Descubra quando vale a pena pedir um empréstimo para pagar dívidas e quais são as melhores modalidades de crédito para fazer isso.

É fácil entender as razões que levam alguém a buscar um empréstimo para pagar as dívidas. As infinitas ligações de cobrança recebidas ao longo do dia são uma delas.

Além disso, também é preciso lidar com a dificuldade de contratar certos serviços por estar negativado. Sem contar aquela sensação de sufoco a cada vez que o carteiro chega com uma nova conta…

De fato, conseguir um empréstimo para pagar dívidas pode ser uma mão na roda para limpar seu nome, reduzir taxas de juros e reorganizar as finanças.

Mas, para isso, é essencial se planejar (link blog), pesquisar bastante e tomar muito cuidado para não cair no conto do vigário do crédito fácil. Veja algumas dicas para se dar bem!

Afinal, quando vale a pena pegar um empréstimo para pagar dívidas?

Está endividado e negativado há algum tempo? Nesse caso, você com certeza já foi aconselhado a buscar um empréstimo para pagar dívidas. Mas, antes de correr para um banco ou financeira, não custa nada saber mais sobre o assunto e identificar se essa opção é mesmo para você. Para te ajudar, a seguir, listamos 3 situações em que conseguir o crédito é vantajoso.

Quando você já estudou a fundo suas finanças

Nem cogite conseguir um empréstimo sem passar por esta etapa! Se seu orçamento foi pelo ralo é porque houve algum desequilíbrio entre receitas e despesas.

Sendo assim, para não se enrolar ainda mais com as contas, você deve saber exatamente como anda gastando seu dindin. Caso contrário, não há como saber qual pode ser o valor máximo das parcelas do empréstimo que você dá conta de pagar.

Nesse sentido, um dos principais métodos para ter uma ideia geral das finanças é a planilha de controle de gastos. Em um arquivo do Excel, coloque todas as suas receitas (ganhos) e todas as suas despesas, incluindo fixos e variáveis.

O bom é que, ao fazer isso, dá para identificar onde é possível economizar e para onde está indo o seu dinheiro. Depois, subtraia as despesas da receita total e veja quanto sobra. O valor das parcelas deve sempre equivalente a até 30% deste montante!

Veja também – Faça a simulação do seu crédito pessoal com segurança na FinanZero!

Quando os juros do empréstimo são menores que os da dívida já feita

Um dos motivos porque a sugestão de conseguir um empréstimo para pagar dívidas é tão popular é o seguinte: no Brasil, é grande o número de endividados no cartão de crédito e no cheque especial.

Como essas duas modalidades de crédito trabalham com as taxas de juros mais altas do mercado, sai mais em conta fazer a troca dessas dívidas por um empréstimo pessoal.

Não está 100% seguro de que a informação procede? Aqui vai um exemplo baseado em fatos reais: em março deste ano, a taxa média do cheque especial fechou em cerca de 358% ao ano.

Enquanto isso, a taxa média do empréstimo pessoal ficou em aproximadamente 108% ao ano, uma porcentagem mais de três vezes menor!

Embora os juros rotativos do cartão e os juros do cheque especial sejam os exemplos mais famosos, a dica vale para todas as suas dívidas. Informe-se sobre o Custo Efetivo Total de cada uma. As taxas são maiores que as da oferta de crédito? Então vale a pena pegar um empréstimo!

Quando você precisa deixar seu nome limpo

O fato de você estar com o nome sujo dificulta o acesso a diversas oportunidades e serviços. Em alguns casos, fica complicado até mesmo fazer ou renovar um contrato de aluguel.

Ao contrário do que muita gente acredita, os empréstimos não constam como dívida. Ou, pelo menos, não quando você se compromete e faz o pagamento das parcelas em dia.

Portanto, se você está em uma situação em que a restrição no CPF está te trazendo muitos prejuízos. Usar um empréstimo para pagar dívidas e limpar seu nome pode ser uma boa saída.

Quais são as melhores linhas de crédito para pagar dívidas?

O consumidor que planeja usar um empréstimo para pagar dívidas têm algumas possibilidades. Começando pela mais famosa, o crédito pessoal pode ser aprovado para quem está negativado.

Pois, não exige nenhuma garantia e, de lambuja, ainda tem a vantagem de ser pouco burocrático. Sendo aprovado de maneira mais rápida. Depois de aprovado e contratado, o dinheiro cai rapidinho na sua conta.

Outras opções menos procuradas e conhecidas são o refinanciamento de imóvel ou de veículo. Também chamada de empréstimo com garantia. Essa modalidade de crédito trabalha com taxas de juros ainda menores do que as do crédito pessoal.

Afinal, você deixa um bem como garantia para a instituição financeira. Que entende que as chances de inadimplência são mais baixas. Por outro lado, esta linha de crédito leva mais tempo para ser aprovar os pedidos.

Pois, a instituição precisa avaliar o bem. Ah, e não se esqueça de que é imprescindível ter um veículo ou imóvel quitado em seu nome para solicitar um refinanciamento.

Falando assim, o refinanciamento pode parecer bem mais vantajoso. E é verdade para quem tem essa possibilidade e precisa de quantias maiores. Contudo, em verdade, qualquer empréstimo com taxas menores que as de sua dívida atual já ajuda a diminuir o prejuízo. E a colocar as finanças em ordem.

Atenção às fraudes do empréstimo!

Cuidado para não cair em um golpe!

A informação de que um empréstimo pode ser a solução para sair das dívidas é conhecida também por pessoas mal-intencionadas. Sabendo se tratar de um momento de vulnerabilidade, como resultado, muitas empresas fraudulentas anunciam crédito fácil para negativados.

Por isso, tenha muito cuidado com ofertas imperdíveis e jamais faça depósitos antecipados para a liberar o crédito! Mesmo que a oferta de um empréstimo para dívidas pareça extremamente tentadora, sempre pesquise antes de aceitar.

Ficou com mais alguma dúvida sobre empréstimo para pagar dívidas? Deixe nos comentários, e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.