4,7% é o estimado de queda do PIB de 2020, e isso demonstra como a econômica do País permanece frágil

Foi divulgado recentemente que o Ministério da Economia manteve em 4,7% de queda a estimativa para o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020.

Essa é a mesma previsão da grade de parâmetros divulgada no mês de julho. O cálculo final sob o PIB foi elaborado pela Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia.

Entretanto a estimativa para a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi alterada para 1,83% em 2020, ante 1,60% previsto anteriormente. Para o ano que vem, a estimativa é de 2,94% de aumento.

Demais índices econômicos

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), também calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), deverá ficar em 2,35% de alta neste ano, ante os 2,09% projetados em julho, segundo a SPE. Para 2021, a projeção é 3,08% de elevação.

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), da Fundação Getulio Vargas (FGV), deverá fechar o ano em 13,02% de avanço, ante 6,58% estimados em julho. Para o ano que vem, a alta projetada é de 4,18%.

O que influência o PIB?

Os fatores que influenciam o PIB são:

Consumo da população

Quanto mais as pessoas gastam em compras no geral, mais o PIB aumenta. Contudo, se o consumo é menor, o PIB tem uma tendência de queda cada vez maior.

Média salarial da população

Isso porque o consumo é dependente dos dos salários e dos juros que o dinheiro tem a capacidade de gerar. Se as pessoas ganham mais e pagam menos juros nas prestações, o consumo é maior e o PIB, dessa forma, acaba crescendo. Mas com salário baixo e juro alto, o gasto pessoal cai e o PIB, consequentemente, também. Por isso, os juros atrapalham o crescimento do país.

Veja também – PIB cai 9,7% no segundo trimestre de 2020

Investimentos

Se as empresas crescem elas:

  • compram máquinas
  • expandem atividades
  • contratam trabalhadores;
  • movimentam a economia.

Os juros altos também atrapalham nesse caso: os empresários não gastam tanto se tiverem de pagar muito pelos empréstimos para investir em seus negócios. Os gastos do governo são outro fator que impulsiona muito o PIB.

Quando as pessoas estão dispostas a fazem obras, como:

São contratados operários e é gasto material de construção, o que ele eleva a produção geral da economia, logo todo mundo tem o poder de influenciar a economia e o PIB.

Exportações

As exportações também fazem o PIB crescer de forma óbvia, pois mais dinheiro entra no país e é gasto em investimentos e consumo aumenta.

Veja também – Simule seu empréstimo pessoal e receba ofertas pré-aprovadas em até 5 minutos!

Quais os setores da economia são responsáveis pelo PIB?

O desempenho do PIB é decorrente da performance principal emente de três setores que o compõem a economia. São eles:

  • Agropecuária;
  • Indústria;
  • Serviços
Agropecuária
A agropecuária é um conjunto de atividades primárias, estando diretamente associada ao cultivo de plantas (agricultura) e à criação de animais (pecuária) para o consumo humano ou para o fornecimento de matérias-primas na fabricação de utensílio como: roupas, medicamentos, biocombustíveis, produtos de beleza, entre outros.
Indústria
A Indústria pode ser definida como um conjunto de atividades econômicas que têm por fim a manipulação e exploração de matérias-primas e fontes energéticas, bem como a transformação de produtos semiacabados em bens de produção ou, até mesmo, de consumo.
Serviços
Serviços são subsetores que intermeiam as necessidades do consumidor em todas as áreas. Como por exemplo: comércios, correios, transportes, saúde e educação.

Ficou com mais alguma dúvida sobre saiba como o PIB está relacionado com o nosso dia a dia? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.