Pandemia derruba PIB em 9,7% no segundo trimestre e país soma dois trimestres consecutivos de queda

Pelo segundo trimestre consecutivo, o PIB está em retração. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o produto interno bruto caiu 9,7% entre abril e junho. A informação foi divulgada nesta terça (1).

A queda é recorde e confirma expectativa do mercado financeiro e do governo, que estimava queda do PIB do trimestre entre 8 e 10% em função do fechamento do comércio durante os meses de pico da pandemia de coronavírus.

Em números, o produto interno bruto somou R$ 1,653 trilhão entre abril e junho, o segundo trimestre do ano.

Simule seu empréstimo e encontre as melhores taxas de juros do mercado!

Produto interno bruto em retração

Hoje, o PIB está nos piores patamares históricos, alcançando o resultado de 2009, auge da crise econômica mundial, que teve impacto também no Brasil.

Juntando-se à queda do primeiro trimestre, o primeiro semestre do ano acumula recuo de 5,9%.

Leia mais: Nota de R$ 200 começa a circular nesta quarta

O que é PIB?

O PIB é a abreviação de produto interno bruto e é resultado da soma de todos os serviços e bens produzidos dentro do país. Ele serve como termômetro, que mede o comportamento da atividade econômica.

Todos os países calculam seu PIB, sempre somando as atividades dos estados e cidades.

Em geral, além das medições trimestrais, confere-se também o PIB anual, consolidado, como forma de mensurar o desempenho econômico do país naquele período.

Saiba também: Qual vai ser o salário mínimo de 2021?

Como o produto interno bruto interfere no dia a dia?

De forma concreta, o PIB serve apenas para atestar se a economia do país está em crescimento ou retração.

No entanto, seu aumento ou queda não estão diretamente ligados à geração de empregos ou elevação da renda média da população.

Indiretamente, a diminuição da taxa de desemprego e o aumento da renda ajudam a mover a economia, mas não são fatores determinantes para o cálculo do produto interno bruto.

Alguma dúvida sobre PIB? Comente aqui 🙂

Siga também a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.