Desde seu lançamento em dezembro do ano passado, o PIX tem revolucionado o mercado de pagamentos. Entretanto, ainda existem dúvidas sobre como prosseguir caso alguma transferência seja feita de forma errada

Em parceria com o C6 Bank, o IBOPEdtm realizou um levantamento que apontou o PIX como o meio de pagamentos que os brasileiros mais tem preferência em utilizar. Assim sendo, aproximadamente 60% dos entrevistados preferem o PIX, em relação ao DOC e o TED.

A nova implementação do Banco Central (BC) é instantânea e permite o pagamento de contas, pagamento em estabelecimentos via QR Code e transferências para bancos distintos. Além disso, todas essas funcionalidades estão disponíveis em qualquer horário do dia e em qualquer dia da semana (incluindo feriados e finais de semana).

Por essa razão, o PIX se mostra tão eficiente se comparado aos métodos já existentes. Em resumo, os usuários não precisam se preocupar em realizar as transações bancárias apenas no horário comercial. Pelo contrário, o PIX está disponível 24 horas por dia, durante os 7 dias da semana.

Como solicitar o empréstimo pessoal online com a FinanZero?

Como recuperar um PIX errado?

Uma vez que a confirmação do PIX é feita, não há como recuperar o valor transferido. Porém, o consumidor pode entrar em contato com o recebedor para negociar a devolução do valor. Na prática, o acordo é feito para que o indivíduo que recebeu o valor equivocadamente, possa transferir o dinheiro de volta ao remetente.

Isso acontece pois, conforme mencionado, o PIX é um sistema de pagamentos instantâneo. Nesse sentido, uma vez que o valor é confirmado, a transação é feita quase que no mesmo minuto. Por isso, a dica é que antes de confirmar a operação, os usuários verifiquem a chave de transferência do destinatário.

Como evitar golpes no PIX?

Como cancelar a transferência pelo PIX?

Assim como já citado, a única forma de receber o valor que já foi confirmado, é contatando o próprio recebedor e fazendo o devido acordo com ele. Contudo, caso o usuário faça transferência com algum dado incorreto – nesse caso, inexistente – é possível contatar o próprio banco e solicitar o reembolso.

Por exemplo, o usuário X iria transferir um determinado valor para a chave 1234 e inseriu que a chave era apenas 123. Então, os dados foram inseridos incorretamente e o valor não vai chegar na conta de destino, visto que, as informações não coincidem. Sendo assim, o pagador pode entrar em contato diretamente com o banco e solicitar a devolução. Esse processo é bem similar aos erros em TEDs e DOCs.

O real digital brasileiro vai substituir a moeda física?

Consigo estornar o valor do PIX?

O valor das transferências também não pode ser estornado, dado que, as operações são imediatas. A principal dica nesse ponto é que antes de digitar a senha de 4 dígitos na última etapa, seja feita uma revisão dos dados de envio ao destinatário que se pretende encaminhar o dinheiro.

Também é válido ressaltar a importância em conferir as chaves cadastradas. A ideia do PIX é justamente evitar que o indivíduo tenha que inserir agência, número da conta e CPF. Logo, apenas com a chave cadastrada os usuários conseguem realizar as transações. As chaves de cadastramento disponibilizadas pelo BC foram:

  • CPF;
  • Celular;
  • E-mail;
  • Chave aleatória.

Em suma, com apenas uma dessas chaves o remetente consegue transferir o valor desejado ao destinatário. Por isso, a chance de ocorrerem erros é mais baixa, uma vez que, não há necessidade de inserir muitos dados para que a operação seja realizada.

O que acontece se eu não devolver o auxílio emergencial?

Por fim, ficou com dúvidas sobre o PIX? Se sim, deixe aqui nos comentários que a FinanZero te ajuda.

Ademais, siga a FinanZero nas redes sociais para mais dicas e para nos acionar quando quiser: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.