Empréstimo pessoal: mitos e verdades sobre a linha de crédito mais famosa no Brasil.

mitos-e-verdades

Diante do cenário econômico atual, não é de estranhar que um número cada vez maior de brasileiros solicite o famoso empréstimo pessoal. Bastante conhecida por sua rapidez e facilidade, esta modalidade de crédito é uma das mais procuradas por quem deseja quitar as dívidas e limpar o nome na praça. No entanto, ela também pode ser usada para pagar impostos em dia, comprar eletrodomésticos, fazer uma viagem, investir nos estudos, entre outros motivos.

Conheça 4 mitos sobre o empréstimo pessoal:

Não tem jeito, em geral, as informações equivocadas — ou, no mínimo, duvidosas — tendem a circular tão ou mais rapidamente que as informações corretas. Por isso, para saber se este tipo de crédito vale a pena para você, nada mais justo do que começar lendo sobre 4 crenças que as pessoas têm em relação ao empréstimo pessoal, e que não passam de balela.

1. As taxas do empréstimo pessoal são muito altas

Assim como lojas diferentes podem cobrar preços diferentes por um mesmo produto, as taxas aplicadas no crédito pessoal variam de uma instituição financeira para outra. Deste modo, não dá para generalizar e falar que os juros da modalidade são muito altos. Mas, não é só isso: para definir as taxas de juros, bancos e financeiras se baseiam no perfil individual de cada cliente, levando em conta fatores como histórico de bom pagador, estabilidade, renda, etc. Deste modo, as taxas vão depender da sua situação no momento do pedido do empréstimo.

2. É preciso fazer um depósito antecipado para conseguir o crédito

Esse é um dos mitos mais perigosos a respeito do crédito pessoal. Por conta dele, diversas pessoas (em especial, os endividados) caem em fraudes diariamente, acabando por se enrolar ainda mais com as contas.

De acordo com o Banco Central, as instituições financeiras são proibidas de fazer a cobrança de qualquer quantia antecipada para liberar o crédito, independentemente do motivo. Sendo assim, caso a empresa com quem você começou a negociar um empréstimo peça um depósito para gastos com análise de crédito, despesas administrativas, taxas de cartório e etc., é bom ficar desconfiado! É comum que, depois de receber o dinheiro, empresas de crédito fraudulentas sumam com a grana.

3. Caso esteja com o nome sujo, posso pedir o empréstimo em nome de outra pessoa

Segundo as leis brasileiras, usar o nome e os documentos de outra pessoa para conseguir vantagens econômicas é considerado crime de estelionato, sujeito a até 5 anos de reclusão. Por isso, em hipótese alguma você poderá pedir um empréstimo em nome de outra pessoa. Além disso, a regra não depende do grau de parentesco entre vocês.

Para quem está com o nome sujo e, consequentemente, com dificuldade de ter o crédito aprovado ou de conseguir taxas mais vantajosas, é possível pedir que um amigo ou familiar consiga o empréstimo e repasse o dinheiro a você. No entanto, a própria pessoa deverá contratar o crédito e somente ela será considerada responsável pelo pagamento em dia das parcelas.

4. A única forma segura de conseguir um empréstimo é ir pessoalmente a uma instituição financeira

Até pouco tempo atrás, calçar um sapato confortável e bater de porta em porta, em bancos e financeiras, era a melhor forma de conseguir crédito para pagar as dívidas e realizar seus sonhos. Com o passar dos anos, o método foi substituído por outros meios e, hoje em dia, buscadores como a FinanZero permitem que você receba várias ofertas pré-aprovadas sem sair de casa.

Desde que você use somente plataformas de confiança, apostar na tecnologia para conseguir seu próximo empréstimo não só é seguro, como pode ser muito vantajoso. Além de trabalhar com bancos e financeiras digitais — cujos custos de operação, em geral, permitem a cobrança de taxas mais em conta —, a FinanZero ainda faz questão de te mostrar o maior número possível de opções. Assim, fica mais fácil comparar e tomar uma boa decisão.

Confira 4 verdades sobre o empréstimo pessoal

Agora sim! Depois de conhecer alguns dos principais boatos a respeito do crédito pessoal, é hora de saber um pouquinho mais sobre como ele funciona e pode ajudar a organizar as contas.

1. Todo empréstimo pessoal depende de uma análise de crédito

Não confunda a praticidade do empréstimo pessoal com falta de critério na hora de liberar o crédito! Antes que a grana caia em sua conta, a instituição financeira precisa calcular os riscos de emprestar dinheiro para você. Para isso, são necessários alguns documentos, como CPF, RG, comprovante de residência e comprovante de renda.

Juntamente com seu score de crédito, esses dados são usados na análise de crédito para determinar a aprovação e, em caso positivo, quais serão as taxas de juros. Mas, não se preocupe! Principalmente para quem está com o nome limpo, o procedimento na FinanZero é bem rápido e, em poucos minutos, você já recebe as ofertas pré-aprovadas.

2. Mesmo quem está negativado pode conseguir um empréstimo

Ao contrário do que muitos pensam, quem está com o nome sujo também pode ser aprovado para conseguir um empréstimo pessoal. Nesse caso, a análise de crédito costuma ser um pouquinho mais criteriosa, levando em conta fatores como renda já comprometida, histórico de quitação de dívidas no passado, entre outros.

Além do tempo de resposta ser um pouco maior para pessoas negativadas, bancos e financeiras costumam trabalhar com taxas de juros mais elevadas. Afinal, na avaliação deles, o risco de calote também é maior. Seja como for, vale a pena fazer uma simulação e ver as opções disponíveis. Isso porque, mesmo nessas situações, as taxas de juros de um empréstimo pessoal ainda tendem a ser bem mais baixas do que as do cheque especial ou juros rotativos do cartão.

3. Não é necessário deixar garantias no contrato

Como dito antes, algumas modalidades de empréstimo, como o refinanciamento de imóvel ou de veículo, trabalham com taxas muito atraentes. Porém, para fazer a solicitação, é fundamental ter um ou mais desses bens quitados em seu nome. Já no empréstimo pessoal, não. Basta dar sua palavra e ser aprovado na análise de crédito. Desta forma, é uma boa opção para quem mora de aluguel e não tem ou ainda está pagando um veículo.

4. Posso usar o dinheiro do empréstimo para fazer o que quiser

Outra vantagem do crédito pessoal é que, para fazer a contratação, você não precisa dar nenhuma justificativa ou destino certo para uso do dinheiro. Uma vez liberada, a grana do empréstimo pode ser usada para desde pagar dívidas até fazer uma viagem. No entanto, antes de fazer o pedido, vale a pena pensar em como você planeja gastar o dinheiro e pedir só a quantia estritamente necessária. Afinal, você estará pagando juros por ela.

E aí, gostou de saber mais sobre o empréstimo pessoal: mitos e verdades? Então continue acompanhando o blog da FinanZero. Sempre damos dicas e informações sobre essa e outras modalidades de empréstimo!