De acordo com dados divulgados para as prestações de contas parciais das eleições. Pouco mais de 50 mil concorrentes receberam de seus partidos verbas para bancar as campanhas eleitorais esse ano

Há apenas três semanas para o primeiro turno das eleições municipais de todos os cantos do Brasil. Que está marcada para o dia 15 de novembro. Os fundos eleitoral e partidário têm sido direcionados até agora, em sua maior parte, para apenas uma pequena parcela dos cerca de 550 mil candidatos a prefeito e vereador, apenas 0,8% do total.

Isso, segundo dados das prestações de contas parciais das eleições, divulgados neste domingo

80% do valor total liberado. Isso significa que R$ 646 milhões de R$ 807 milhões. Dessa forma, foram para cerca de 4.600 candidatos, o que representa 0,8% do total.

O campeão de recebimento de recursos até o momento é o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB); O que tenta reeleição, com R$ 7,8 milhões declarados.

Eleições 2020: o que é Fundo Eleitoral?

Desse montante, R$ 5 milhões foram alocados pelo próprio PSDB. O restante foi de legendas aliadas do PSDB. Como o Podemos, que deu R$ 2 milhões, e o MDB, com R$ 700 mil, além do PP, com R$ 117 mil.

Gastos

Logo atrás, no ranking nacional, aparece o candidato à Prefeitura de Salvador, Bruno Reis.

  • Ele recebeu R$ 7,7 milhões, sendo R$ 3,5 milhões do DEM e os demais valores das cotas do Fundo Eleitoral de quatro partidos coligados – R$ 2,7 milhões do PL, R$ 630 mil do PSL, R$ 500 mil do PDT e R$ 350 mil do Republicanos.
  • Entre os vereadores, os maiores valores também vem do DEM. Os campeões em recebimento de verba são Milton Leite (DEM) e Abou Anni Filho (PSL), que disputam vaga na Câmara de São Paulo. O primeiro recebeu R$ 2,2 milhões do partido e o segundo, R$ 2 milhões.
  • Contudo, dentre os maiores partidos, os campeões em concentração até agora são DEM, MDB e PSDB, siglas que estão entre as que mais lançaram candidatos no país.

Desde que o Congresso proibiu o financiamento empresarial das campanhas, em 2015, a maior parte do dinheiro para bancar as candidaturas sai dos cofres públicos.

Confira o calendário das eleições 2020 aqui.

Com isso, para essa disputa, são R$ 2,035 bilhões do fundo eleitoral e R$ 959 milhões do partidário, embora esse último certamente não seja aplicado somente em eleições.

Além disso, você tá com mais alguma dúvida sobre a distribuição de verba das eleições? Deixe aqui e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.