golpes financeiros

Saiba como identificar um golpe na internet e como denunciar uma fraude judicialmente

A internet tornou-se um aliado comum dos cidadãos, devido à sua praticidade e facilidade em comprar de tudo e solicitar diversos tipos de serviços sem precisar sair de casa. Contudo, essa utilização crescente dos serviços online impulsionaram o crescimento da prática de golpes pela internet, principalmente na área de empréstimos.

De acordo com a pesquisa mais recente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), divulgada em agosto de 2019, cerca de 12,1 milhões de brasileiros relatam terem sofrido algum tipo de golpe financeiro pela internet.

Os golpes, em geral, aparecem para o consumidor como oportunidades únicas e rápidas e podem ser denunciadas na justiça por meio de Boletins de Ocorrências e processos judiciais oficiais.

No caso dos golpes pela internet de empréstimo ou financiamentos, são oferecidos ao consumidor ofertas com juros baixos e condições excepcionais. Como por exemplo pagar um empréstimo de alto valor em dezenas de meses. Mas, para a liberação desse tipo de oferta, é solicitado pelos golpistas o depósito antecipado de um determinado valor.

Esse é o primeiro sinal claro de golpe, pois de acordo com as normas do Banco Central. Nenhuma instituição financeira séria deve solicitar depósitos antecipados para a liberação de crédito.

É importante saber que os golpes pela internet são aplicados por diversos canais, os principais deles são:

  • aplicativos;
  • redes sociais;
  • e-mail;
  • malware de smarthphone ou de computador.

Para auxiliar a evitar os golpes pela internet e entender o que deve ser feito depois que alguém cai em uma dessas fraudes, a redação da FinanZero preparou algumas dicas que podem auxiliar os consumidores que se encontram nessas situações.

Veja também – Por que preciso colocar os meus dados bancários para fazer um pedido?

Quais são os principais golpes da internet?

Os golpes pela internet podem partir de todos os lugares, seja de sites de compras até mesmo um aplicativo de jogo com perguntas maliciosas. Em geral a maior parte desses golpes giram em torno da área financeira do consumidor, por isso é importante não compartilhar em nenhum local a própria situação financeira.

Pessoas que possuem o intuito de aplicar golpes pesquisam antes de tentar aplicar a fraude, por isso é comum que entrem em contato já com a informação do nome completo da vítima. Mas, isso é apenas um truque. É importante sempre desconfiar e pesquisar a empresa que está oferecendo o serviço ou produto com descontos que parecem bons demais para serem verdade.

Os principais golpes aplicados, de acordo com a pesquisa do CNDL citada anteriormente, são referente a:

  • empréstimos;
  • financiamentos;
  • compra de produtos internacionais;
  • revenda de materiais com preços baixos;
  • cartão de crédito ou débito clonado;
  • contratação de serviços ou compra indevida de itens usando documentos falsos, perdidos ou roubados da vítima;
  • transações financeiras em conta bancária sem autorização.

Por isso, no caso de realizar qualquer uma dessas transações é importante pesquisar minuciosamente antes de confiar em um site, e verificar os certificados de segurança e avaliações do mesmo.

Como evitar golpes na internet?

Algumas dicas que podem evitar golpes na internet pelo WhatsApp, que é a rede social mais usada por aplicadores de fraudes, são:

  • Não instalar programas fora das lojas oficiais de aplicativos: Play Store e App Store;
  • Clicar apenas em links confiáveis;
  • Não passar informações pessoais que são intransferíveis.

As demais redes sociais, como:

  • Facebook;
  • Telegram;
  • Tik Tok;
  • Instagram;
  • Twitter.

É necessário ter os mesmos cuidados, além de não clicar em anúncios estranhos ou com conteúdo sexual explícito, e nem aceitar amizade de desconhecidos.

Em golpes aplicados por e-mail, as principais formas de identificar uma fraude são:

  • Verificar se o usuário já fez cadastro no site que está oferecendo a oferta;
  • Pesquisar se o e-mail saiu do domínio oficial da empresa em questão, por exemplo um e-mail da FinanZero precisa ter o final @finanzero.com.br, caso contrário é golpe;
  • Negar o pedido de dados pessoais via e-mail;
  • E-mails com links bloqueados por antivírus também devem ser evitados.

No caso de golpes aplicados diretamente por site, é possível reconhecer uma empresa fraudulenta graças às seguintes características:

  • Site com erros ortográficos e sem pontuações;
  • URL que não possui certificação de segurança (ínicio do site com https://);
  • Valores de empréstimo estipulados sem a análise de crédito solicitada por bancos e financeiras;
  • Pedido de foto do cartão de crédito ou de débito;
  • Solicitação da conta bancária e do extrato de movimentação com a senha;
  • Boletos de pagamento antecipado para liberação de qualquer serviço;
  • Sem avaliação em sites de reclamação.

Caí em um golpe na internet o que fazer?

No caso do consumidor que tenha levado um golpe na internet, é caracterizado como crime de estelionato. Para comprovar isso, é necessário demonstrar que a pessoa desconhecida obteve vantagem prejudicando outra pessoa por meio de um esquema fraudulento que a induziu ao erro. Com isso a pessoa que levou o golpe deverá juntar todas as provas do ato criminoso, como por exemplo:

  • recibos de pagamentos;
  • comprovantes de depósitos;
  • nota promissória;
  • cheque com fins ilegais;
  • comprovante de depósitos;
  • conversas por mensagens;
  • prints de comunicação via redes sociais.

Com todas as provas em mãos a vítima pode buscar por ajuda online ou em em uma delegacia para criar um Boletim de Ocorrência (BO). Em seguida, é preciso registrar a fraude no Procon. Se o crime tiver envolvido até 40 salários mínimos, será indicado para que a pessoa abra uma ação no no Juizado Especial de Civil (JEC).

A pessoa lesada poderá também pleitear outros tipos de indenização, como por danos morais, por exemplo. Além disso, algumas empresas que levaram o nome da fraude podem auxiliar a vítima a se recuperar, e ajudar na causa contra o estelionatário.

Como evitar cair no golpe do empréstimo?

O golpe do empréstimo, como citado anteriormente, é um dos mais aplicados no ambiente digital devido à alta procura de internautas por esse serviço. Para evitar cair nesse tipo de fraude é sempre bom se atentar a algumas questões:

  • Só solicite o empréstimo depois de pesquisar a empresa;
  • Procure empresas com boa reputação no mercado e que seguem as normas do Banco Central para concessão de crédito;
  • Nunca realize depósitos antecipados;
  • Não deve-se pagar as parcelas do empréstimo em contas de pessoas físicas;
  • O endereço da empresa não pode ser residencial;
  • Sempre verifique a reputação da empresa.

Como saber se um banco ou financeira é confiável?

Existem muitas instituições na internet que não são confiáveis. E se mesmo com as dicas anteriores ainda houver dúvidas sobre a identificação da fraude, o Banco Central pode ajudar.

Pois, para se certificar de que a empresa é idônea e confirmar a sua atuação no setor financeiro é possível entrar em contato com o Banco Central e consulte o CNPJ da instituição, ou verificar se nos termos e condições do serviço oferecido pela instituição financeira consta as normas do BC.

Ficou com mais alguma dúvida sobre como proceder em caso de golpe pela internet? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.