhor do que uma planilha.

Coloque nela todos os gastos mensais, os que são necessários e os que são supérfluos (confira se são realmente importantes pra você e se cabem no seu bolso).

2º Ache o melhor método de organização financeira para você

Fez um check-up da sua sua financeira? Bom, agora é hora de pensar como fazer o planejamento.

Cada pessoa opta por uma forma de construir suas metas financeiras. Meu pai, por exemplo, usa uma planilha mais complexa com gastos da casa em que ele atualiza a cada valor que entra e saí e tem percentuais de gastos estipulados para cada situação.

Esse método não funciona pra mim. Isso porque não tenho tantos gastos fixos, por isso, prefiro uma tabela mais simples. Por isso, eu sempre digo que é importante testar e descobrir o que funciona melhor pra você.

Além disso, eu gosto do método SMART para me organizar: uma ferramenta que ajuda empresas e pessoas na definição de metas, estabelecendo critérios que irão orientar para que eles sejam o mais objetivos possível, facilitando seu alcance.

Nesse sentido, o nome SMART é um acrônimo que traz os principais critérios que devem ser levados em conta na definição das metas. São eles:

  • Específico: parte de definir o máximo de informações possíveis sobre a minha meta;
  • Mensurável: entender como mensurar as minhas metas e saber que é importante que isso seja possível;
  • Atingível: uma meta é algo que você consegue atingir!

3º Não deixe as metas paradas

Depois de passar por todo o planejamento financeiro e encontrar a forma certa de se organizar. Não dá para deixar o planejamento ir por água abaixo.

Não adianta propor metas em janeiro e não correr atrás durante o ano, é importante sempre atualizar elas, buscar novos objetivos para torná-las possíveis!

Além disso, elas nem sempre precisam ser as mesmas. É possível que as metas financeiras de uma pessoa mude ou se transforme durante os meses, e aí é só começar um novo planejamento, seja qual for o mês do ano.

Mas o importante é você sentir o progresso e correr atrás do que quer!”

Por fim, ficou com mais alguma dúvida sobre metas financeiras? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.