PIX: vai ter taxa, quando será cobrado por transações e quais bancos cobram pelas transferências feitas pela forma de pagamento

O PIX foi lançado em novembro de 2020 pelo Banco Central com o objetivo de facilitar as transações feitas pelos brasileiros. Desde o seu lançamento o PIX tem sido usado com grande frequência, inclusive sendo aceito por grande parte dos estabelecimentos já que segundo o seu criador, o BC, a nova forma de pagamento já se tornou a mais utilizada em abril de 2021.

Além de ter se tornado uma das formas de pagamento mais utilizadas pelo brasileiros, o BC informou que já existem mais de 242 milhões de chaves, que é uma das formas de utilizar o PIX. Algumas mudanças foram informadas e com isso surgem dúvidas entre seus usuários. Abaixo estão listadas as principais questões sobre o assunto e as mudanças que estão previstas para o segundo semestre de 2021.

Como fazer Pix pelo WhatsApp?

Vai ter taxa no PIX?

Foi informado pelo Banco Central que para pessoas físicas não existe uma cobrança de taxa nas transferências ou pagamentos realizados pelo PIX. Contudo, para pessoas jurídicas os bancos podem cobrar uma taxa e a cobrança dependerá de cada instituição financeira.

Desde o seu lançamento em 2020, o PIX não cobrava nada para o seu funcionamento. Entretanto foi confirmado pelo Banco Central que a escolha de cobrar as tarifas já era estudada desde que a forma de pagamento teve seu inicio.

Quando o PIX será cobrado?

O PIX para pessoas físicas e microempreendedores (MEI) deve ser gratuito quando realizado por aplicativo ou Internet Banking, ou seja, por meios digitais e também ao receberem uma transferência por PIX. Porém, ele pode ser cobrado para pessoas físicas nas seguintes situações:

  • Ao realizar transferências pelo PIX de forma presencial ou por telefone quando a ação pode ser feita de forma online;
  • Receber um PIX pela venda de um produto ou serviço;

O PIX será cobrado para pessoas jurídicas e nessas situações a cobrança será definida pelas instituições financeiras tanto para transferências quanto para os recebimentos. Então, ao fazer uma transação ou receber um pagamento a pessoa jurídica terá que pagar por isso. Entretanto as taxas ainda são menores do que as demais do mercado.

Como vai funcionar a nova forma de pagamento offline do PIX?

Quais bancos cobram pelo PIX?

Cada instituição financeira possui a decisão do valor de cobrança pelo uso do PIX, dessa forma os valores dos bancos que irão cobrar as tarifas são:

Taxas cobradas por transferências do PIX

  • Banco do Brasil: 0,99% do valor da transação, tarifa mínima de R$ 1 e máxima de R$ 150;
  • Santander: 1% do valor da transação, tarifa mínima de R$ 0,50 e máxima de R$ 10;
  • Itaú: 1,45% do valor da transação, tarifa mínima de R$ 1,75 e máxima de R$ 9,60;
  • Bradesco: 1,0% do valor da transação, tarifa mínima de R$ 1,65 e máxima de R$ 9;
  • Safra: 1% do valor da transação, tarifa mínima de R$ 1,50 e máxima de R$ 9,90;

Taxas cobradas por recebimento do PIX

  • Banco do Brasil: 0,99% do valor da transação, com tarifa máxima de R$ 140;
  • Santander: 6,54% do valor da transação para QR Code estático ou dinâmico, 1,4% para QRCode via Checkout, com tarifa mínima de R$ 0,95;
  • Itaú: 1,45% do valor da transação, tarifa mínima de R$ 1 e máxima de R$ 150;
  • Bradesco: 1,4% do valor da transação, tarifa mínima de 0,90 e máxima de R$ 145;
  • Safra: 1,3% do valor da transação, tarifa mínima de R$ 1,90 e máxima de R$ 150;

Esses foram os valores informados até o momento, contudo eles podem sofrer alterações com o passar do tempo. As cobranças estão previstas para a partir do mês de agosto de 2021.

O PIX tem limite?

Com as mudanças informadas para o segundo semestre de 2021, o PIX anunciou duas novas funções o PIX saque o PIX troco. Para o primeiro está relacionada a retirada de valores e o segundo o pagamento por produtos ou serviços.

Serão liberados até 4 saques por mês com limitação diária de R$ 500 reais. Essa função limita o PIX de forma gratuita, então a partir do 5° feito no mês ele será cobrado pelo valor estipulado na instituição financeira em questão.

As funções mencionadas estão passando por consulta pública, então ainda podem sofrer alterações.

Real digital: o que é e como ele vai funcionar?

E então, restou mais alguma dúvida sobre as taxas que serão cobradas no PIX? Se sim, deixe aqui o seu comentário que nós lhe ajudamos.

Além disso, siga a FinanZero nas redes sociais para mais dicas e para nos acionar quando quiser: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.