Surgiu uma emergência e você precisa de um empréstimo urgente? Mantenha a calma e não faça nada antes de ler esta matéria!

As noites de insônia, o coração acelerado e o suor frio que acompanham a chegada dos boletos não deixam negar: você extrapolou nos gastos, perdeu as rédeas das finanças e precisa de um empréstimo urgente para pagar as contas. E aí, o que fazer?

O primeiro passo é deixar de lado qualquer sentimento de culpa ou de vergonha. Seja para lidar com emergências, quitar dívidas ou simplesmente para aproveitar uma oportunidade, muita gente já precisou — e ainda vai precisar — pegar dinheiro emprestado alguma vez na vida. E isso não precisa ser algo ruim! Com alguns cuidados, obter um empréstimo na hora certa pode servir de empurrão para sair de vez do sufoco. A seguir, separamos algumas dicas para você fazer do limão uma limonada e colocar a vida em dia.

1. Antes de mais nada, coloque todos os seus gastos no papel

Quando surge uma despesa importante e você não tem dinheiro em conta, nada mais normal do que ficar desesperado. Mas, muita calma nessa hora!

Para não cair na furada de pegar um empréstimo à toa, a única forma de saber quanto de dinheiro você realmente precisa é colocar tudo no papel para saber quanto você tem de grana, quais são os seus gastos e, além disso, descobrir onde você pode economizar no curto prazo.

Viu que as contas, de fato, não vão fechar e já sabe exatamente qual é a quantia de que você vai precisar? Nesse caso, é hora de colocar a mão na massa e ir para o próximo passo.

2. Saiba quanto sobra para você no fim do mês

Aproveitando que você já se deu ao trabalho de colocar todas as suas receitas e despesas no papel, responda a esta pergunta: em condições normais, quanto costuma sobrar de dinheiro para você no fim do mês? Confira!

Essa resposta é importante porque, a partir dela, você fica sabendo quanto terá de dinheiro para pagar pelas parcelas de um empréstimo.

Nesse sentido, vale lembrar que o ideal é que sempre fique uma sobrinha para gastar com lazer e/ou imprevistos. Caso não sobre dinheiro nenhum ou sobre muito pouco, nem pense em contratar um empréstimo!

Antes disso, você deve descobrir onde pode economizar ou o que fazer para ganhar um dinheirinho a mais. Afinal, não adianta nada pagar uma conta agora e se enrolar com as parcelas de um empréstimo no futuro.

3. Procure a ajuda de amigos e familiares

O famoso “juntos na riqueza e na pobreza” não vale só para casamentos. Amigos íntimos e familiares muitas vezes também estão dispostos a dar uma mãozinha quando estamos na pindaíba.

Portanto, agora que você já sabe exatamente quanto precisa pegar emprestado e quanto pode pagar por mês, não custa nada ver se eles não podem te ajudar.

Ao fazer isso, lembre-se de que, mesmo entre pessoas próximas, o empréstimo de dinheiro é um assunto delicado e que pode envolver fatores que vão além da boa vontade.

Por isso, não fique triste se tiver o pedido negado. Já se alguém topar, é interessante fazer um contrato e combinar desde o início como vai ser o pagamento, incluindo datas e valor das parcelas. Uma vez combinado, programe-se para cumprir tudo direitinho para não estragar o relacionamento!

4. Estude diferentes opções de empréstimo urgente

Não rolou pegar dinheiro emprestado com amigos ou com a família? Não se desespere! É para isso que existem os empréstimos oferecidos por bancos e financeiras!

Existem diversas modalidades de empréstimo. Antes de pedir um orçamento, é bacana saber mais sobre cada um deles para escolher aquele que mais combina com o seu perfil e necessidade. Abaixo, listamos os principais tipos de empréstimo:

Empréstimo pessoal: voltado para pessoas físicas, trabalha com valores mais baixos que os oferecidos nos empréstimos com garantia de veículo ou de imóvel, por exemplo. Por outro lado, sua contratação é muito rápida, o que o torna uma boa pedida para emergências.

Empréstimo consignado: nesta modalidade, o valor das parcelas é descontado automaticamente da folha de pagamento ou benefício do cliente. Sendo assim, está disponível somente para funcionários públicos, trabalhadores com carteira assinada, aposentados e pensionistas do INSS.

Refinanciamento de veículo: exclusivo para quem tem um veículo quitado no próprio nome, neste tipo de empréstimo. O veículo em questão é deixado como garantia no contrato. O valor emprestado pode chegar a 70% do valor do bem.

Refinanciamento de imóvel: funciona como o refinanciamento de veículo. A diferença é que, neste caso, um imóvel é deixado em garantia, e o valor do empréstimo pode chegar a até 60% do valor do bem.

Por serem considerados mais seguros para a empresa credora (que empresta o dinheiro), os refinanciamentos costumam trabalhar com taxas de juros mais baixas e mais tempo para pagar. No entanto, como exige uma documentação mais completa, o dinheiro pode demorar um pouquinho mais para cair na conta.

5. Utilize o buscador de empréstimo online FinanZero para empréstimos urgentes

Depois de descobrir qual é a melhor modalidade de empréstimo urgente para você, não pense que é só bater no primeiro banco ou financeira que encontrar na sua frente! Desse modo, o segredo para fazer um bom negócio é comparar o maior número de ofertas de empréstimo possível. Mas, como fazer isso quando se está com pressa, precisando de dinheiro com urgência?

Entretanto a resposta é simples: usando um buscador de empréstimo online, como a FinanZero! Ao fazer uma simulação no nosso site, você recebe até 10 ofertas de crédito pré-aprovadas para comparar e escolher. Tudo isso em questão de minutos e sem sair de casa. Clique aqui e faça agora uma simulação de empréstimo online ou refinanciamento!