Governo diz que contas apertadas e Auxílio Emergencial tornam o 13º do Bolsa Família desnecessário

O Ministério da Economia ainda não sabe se pagará o 13º do Bolsa Família.

Isso porque, em função da pandemia e do pagamento do Auxílio Emergencial, as contas do Ministério estão apertadas.

Desse modo, é possível que os beneficiários do Bolsa Família não recebam o 13º neste ano.

Todas as notícias sobre o Bolsa Família em um só lugar!

Pagamento do 13º sequer é garantido

No ano passado, o 13º do Bolsa Família foi pago como uma bonificação. Para isso, o governo autorizou o pagamento via Medida Provisória (MP).

Essa medida, contudo, perdeu a validade em março. Logo, para que em 2020 ela valesse novamente, seria necessário aprovar uma nova MP.

De acordo com a Economia, havia planos de manter o 13º do Bolsa Família. No entanto, por conta da pandemia, essa ideia ficou suspensa.

Portanto, outra indicativo forte de que neste ano não haverá o 13º do Bolsa Família do Bolsa Família.

Eleições 2020: o que é um candidato sub judice?

Governo diz que Auxílio Emergencial cumpriu a função

Segundo a equipe de Paulo Guedes, ministro da Economia, o 13º do Bolsa Família não é prioridade em 2020. Afinal, segundo ele, com o pagamento do Auxílio Emergencial e o Extensão inclusive para esses beneficiários, não haveria necessidade de parcelas extras.

Nas redes sociais, porém, membros do Bolsa Família questionam a equipe econômica. Além disso, especialistas apontam que, com o aumento dos alimentos e o desemprego em alta, o 13º seria um alento para muitas famílias.

Nesse embate, a oposição tentou aprovar o pagamento do 13º do Bolsa Família. As propostas nesse sentido, entretanto, não saíram do papel.

Quanto é o 13º do Bolsa Família?

Em 2019, quando vigorou, a MP determinou que o 13º do Bolsa Família seria o dobro do valor pago mensalmente.

No entanto, como não há previsão para pagamento em 2020, ainda não se sabe como será calculado neste ano.

FGTS poderá ser recolhido pelo Pix?

Quem pode receber o Bolsa Família?

O Bolsa Família tem como público alvo famílias consideradas de extrema pobreza. Por isso, podem receber o benefício:

  • Famílias com renda mensal de até R$ 89 por pessoa; ou
  • Com renda mensal entre R$ 89,01 e R$ 178 por pessoa desde que tenham gestantes e/ou crianças e adolescentes até 17 anos.

Essas regras não mudaram com a pandemia. Para 2020, há a expectativa de alterações no programa, que seria complementado pelo Renda Cidadã.

O programa de Jair Bolsonaro (sem partido), entretanto, enfrenta dificuldades de definição, de forma semelhante ao 13º do Bolsa Família.

Por isso, por enquanto, o Bolsa Família se mantém como está.

Com a FinanZero, você encontra o melhor empréstimo para você!

Como pedir o Bolsa Família?

Para receber o Bolsa Família, você deve se enquadrar nas condições anteriores. Além disso, deve cumprir esse passo a passo:

  • Inscrever no Cadastro Único no setor responsável da sua cidade;
  • Levar RG, CPF e/ou título de eleitor do chefe da casa;
  • Entregar um documento com foto de cada membro da família.

Os aprovados para o programa recebem uma carta da Caixa avisando da aprovação.

De acordo com o site do governo:

“Ao ingressar no programa, as famílias recebem o dinheiro mensalmente e, como contrapartida, cumprem compromissos nas áreas de saúde e educação. O valor repassado a cada usuário varia conforme o número de membros da família, idade e renda declarada no Cadastro Único”.

Piki empréstimo: como pedir empréstimo na conta de luz?

E aí, ficou com alguma dúvida sobre o 13º do Bolsa Família? Então comente!

Além disso, siga a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.