A previsão é que o pagamento do benefício emergencial aconteça ainda nesta semana

Uma falha no processamento de dados da Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social) atrasou o pagamento das parcelas do BEm (Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda).

Nesta terça-feira (27), a empresa confirmou a informação em comunicado publicado com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

O problema no sistema atrasou os pagamentos dos trabalhadores que receberiam da Caixa Econômica Federal, no lote 27, entre os dias 27 e 29 de outubro. Mas, ao que tudo indica, a situação foi corrigida. No entanto, os brasileiros que não tiveram o pagamento só vão receber nesta sexta-feira (30).

Além disso, nota divulgada explica que: “na data de ontem (26), foi identificada uma ocorrência no processamento realizado pela Dataprev nas parcelas do lote 27, após implementação de uma nova rotina no sistema da empresa, o que inviabilizou o pagamento na data prevista”.

Por isso, a falha no sistema da empresa afetou 236.780 trabalhadores, 2,4% dos trabalhadores que participam do programa, totalizando R$ 191,9 milhões atrasados.

Veja também – Faça uma cotação e receba ofertas pré-aprovadas com o simulador de empréstimo pessoal!

O que é o benefício emergencial?

O Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda, também conhecido como BEm, é uma compensação paga aos trabalhadores que tiveram contratos suspensos ou salários reduzidos por meio do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda.

Isso porque a Medida Provisória 936/20 permitiu que as empresas tornassem as relações trabalhistas mais flexíveis neste ano.

Por isso, o governo liberou o programa social como forma de os trabalhadores conseguirem se manter financeiramente.

Quem tem direito ao BEm?

Tem direito ao benefício trabalhadores que:

  • tiveram contrato de trabalho suspenso;
  • jornada de trabalho cortada e salário reduzido,
  • estão em regime de trabalho intermitente.

Quanto posso receber no benefício emergencial?

O valor do benefício emergencial é calculado pelo governo, mais especificamente pelo Mistério da Economia.

Basicamente, ele corresponde a um percentual do seguro-desemprego do trabalhador. Por isso, o valor pode variar entre R$ 261,25 e R$ 1.813,03.

No entanto, nos casos de acordos com redução da jornada de trabalho e corte salarial de 25%, 50% ou 70%, o valor equivale a essa mesma porcentagem do seguro que o trabalhador teria direito.

Além disso, quem desejar acompanhar os pagamentos pode acessar o portal de serviços do Ministério da Economia ou o aplicativo da Carteira de Trabalho Digital.

Leia também – Prazo para abater IPVA com créditos do Nota Fiscal Paulista termina nesta semana

O que é o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda?

O Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, aprovado junto com o benefício emergencial, permite que as empresas:

  • suspendam contratos de trabalho;
  • reduzam jornadas;
  • reduzam salários.

Além disso, de acordo com o governo, o programa tem como objetivo reduzir o aumento nos índices de desemprego do Brasil.

No entanto, essas reduções tem datas limites. Isso porque, no último dia 13, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) prorrogou até dia 31 de dezembro a medida que permite a suspensão de contratos e a redução de jornadas e salários.

Ficou com mais alguma dúvida sobre as falhas no pagamento do benefício emergencial ou sobre o programa de redução de jornada de trabalho e salários? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.