Ter seguro de carro não é algo obrigatório, mas pode ser importante para alguns brasileiros

O seguro de carros pode ajudar o brasileiro em momentos de acidentes ou roubos. Isso porque ele é um contrato entre o proprietário do veículo e uma seguradora, por isso, o titular paga uma taxa para que possa ser ressarcido em caso de prejuízos.

No entanto, o contrato do seguro pode variar dependendo de qual seguradora foi escolhida e qual o perfil do condutor do veículo. Por isso, no documento fica estabelecido:

  • a vigência do seguro;
  • o valor do seguro;
  • e quais situações o seguro cobre.

Veja também – Faça uma cotação e receba ofertas pré-aprovadas com o simulador de empréstimo pessoal!

O que é a franquia de um seguro?

A franquia do seguro é a participação do cliente na reparação do veículo. Isto é, o valor que a pessoa precisa pagar quando aciona o seguro em casos de perdas parciais.

Por isso, quando o cliente aciona o seguro, a empresa não indeniza nos casos em que os prejuízos são menores que o valor da franquia. Mas, quando a quantia paga for maior, a seguradora cobre a diferença.

Por exemplo: digamos que a pessoa bateu o carro e o conserto fique em R$ 4.000 e a franquia dela é de R$ 1.500. Nesse caso, o segurado paga a franquia e a seguradora arca com o restante, isto é, com R$ 2.500.

No entanto, é importante lembrar que nem sempre acionar o seguro e pagar a franquia é vantajoso. Isso porque pode acontecer de o valor do prejuízo ser menor que a quantia cobrada pela franquia.

Por exemplo: se o valor do conserto ficou em R$ 1.000 e a franquia dela é de R$ 1.500, não vale a pena. Isso porque ao acionar o seguro seria necessário pagar a franquia – R$ 500 a mais do que o conserto – e a seguradora não arcaria com nada, por conta da quantia não exceder o valor da franquia.

Por isso, nesse último caso, para o cliente é melhor pagar o conserto diretamente do que acionar o seguro de carros.

O que o seguro de carros cobre?

Essa resposta pode variar entre as pessoas que têm seguro. Isso porque o seguro de carros pode cobrir diferentes situações e isso vai depender do que o brasileiro solicitou no contrato com a seguradora.

Por isso, a seguradora só vai cobrir aquelas situações que foram acordadas entre a empresa e o titular. Por conta disso, casos que não estão previstos em contrato deverão ser pagos por fora.

No entanto, a maioria dos seguros de carros oferece cobertura para:

  • roubos e furtos;
  • incêndio;
  • colisões.

Qual valor de um seguro?

O valor do seguro de carros pode variar dependendo de qual seguradora está oferecendo o serviço e de qual o perfil do solicitante. Isso porque normalmente as seguradoras consideram os seguintes itens para determinar o valor do serviço:

  • gênero;
  • idade do titular;
  • tempo de habilitação;
  • custo de manutenção e reparabilidade do veículo;
  • índice de roubos na região do segurado;
  • modelo e ano do veículo.

Por isso, em resumo, a lógica é: quem aparenta ter mais riscos acaba pagando mais caro pelo serviço do seguro de carros. E é por isso que as seguradoras pedem para que os clientes preencham uma série de informações e questionários mais longos.

Além disso, não existe uma tabela de valores para cada modelo de carro. Por isso, esse valor pode variar entre as seguradoras.

Leia também – Nubank Vida: o que é e como funciona?

Como eu aciono o seguro do meu carro?

Normalmente, as seguradoras oferecem uma central de atendimento que pode ser acionada a qualquer momento do dia. No entanto, isso não é uma regra, por isso, é importante perguntar para a seguradora como funciona o sistema deles.

Além disso, em alguns casos, como batidas, é importante que as pessoas envolvidas no acidente façam um boletim de ocorrência, além de acionar a seguradora. Isso porque esse documento pode servir como prova do que ocorreu.

O que é Seguro DPVAT?

O Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, também conhecido como Seguro DPVAT, foi criado em 1974 e é obrigatório. O objetivo do programa é indenizar as vítimas de acidentes de trânsito em todo o território nacional – seja motorista, passageiro ou pedestre.

Por isso, o DPVAT é pago uma vez ao ano, com a cota única ou da primeira parcela do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).

Saiba mais em – O que é seguro DPVAT?

Glossário sobre termos de seguro de carro

Alguns termos aparecem várias vezes quando falamos de seguro de carro. Por isso, separamos algumas principais definições:

O que apólice?

Muitas pessoas acreditam que apólice é a mesma coisa que contrato e proposta. No entanto, existem diferenças.

No caso, a apólice tem como objetivo ter os principais tópicos cobertos pelo contrato. Já o contrato formaliza as obrigações das duas partes e a proposta é o primeiro passo onde se estabelecesse as condições e propostas para o seguro.

O que é cobertura de casco?

Falar sobre “casco” em seguro de carro significa o veículo na totalidade, isto é desde a lataria até a parte mecânica e elétrica, tudo que compõe o veículo. Por isso, a cobertura de casco significa a garantia de danos ao veículo de forma geral.

O que é franquia?

Como dito anteriormente, a franquia é a parte da indenização que fica por parte do segurado.

O que é sinistro?

O sinistro é o acontecimento de um risco que estava previsto no contrato de seguro. Por isso, o veículo sinistrado é aquele que sofreu algum dano estrutural e que pode ser recuperado.

Ficou com mais alguma dúvida sobre o seguro para carros? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.