Trocar o banco credor no empréstimo consignado pode ser uma vantagem para conseguir juros mais baixos

A portabilidade de empréstimo consignado é uma transferência das operações de crédito de um banco para o outro. Isso pode acontecer principalmente por existir oportunidades melhores de juros em outras financeiras.

No entanto, é importante ressaltar que o valor da dívida não é alterado. Isso porque o cliente vai transferir o débito de uma instituição para outra. Por isso, o que realmente pode mudar é a taxa de juros.

O Governo Federal autorizou a iniciativa em 2013, por meio das regras de crédito do Conselho Monetário Nacional. O objetivo é estimular a concorrência entre as instituições financeiras e diminuir os juros para os clientes.

Veja mais – Simule seu empréstimo e encontre as melhores taxas de juros do mercado!

Como funciona a portabilidade de empréstimo consignado?

O primeiro passo é pedir para o banco, no qual você solicitou o empréstimo consignado, o valor do saldo devedor para que sua dívida seja quitada. Nesse valor é descartado os juros ainda não pagos. Além disso, é importante saber:

  • número do contrato;
  • taxa de juros – nominal e efetiva;
  • prazo total de pagamento;
  • modalidade;
  • data do último vencimento;
  • valor de cada prestação.

Depois disso, o cliente deve ir até o banco escolhido, que lhe parece mais vantajoso, para fazer a portabilidade. Por fim, é feito um novo contrato com o segundo banco, sob novas condições. Entretanto, é importante ressaltar que no novo empréstimo somente a taxa de juros pode ser alterada.

Mas, para isso, o segundo banco, precisa quitar a dívida com o primeiro e assumir o empréstimo.

Além disso, no caso de empréstimo consignado é necessário que a empresa em que você trabalha ou o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), no caso de aposentados, tenha convênio com o banco escolhido.

Leia também – Últimas notícias do empréstimo consignado

Como saber se a portabilidade vale a pena?

Para saber se a portabilidade vale a pena é necessário checar qual o Custo Efetivo Total (CET) do novo banco e do atual.

Glossário: o que é CET?
O Custo Efetivo Total contém todos os encargos, tributos, taxas e despesas de um empréstimo.

Além disso, é importante verificar o valor de cada parcela comparado ao que o cliente já está pagando.

O banco pode oferecer uma contraproposta?

Sim. Caso a instituição financeira ache interessante, ela pode oferecer uma nova proposta para o cliente. Por isso, vai ficar a critério do cliente se ele aceita a nova oferta do banco ou se faz a portabilidade para um novo.

Quais documentos são necessários?

Na portabilidade do empréstimo consignado é importante ter em mãos:

  • número do RG;
  • número do CPF;
  • comprovante de residência;
  • extrato do salário ou do benefício do INSS;
  • número do contrato a ser migrado.
  • instituição financeira do seu contrato;
  • quantidade de prestações que ainda restam;
  • saldo devedor de cada operação.

Veja também – Simples Nacional: como funciona o reparcelamento de débitos?

Só posso fazer portabilidade do empréstimo consignado?

Não. É permitido a portabilidade para outras linhas de crédito para pessoas físicas, como:

Além disso, qualquer cliente pessoa física com contrato dessas operações citadas acima em instituições financeiras do Sistema Financeiro Nacional (SFN) podem fazer a portabilidade de crédito.

Ficou com mais alguma dúvida sobre portabilidade de empréstimo consignado? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.