Alta nos principais Índices calculados pela FGV. Saiba mais

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10), que é calculado pela FGV (Fundação Getulio Vargas), subiu 4,34% em setembro. Em agosto, o índice já tinha alcançado 2,53%. O resultado demonstra que o índice acumulou alta de 13,98% no ano e de 17,03% em 12 meses.

De acordo com André Braz, Coordenador dos Índices de Preços: “A alta do índice de preço ao produtor continua sendo o principal responsável pela aceleração do IGP-10”. A informação foi divulgada em nota pela FVG.

Mas o que são todos esses índices?

Veja mais – Simule seu empréstimo e encontre as melhores taxas de juros do mercado!

Índice de Preços

Um índice é utilizado para mensurar o comportamento dos preços dos produtos ou serviços de um determinado setor ou categoria da economia. A ideia é mostrar quando existe uma mudança neles, tanto em relação as quedas ou aumentos.

Além disso, normalmente é apresentado como eles se relacionam com outras atividades da economia. Eles podem ser comparados ou analisados separadamente, dependendo do que está sendo estudado.

Índice Geral de Preços – 10

O IGP-10 registra a inflação dos preços desde matérias-primas até bens de serviços. Ele calcula os preços ao consumidor, produtor e na construção civil entre o dia 11 do mês anterior e o dia 10 do mês atual.

Serve basicamente para reajustes de tarifas públicas, contratos de aluguel e seguros de saúde. Ele é formado a partir de outros índices: 60% do IPA-10, 30% do IPC-10 e 10% do INCC-10. E abrange toda a população sem restrições de renda.

Veja mais – Bolsonaro veta perdão a dívida de igrejas

Índice de Preços ao Produtor Amplo

Como dito anteriormente, o IPA corresponde a 60% do índice geral. Além disso, ele mede a variação dos preços de produtos do agronegócio e da indústria no setor de atacado.

Em setembro, o IPA subiu 5,99%. Em agosto, o índice tinha registrado taxa de 3,38%. Todos os grupos componentes do IPA registraram aumento nas taxas de variação em setembro.

“O IPA segue influenciado pelos preços de grandes commoditieis tais como minério de ferro (16,01%), soja (13,47%) e milho (15,20%). Juntos esses produtos responderam por 48% da alta do indicador nesta apuração”, ressaltou André Braz.

Glossário: O que são commodities?
A palavra Commodities significa mercadoria. Basicamente são produtos que funcionam como uma matéria-prima, geralmente produzidos em larga escala

Índice de Preços ao Consumidor

O IPC responde por 30% do índice geral e mede a variação de preços de um conjunto de bens e serviços de famílias com nível de renda entre 1 e 33 salários mínimos mensais, isto é, entre R$ 1.045 e R$ 34.485.

Ele serve como uma avaliação do poder de compra dos consumidores. A pesquisa dele é realizada diariamente, cobrindo São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília.

Em setembro, ele subiu 0,46%, depois de já ter avançado 0,48% em agosto. O grupo de Saúde e Cuidados Pessoais passou de ganho de 0,50% em agosto para queda de 0,34% em setembro, sendo a maior contribuição para desaceleração do IPC.

Além disso, outros grupos também tiveram variações:

  • Plano e Seguro de Saúde – taxa passou de 0,60% para -2,40%;
  • Comunicação – taxa passou de 0,72% para 0,01%;
  • Transportes – de 1,14% para 0,91%;
  • Habitação – de 0,64% para 0,50%;
  • Vestuário, de -0,25% para -0,35%,
  • Despesas Diversas – de 0,42% para 0,30%.

Índice Nacional de Custo da Construção (INCC)

O INCC é o principal indicador do custo da construção civil no Brasil. Ele mede a variação de preços nas construções habitacionais em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília.

Em setembro, o INCC variou 0,80% ante 1,01% em agosto. Os três grupos do índice registraram variações, como:

  • Materiais e Equipamentos – de 1,33% em agosto para 2,03% em setembro;
  • Serviços – de 0,25% para 0,01%;
  • Mão de Obra – de 0,93% para 0,08%.

Ficou com mais alguma dúvida sobre a alta nos índices? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.