PIX: quais são os golpes aplicados, como evita-los e qual é a melhor opção de chave que deve ser cadastrada na forma de pagamento

O PIX foi lançado em novembro de 2020 com a proposta de facilitar as transações bancárias entre a população brasileira. Desde então o seu uso tem sido muito recorrente, são mais de 203 milhões de reais movimentados, de acordo com o Banco Central, que foi responsável pelo seu lançamento.

Com o uso do PIX sendo cada vez mais comum entre os brasileiros, golpistas entram em ação tentando fazer vítimas por meio da nova forma de pagamento. De acordo com o Laboratório de Cibersegurança do Psafe (DFNDR), no Brasil os golpes bancários somam cerca de 15 mil ataques por dia.

Open Banking: quais são os benefícios e vantagens?

Quais são os golpes do PIX?

Existem alguns golpes relacionados ao PIX que são os mais comuns de acontecerem, são eles:

Falsas centrais de atendimento

Golpistas podem se passar por empresas e solicitar os dados do cliente alegando atualização do cadastro ou pedindo a chave do PIX. Quando situações como essa acontecem, as vítimas do golpe acham que estão passando os seus dados para empresas onde possuem cadastro ou algum vínculo, normalmente são usados nomes de bancos. Contudo, de acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) as instituições financeiras não têm permissão de solicitar dados dos clientes por telefone. Dessa forma, o indicado é que nenhum dado pessoal seja passado por telefone para evitar golpes.

Clonagem do WhatsApp ou perfil falso

A clonagem do aplicativo WhatsApp é um dos mais utilizados, a vítima recebe uma mensagem falsa de uma empresa que ela possui cadastro solicitando o código de segurança do aplicativo. Quando os golpistas possuem acesso a esse código eles conseguem ter acesso a conta do WhatsApp do indivíduo em outro celular e assim começam a pedir dinheiro a pessoas mais próximas da vítima, se passando por ela.

Assim como a clonagem, também é possível que criem um perfil falso do indivíduo e realizem a mesma ação solicitando dinheiro aos contatos da vítima. Ao pedir dinheiro os golpistas podem pedir para que a transferência seja feita por meio do PIX, por ser uma forma mais rápida e onde só é necessário que seja informado a chave cadastrada do usuário.

Uma forma de evitar que o aplicativo do WhatsApp seja clonado é cadastrar a verificação em duas etapas, para isso basta seguir o passo a passo:

  1. Abra o aplicativo WhatsApp e vá até a aba “Configurações”;
  2. Clique na opção “Conta” e em seguida em “Confirmação em duas etapas”
  3. Crie uma senha e logo depois adicione um e-mail de recuperação de senha;

Logo após seguir os passos o seu WhatsApp terá menos chances de ser clonado já que a senha criada será solicitada com frequência para continuar o uso do aplicativo.

“Bug do PIX”

Uma forma recente utilizada pelos golpista foi o espalhamento de mensagens e vídeos nas redes sociais que mostravam que ao realizar uma transferência a uma chave aleatória o usuário ganharia o dobro do valor transferido. Ao realizar a transferência para as chaves aleatórias indicadas aos usuários, o valor era enviado diretamente para a conta dos golpistas.

Sendo assim, não existe e nem existiu nenhum problema no PIX , os golpistas manipulam vídeos e imagens para enganar os indivíduos que encontrassem as publicações nas redes sociais. Por isso, não se deve transferir nenhum valor para chaves desconhecidas anunciadas na internet com falsas promessas de retorno do valor.

Roubo de dados

Nesse caso, para roubar os dados dos indivíduos os golpistas enviam mensagens pelo celular, e-mail ou redes sociais. As mensagens enviadas contém um link que leva o indivíduo a um site falso, normalmente de uma instituição financeira, onde é solicitado que a vítima acesse a sua conta bancária e envie os códigos de autenticação (tokens).

Uma outra versão desse roubo pode acontecer por meio de uma oferta de download de arquivo que ao ser baixado no celular dá acesso aos golpistas as informações pessoais da vítima. Por isso é preciso estar atento aos sites que não são oficiais do banco utilizado.

O PIX cobra taxa por transferência?

Como evitar golpes no PIX?

Como mencionado, existem muitas possibilidades de golpes que podem ser aplicadas e serem prejudiciais aos usuários do PIX. Abaixo estão algumas dicas selecionadas a partir dos golpes que são mais aplicados e a ações que podem ser feitas no dia a dia.

  • Não informar dados pessoais e bancários por telefone;
  • Ativar a verificação do aplicativo WhatsApp em duas etapas;
  • Não realizar transferências solicitadas pelo WhatsApp sem verificar a veracidade do pedido por chamada telefônica ou pessoalmente;
  • O código de autenticação do WhatsApp, recebido por SMS, não deve ser enviado a nenhum contato;
  • Cadastre as chave do PIX apenas em sites confiáveis e oficiais ou aplicativo da instituição financeira utilizada;
  • O compartilhamento de senha e códigos só deve ser feito dentro dos site ou aplicativo do Banco;
  • Verifique o selo de verificação do Banco nas redes sociais e na conversa feita por meio do aplicativo WhatsApp;

Qual é a melhor chave para o PIX?

As transferências e recebimentos pelo PIX são feitas a partir de chaves, uma pessoa física possui direito a cadastrar até 4 chaves diferentes, são elas:

  • E-mail;
  • Telefone celular;
  • CPF;
  • Chave aleatória;

Cada uma das chaves possui vantagens e desvantagens, por exemplo, o e-mail e número de celular podem ser chaves fáceis de serem lembradas tanto pelo usuário quanto para pessoas próximas que transferem valores para ele com frequência. Contudo, são chaves que podem ser facilmente acessadas por estranhos e assim golpes podem ser aplicados.

O número de CPF também pode ser cadastrado como chave do PIX e quando usado dessa forma a chance de golpes diminuem já que o acesso ao CPF do cidadão é mais difícil. A chave aleatória também possui a mesma vantagem, o acesso a ela é bem mais limitado e isso garante uma segurança contra golpes e fraudes que podem acontecer quando utilizado o PIX.

Pelas questões comentadas as chaves que utilizam o CPF e números aleatórios são as que mais evitam que fraudes aconteçam no nome do indivíduo. Existem algumas formas de serem aplicados golpes e por isso a atenção no cadastro de chaves e nas ações tomadas no dia a dia se faz necessária.

O real digital brasileiro vai substituir a moeda física?

E então, restou mais alguma dúvida sobre como evitar golpes no PIX? Se sim, deixe aqui o seu comentário que nós lhe ajudamos.

Além disso, siga a FinanZero nas redes sociais para mais dicas e para nos acionar quando quiser: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.