Puxada por alimentos, especificamente verduras e hortaliças, inflação para famílias de baixa renda obteve recuo no mês passado

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1) de agosto variou 0,11%. Assim, ficando 0,32 ponto percentual (p.p.) abaixo de julho quando o índice registrou taxa de 0,43%. Este é o indicador da inflação das famílias de baixa renda, e os dados foram divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quinta-feira (5).

Com este resultado, a inflação para famílias de baixa renda acumula alta de:

  • acumulado do ano: 3,28%
  • acumulado dos últimos 12 meses: 4,11%

Confira mais clicando aqui – Preço dos imóveis fica estável em agosto, conforme o Índice FipeZap

IPC-C1 x IPC-Br: inflação para famílias de baixa renda está maior em 2019

Em agosto o Índice de Preços ao Consumidor-Brasil (IPC-Br), também calculado pela FGV variou 0,17%. Assim, a taxa deste indicador ficou em:

  • acumulado do ano: 2,90%
  • acumulado dos últimos 12 meses: 3,97%

O IPC-Br leva em consideração as famílias que recebem entre 1 e 33 salários mínimos, e que residem nas capitais:

  • São Paulo;
  • Rio de Janeiro;
  • Belo Horizonte;
  • Salvador;
  • Recife;
  • Porto Alegre;
  • e Brasília.

Desta forma, em 2019, a inflação das famílias de baixa renda (IPC-C1) encontra-se em patamar acima do que a inflação das famílias que recebem até 33 salários.

Variação por setor do IPC-C1

Nesta apuração, seis das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação:

  • Alimentação: de 0,20% para -0,46%
  • Habitação: de 1,32% para 0,95%
  • Saúde e Cuidados Pessoais: de 0,28% para 0,01%
  • Despesas Diversas: de 0,40% para -0,07%
  • Educação, Leitura e Recreação: de 0,16% para 0,04%
  • Vestuário: de -0,28% para -0,44%

Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens:

  • hortaliças e legumes: de 0,86% para -9,73%
  • tarifa de eletricidade residencial: de 6,42% para 3,10%
  • artigos de higiene e cuidado pessoal: de 0,31% para -0,29%
  • alimentos para animais domésticos: de 1,98% para -0,43%
  • passagem aérea: de -2,20% para -5,36%
  • calçados: de -0,12% para -0,43%

Em contrapartida, os grupos que apresentaram avanço em suas taxas de variação foram:

  • Transportes: de -0,24% para 0,05%
  • Comunicação: de 0,04% para 0,68%

Nestas classes de despesa, foram destaques:

  • gasolina: de -1,86% para -0,22%
  • tarifa de telefone residencial: de 0,04% para 1,54%

Para conferir os dados publicados pela FGV, referente à inflação para famílias de baixa renda (IPC-C1) em agosto, clique aqui.