Durante festas de fim de ano, estado de São Paulo estará classificado na fase vermelha da quarentena; confira o que continuará aberto

Nesta terça-feira (22), o governo de São Paulo anunciou que todo o estado paulista vai voltar para a fase mais restritiva da quarentena, a chamada fase vermelha.

No entanto, essas medidas mais restritivas contra a pandemia do novo coronavírus só foram estabelecidas para o fim de ano, isto é, entre os dias 25 e 27 de dezembro e entre 1º e 3 de janeiro. Por isso, nessas datas funcionarão apenas os serviços essenciais. Por exemplo:

  • farmácias;
  • padarias;
  • mercados.

Mas para os outros dias o estado de São Paulo segue na fase amarela do Plano SP. Contudo, essa classificação não vale para a cidade de Presidente Prudente. Isso porque o local já ultrapassou 80% da lotação das UTIs.

Veja também – Horário de funcionamento de bancos e comércio no natal e ano novo

Quais são as regras da fase vermelha?

Como dito anteriormente, a fase vermelha do Plano São Paulo é a mais restritiva da quarentena. Isso porque é o momento em que o local está com maior contaminação e, por isso, só liberam serviços essenciais.

Por isso, existem mais restrições. Por exemplo, não tem permissão para funcionar:

  • Shoppings, comércios e galerias;
  • Consumo local em bares e restaurantes;
  • Salões de beleza e barbearias;
  • Eventos, convenções e atividades culturais;
  • Academias de esportes e centros de ginástica;
  • Concessionárias;
  • Atividades que geram aglomeração em geral

No entanto, na fase vermelha, alguns locais são permitidos mediante protocolo, como:

  • Igrejas e atividades religiosas;
  • Supermercados, padarias e açougues;
  • Serviços de saúde – incluindo farmácias e clínicas;
  • Transporte público, e
  • Bancos.

Além disso, alguns serviços também estarão disponíveis para a população:

  • Bares, lanchonetes e restaurantes apenas serviços de entrega ou de drive thru;
  • Serviços de abastecimento;
  • Serviços gerais – lavanderias, limpeza, hotéis, manutenção, zeladoria, entre outros – todos seguindo os protocolos;
  • Por fim, serviços de logística.

Quando deve acontecer a próxima classificação?

Em evento, a secretária de Desenvolvimento Econômico do estado, Patrícia Ellen, afirmou que a nova classificação das fases vai acontecer em 7 de janeiro.

No entanto, é importante lembrar que nenhuma região do estado de São Paulo tem autorização para voltar para a fase verde. Isso porque de acordo com Patrícia nós “não estamos no momento de festas nem de aglomerações”

Leia também – IPVA SP 2021: confira calendário de pagamento do imposto

O que é Plano São Paulo?

No segundo semestre do ano, o governo de São Paulo dividiu o estado em 17 Departamentos Regionais de Saúde e estabeleceu uma escala com cinco níveis para a abertura econômica.

Essas fases fazem parte do Plano de São Paulo para abrir o comércio e serviços não essenciais de forma gradual.

No entanto, cada região tem uma cerca autonomia para diminuir ou aumentar as restrições, de acordo com limites estabelecidos pelo Estado e com todos os pré-requisitos.

Além disso, é importante lembrar que o governo estabeleceu seis pilares para a abertura dos serviços no estado:

  • Disseminação da doença;
  • Capacidade do Sistema de Saúde;
  • Testagem e monitoramento da transmissão;
  • Protocolos e vulnerabilidade da Economia;
  • Comunicação e transparência;
  • Abordagem regional.

Por fim, cada fase leva o nome de uma cor que define a situação em que a região se encontra:

Fase vermelha

A fase vermelha é a pior das cinco. Isso porque é a fase de alerta máximo, em que a região tem uma grande contaminação e propagação da doença. Por isso, só tem permissão para abrir lugares considerados como serviços essenciais.

Fase laranja

Essa fase está um nível abaixo da vermelha, classificada como “fase de controle”. isso porque o local fica em observação, no entanto, mais serviços são liberados com restrições.

Fase amarela

Fase de flexibilização, isso porque a doença está mais controlada. Por isso, tem uma maior liberação de atividades com:

  • bares;
  • salões de beleza;
  • 60% da capacidade de restaurantes;
  • e 40% da capacidade de academias.

Fase verde

Também conhecida como etapa de abertura parcial. Isso porque é o momento com menores restrições, por conta do número decrescente de casos. Por isso, é permitido a abertura de teatros e cinemas.

Fase Azul

Por fim, a última fase da classificação do Plano São Paulo é a etapa de máximo controle da doença. Por conta disso, acontece uma liberação de todas as atividades.

Infelizmente, nesse momento, nenhuma cidade está classificada como azul.

Por fim, ficou com mais alguma dúvida sobre a fase vermelha e o Plano SP? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.