como não ficar endividado

Se você está lendo este texto é porque já deve ter se enrolado com as contas e sabe o quanto é difícil ficar endividado. As ligações de cobrança a qualquer hora do dia, a dificuldade de conseguir crédito na praça e, enfim, uma sensação tão desagradável que te faz jurar de pés juntos que nunca mais vai cair nessa novamente! Mas, eis que você liquida as dívidas e, passados alguns meses, as finanças já não estão lá essas coisas. Parece familiar? Saiba como não ficar endividado novamente.

Para quem respondeu sim, não se sinta culpado. Em vez disso, pense que, se você se endividou anteriormente, é porque algo deu errado no seu planejamento financeiro. Sendo assim, o momento é de arregaçar as mangas, se planejar, e descobrir o que pode ser feito para fechar as contas desta vez. A seguir, separamos 5 dicas que vão te ajudar a não ficar endividado de novo.

1. Saiba quanto você ganha e quanto você gasta para não ficar endividado

Não é questão de ser bom ou não em matemática. Para a maior parte das pessoas, um dos grandes desafios das finanças é entender como pequenos gastos com o cafezinho se transformam em despesas significativas no fim do mês, ou como o salário que deveria dar para o mês todo ficou curto já no dia 15.

Para chegar a uma resposta, não tem jeito: é preciso registrar suas receitas e despesas. Se você nunca fez isso antes, nossa dica é começar com uma planilha de controle de gastos mensal no Excel (veja nosso post sobre como começar). Outra alternativa é apostar em aplicativos de controle de gastos, como Organizze e Mobills. Seja como for, a regra é clara: suas receitas devem ser sempre maiores que as despesas.

2. Tenha uma reserva de emergência para não ficar endividado

Gastar menos do que você ganha é fundamental, mas não o suficiente para manter as contas sempre em dia. Além disso, também é muito importante ter uma reserva de emergência para imprevistos e não ficar endividado novamente. Afinal, o que fazer caso alguém na sua casa perca o emprego, por exemplo?

Segundo os especialistas, o montante da reserva de emergência deve ser equivalente aos seus gastos básicos pelo período de 6 meses. Para juntar esse valor, use a planilha de gastos, que te ajudará a enxergar o quanto sobra na sua conta a cada mês, assim como para identificar onde é possível “enxugar” despesas. O ideal é estipular quanto você pode economizar mensalmente e já reservar essa quantia assim que o salário cair na conta.

3. Pesquise sobre opções de investimento

Onde guardar o dinheiro da reserva de emergência? A poupança, claro, é sempre uma opção. Mas, se quiser fazer seu dinheiro render mais, é interessante buscar outras formas de investimento. No caso da reserva de emergência, uma boa alternativa é investir no Tesouro Selic. Com rendimento maior que o da poupança, ele também pode ser sacado a qualquer momento, é isento do imposto de renda e permite que você faça depósitos mensais para não ficar endividado.

Na hora de escolher um investimento, considere três fatores principais: rendimento (quanto você recebe pela aplicação), risco (a probabilidade de o retorno ser menor que o valor investido) e liquidez (a facilidade com que você pode sacar o seu dinheiro). Pesquise sobre as alternativas e faça investimentos separados para diferentes situações!

4. Faça planos para o uso do dinheiro

Você já parou para pensar que o dinheiro não é uma finalidade, e sim um meio? Em outras palavras, normalmente, não queremos ganhar dinheiro só por ganhar. Nosso objetivo é colocar sonhos em prática, viver novas experiências, entre outras coisas boas que o dinheiro traz. É por isso que é tão importante ter planos definidos ao economizar para não ficar endividado.

Afinal, se eu não sei o que quero fazer com a grana no futuro, qual é o sentido em deixar de comprar uma roupa nova ou dispensar uma cervejinha com os amigos no presente? Por isso, coloque seus sonhos no papel e calcule o valor necessário para tornar cada um deles realidade. Em seguida, determine quanto do seu salário você vai destinar a eles, pensando no tempo que levará para chegar ao valor integral.

Vale lembrar que as metas não precisam ser mirabolantes ou a longo prazo. Elas podem ser algo simples, como economizar para passar um fim de semana na praia ou comprar um novo eletrodoméstico.

5. Pense em como você pode aumentar seus ganhos para não ficar endividado

Ao falar de como não ficar endividado, é normal que a primeira recomendação seja economizar, pois, dessa forma, você trabalha somente com aquilo que já tem. Mas, e quando você já enxugou todas as despesas, sacrificou momentos de lazer e, mesmo assim, não está conseguindo fazer uma reserva de emergência?

Nesse caso, a única saída é buscar maneiras de incrementar a renda. Para isso, é possível procurar uma colocação em outra empresa, tentar uma promoção, participar de cursos gratuitos que possam agregar valor ao seu currículo, começar a vender algum produto, etc. Aqui no blog da FinanZero, você encontra várias dicas de como ganhar um dinheirinho extra.

Por fim, se você tem sua própria empresa, conseguir um empréstimo com boas condições pode ser muito útil para investir na modernização do seu negócio e, consequentemente, aumentar sua receita a longo prazo. Além de encontrar uma opção de crédito vantajosa, o segredo para dar certo é saber muito bem o que quer fazer com o dinheiro do empréstimo e quanto ele pode trazer de retorno. Aproveite que você está na nossa plataforma e peça agora um empréstimo aqui para não ficar endividado novamente.