Dependendo do seu planejamento, conseguir crédito na praça pode tanto ajudar quanto atrapalhar ainda mais as finanças. Saiba quando um empréstimo é a solução.

Já diz o ditado que “gato escaldado tem medo de água fria”. Portanto, se você se atrapalhou com as contas e ficou endividado, é compreensível ter receio em assumir novos compromissos financeiros. Isso, mesmo quando todos dizem que um empréstimo é a solução para os seus problemas. Vai que você não consegue pagar as parcelas e acaba se endividando ainda mais?

Sem dúvidas, comprometer-se com um empréstimo sem muita certeza de que conseguirá arcar com as parcelas é uma cilada. Por outro lado, dependendo das taxas de juros que você paga atualmente, conseguir uma linha de crédito vantajosa pode te ajudar a organizar as finanças. A seguir, explicamos o que é preciso considerar e o que fazer para se planejar.

Taxas de juros altas são um bom motivo para obter um novo empréstimo

Uma das razões pelas quais muitos têm medo de contratar empréstimos é que, ao fazer isso, é preciso pagar juros sobre o dinheiro liberado. A grande questão é que, quando deixamos de pagar alguma conta, as empresas também cobram multas e juros pelo atraso. Por isso, se você já está pagando juros, vale a pena comparar o Custo Efetivo Total da sua dívida com o do empréstimo.

Responsável pelo endividamento de muitos brasileiros, os juros rotativos do cartão de crédito estão entre os mais caros do mercado, em torno de 14% ao mês. Pois, bem vamos imaginar que, para liquidar a dívida no cartão, você consiga um empréstimo com taxa de juro de 6,5% ao mês, isso representa uma boa economia. Sem contar que, ao usar um empréstimo para pagar as suas dívidas, você ainda consegue deixar seu nome limpo.

E, já que falamos em Custo Efetivo Total, é importante destacar que ele abrange bem mais do que somente as taxas de juros. Na verdade, essa taxa diz respeito a todos os encargos e despesas incluídos em operações de crédito. De acordo com as regras do Banco Central, todas as instituições financeiras são obrigadas a informar o CET de forma detalhada. Fique atento(a) a isso ao comparar os custos das suas dívidas com os de um novo empréstimo!

Empréstimo para deixar o nome limpo nem sempre vale a pena

Quem está negativado ouve com frequência que um empréstimo é a solução para deixar a vida em dia. Se você também se encontra nesta situação, mas tem medo de seguir o conselho, saiba que você não está errado! A não ser que o CET da sua dívida atual seja mais alto que o de um empréstimo, em geral, não vale a pena se comprometer com outra dívida só para deixar o nome limpo. Até porque, mesmo com o pagamento das dívidas, seu histórico permanece disponível para as empresas. Ou seja, pode levar um tempo até que seu score de crédito melhore, facilitando o acesso a oportunidades e serviços.

Nesses casos, mais importante do que correr atrás de um empréstimo, é tentar identificar as causas do endividamento. Dessa forma, você poderá corrigir as falhas no orçamento e, quem sabe, até renegociar as suas dívidas com descontos.

Perguntas para se fazer e descobrir se um empréstimo é a solução

Mesmo pagando juros altos no cheque especial ou nos juros rotativos do cartão de crédito, empréstimo é coisa séria! Porque, sua contratação nunca deve ser feita de forma impulsiva e sem planejamento. Caso contrário, ele pode prejudicar ainda mais suas finanças.
Para te ajudar a decidir se um empréstimo é a solução mais adequada, separamos abaixo 6 perguntinhas que você deve se fazer. Confira!

Eu conheço a real dimensão da minha situação financeira?

Não importa se o objetivo do empréstimo é pagar as dívidas ou comprar um carro novo. Pois, a única maneira de saber qual é o valor das parcelas que cabe no seu bolso é colocar todas as suas receitas e despesas no papel, e fazer as contas.

Eu sei exatamente o que quero fazer com o dinheiro do empréstimo?

Quando você obtém um empréstimo com banco ou financeira, paga juros sobre a grana liberada. Por isso, calcule o valor necessário para pagar dívidas ou realizar seus sonhos e peça só a quantia necessária. Você não vai querer pagar caro por um dinheiro e deixá-lo parado, não é mesmo?

Qual é o tempo de quitação do empréstimo? Eu tenho estabilidade?

Em geral, para empréstimos com prazo curto, o planejamento é mais simples. Pois, mesmo em caso de demissão do trabalho atual, muitas vezes é possível contar com benefícios como seguro desemprego. Já para empréstimos com prazo longo, é preciso pensar mais a fundo. Se tratando de empréstimos que podem esperar — como para reformar a casa, por exemplo —, vale a pena investir antes em uma reserva de emergência.

Quais são as consequências de não pagar as minhas dívidas?

Mesmo com multas e taxas de juros baixas, certos tipos de dívida têm consequências mais graves do que outras. Por exemplo, atrasos no pagamento de contas como aluguel, condomínio, água e luz podem resultar no corte de serviços ou em ações para entrega do imóvel. Mas, nessas situações, um empréstimo pode ser a solução, desde que caiba em seu orçamento.

O CET do empréstimo é mais baixo do que o das contas atuais?

Como dito antes, algumas modalidades de crédito, como cheque especial e rotativo do cartão, trabalham com taxas de juro bastante elevadas. Nesse cenário, conseguir um empréstimo com taxas mais em conta é bem mais vantajoso.

Eu já pesquisei a fundo quais são as minhas opções? Empréstimo é a solução?

Seja para pagar dívidas ou para tirar um plano do papel, contratar um empréstimo pessoal tradicional não é a única saída. Na verdade, caso você tenha um veículo ou imóvel quitado em seu nome, obter um refinanciamento garante taxas muito atraentes. Dependendo do seu perfil, na FinanZero, é possível encontrar taxas a partir de 0,99% ao mês. Sem contar que os valores liberados são mais altos e você consegue mais prazo para pagar!

Deu para perceber que, dependendo das suas dívidas, o empréstimo é a solução, desde que tenha condições vantajosas, não é mesmo? Aproveite que você está no nosso site e faça uma simulação para receber até 10 ofertas de crédito pré-aprovadas! Depois, é só comparar e escolher aquela que cabe no seu bolso.