Ao ter uma dívida atrasada a melhor opção é renegociar para não ser negativado

Ao fazer um empréstimo a pessoa, no geral, acredita que poderá pagar, mas nem sempre é tão fácil. Muitas coisas podem influenciar seu capacidade de pagar uma dívida e estão fora de seu controle, entre elas a inflação por exemplo.

O Brasil é um dos países com maior número de inadimplentes da América Latina, e em dívidas com um saldo devedor muito alto a melhor opção é a renegociação.

Embora você esteja com suas finanças em dia, renegociar dívidas pode ser necessário, principalmente se você usou um bem como garantia.

Que dívidas posso renegociar?

Basicamente, você pode renegociar qualquer tipo de dívida, desde o cartão de crédito até o financiamento, por exemplo. Para renegociar uma dívida você precisa chegar a um meio termo que seja bom não só para você como para a financeira.

E essa etapa é trabalhosa, mas não negociar pode trazer resultados negativos para ambas as partes. No caso do devedor, manter essas dívidas acumulando pode resultar em prejuízos, como perder bens ou ficar negativado por exemplo.

Independente de qual seja a dívida a pergunta a ser feita, na verdade, é: Quando devo renegociar uma dívida? E a melhor opção é que isso aconteça quando você perceber que não pode honrar essa dívida. Embora muitas pessoas esperem já não poder mais pagar, o ideal é que você faça isso antes e não acumule juros.

Ao renegociar antes suas chances de conseguir são maiores, sem falar que assim o processo é mais rápido. Se sua dívida for no cheque especial ou cartão de crédito você tem mais um motivo para renegociar o quanto antes: os juros. Os juros dessas modalidades normalmente são as mais altas dentre os serviços financeiros.

Leia: Quanto vou pagar de empréstimo?

Como renegociar?

Antes de tudo, quem deve solicitar a renegociação é o contratante, ou seja, o lado devedor. Isso pode acontecer pela internet, presencialmente ou pelos feirões de negociação. Especialistas recomendam que a procura seja pessoalmente, para demonstrar o interesse.

Em primeiro lugar, ao pedir uma renegociação você deve ter uma proposta clara com saldo devedor atualizado. Ao apresentar o banco apresentará uma proposta, mas a dica é não aceitar nenhuma se você não tiver certeza que cabe nas suas condições. A ideia do acordo é chegar a um ponto em que fique bom para os dois.

O que ajuda muito também a se planejar é criar uma planilha com todos os seus gastos fixos, para assim você não só saber quanto gasta, como também quanto pode pagar na dívida sem se enrolar.

Em seguida, ao renegociar, é prestar muita atenção as cláusulas do contrato. Na verdade as cláusulas do contrato devem ser a primeira coisa a revisar nesse momento. Já que no contrato você encontra o valor que seria pago no total (custo efetivo total) inicialmente e terá noção de quanto vai pagar a mais.

Também deve ficar claro que se você acredita que está pagando juros abusivos você pode contestar isso junto ao PROCON ou a justiça.

E, por fim, você também deve avaliar a possibilidade de transferir seu crédito para outro banco. Sendo assim , você pode ir para uma financeira com juros mais baixos. Pesquise aas condições de vários bancos e leve ao seu banco atual, é comum que eles cubram propostas.

Se, em último caso, não puder acontecer um acordo, você pode aguardar um dos famosos feirões para limpar o nome. Apesar de as vezes não aceitarem a proposta, muitas vezes oferecem ótimos descontos nessas ocasiões.

Confira: Plano de saúde: vale a pena contratar um?

Posso transferir minha dívida de banco?

Não só pode como é seu direito transferir uma dívida se acreditar que está pagando um preço injusto. Mas também pode se o banco em que você tiver uma dívida não quiser renegociar em termos que sejam bons para você.

O nome dessa ação é portabilidade de crédito, que garante que você tenha opções e garante também a competitividade do mercado. Essa medida serve não só para isso, como também para diminuir a inadimplência.

De acordo com o Banco Central (BC), 97,8% dos valores que tiveram portabilidade foram em crédito consignado. Mas não só esse tipo de crédito pode entrar nessa lista, o cheque especial e o financiamento imobiliário também entram.

Um fator importante para caracterizar uma portabilidade do tipo, é que o consumidor sempre sair ganhando na operação. Se as condições mudam, mas o valor aumenta ou fica igual o nome que se dá é renegociação.

Se você conseguiu renegociar ou transferir uma dívida e não quer mais passar por isso uma das dicas é começar a ter mais organização nas finanças. Além disso não gastar mais do que pode com uma dívida, se você vai precisar pedir ou renegociar um crédito tenha certeza que ela cabe nas suas finanças.

Dá para recuperar dinheiro após depositar em uma conta?

Então, ficou com alguma dúvida? Pergunte nos comentários.

E, por fim, não esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram; FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.