Um dos mais importantes conceitos na macroeconomia, o PIB é um parâmetro de comparação das potências da economia dos países

O Produto Interno Bruto (PIB) é um indicador econômico que representa a soma de todos os bens e serviços produzidos em uma determinada região. Sendo um dos principais medidores da economia mundial, por meio do PIB é possível calcular o crescimento econômico de um ponto geográfico.

Por exemplo, se uma cidade tem um PIB de R$ 100 mil em um ano, e no ano seguinte apresenta um PIB de R$ 110 mil, o crescimento econômico daquela cidade foi de 10% de um ano para o outro.

No Brasil, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é o órgão responsável por apontar os dados oficiais do PIB.

O que é PIB per capita?

O PIB per capita é o PIB de uma região dividido pela quantidade de habitantes que ali residem. Ainda com o mesmo exemplo, se em uma cidade a soma de todos os bens e serviços somaram R$ 100 mil, e a cidade possui 100 habitantes, significa que o PIB per capita daquela região foi de R$ 1 mil.

PIB do Brasil (2000 a 2019)

Veja abaixo o PIB do Brasil, em valores correntes, entre os anos 2000 e 2019.

  • 2019: R$ 7,3 trilhões
  • 2018: R$ 6,8 trilhões
  • 2017: R$ 6,5 trilhões
  • 2016: R$ 6,2 trilhões
  • 2015: R$ 5,9 trilhões
  • 2014: R$ 5,7 trilhões
  • 2013: R$ 5,3 trilhões
  • 2012: R$ 4,8 trilhões
  • 2011: R$ 4,3 trilhões
  • 2010: R$ 3,8 trilhões
  • 2009: R$ 3,3 trilhões
  • 2008: R$ 3,1 trilhões
  • 2007: R$ 2,7 trilhões
  • 2006: R$ 2,4 trilhões
  • 2005: R$ 2,1 trilhões
  • 2004: R$ 1,9 trilhão
  • 2003: R$ 1,7 trilhão
  • 2002: R$ 1,4 trilhão
  • 2001: R$ 1,3 trilhão
  • 2000: R$ 1,1 trilhão

Veja também – Como comprar ações na Bolsa de Valores?

PIB do Brasil: crescimento econômico (2000 a 2019)

Veja abaixo o crescimento econômico do Brasil entre os anos 2000 e 2019.

  • 2019: 1,17%
  • 2018: 1,12%
  • 2017: 1,06%
  • 2016: -3,3%
  • 2015: -3,55%
  • 2014: 0,5%
  • 2013: 3%
  • 2012: 1,92%
  • 2011: 3,97%
  • 2010: 7,53%
  • 2009: -0,13%
  • 2008: 5,09%
  • 2007: 6,07%
  • 2006: 3,96%
  • 2005: 3,2%
  • 2004: 5,76%
  • 2003: 1,14%
  • 2002: 3,05%
  • 2001: 1,39%
  • 2000: 4,11%

PIB per capita do Brasil (2000 a 2019)

Veja abaixo o PIB per capita do Brasil, em valores correntes, entre os anos 2000 e 2019. Entre parênteses está o crescimento do indicador no período.

  • 2019: R$ 34.533,00 (0,3%)
  • 2018: R$ 32.594,68 (0,33%)
  • 2017: R$ 31.534,05 (0,25%)
  • 2016: R$ 30.399.26 (-4,10%)
  • 2015: R$ 29.323,30 (-4,35%)
  • 2014: R$ 28.500,92 (-0,35%)
  • 2013: R$ 26.520,72 (2,11%)
  • 2012: R$ 24.159,89 (1,01%)
  • 2011: R$ 22.157,26 (3,03%)
  • 2010: R$ 19.854,76 (6,52%)
  • 2009: R$ 17.190,67 (-1,08%)
  • 2008: R$ 16.194,33 (4,05%)
  • 2007: R$ 14.307,35 (4,97%)
  • 2006: R$ 12.804,82 (2,83%)
  • 2005: R$ 11.661,84 (2,03%)
  • 2004: R$ 10.639,58 (4,50%)
  • 2003: R$ 9.449,19 (-0,12%)
  • 2002: R$ 8.292,35 (1,71%)
  • 2001: R$ 7.425,42 (0,01%)
  • 2000: R$ 6.860,17 (2,91%)

PIB por trimestre

O IBGE divulga trimestralmente o PIB e o crescimento econômico do período. Em 2020, até a publicação deste artigo, não houveram publicações oficiais. Veja a alta do PIB por trimestre de 2019:

Veja também – Simule seu empréstimo e encontre as melhores taxas de juros do mercado!

O que é recessão?

A recessão é caracterizada por dois trimestres consecutivos que apresentam variação negativa do crescimento econômico de uma região. Os exemplos mais recentes de recessão que o Brasil enfrentou são de 2015 e 2016, durante o governo de Dilma Rousseff (PT):

Fonte: Banco Mundial e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Projeções do PIB

Diversas instituições financeiras divulgam suas projeções para o Produto Interno Bruto. Confira abaixo algumas destas instituições:

Ministério da Economia

O Boletim MacroFiscal feito pela equipe do Ministério da Economia traz as principais conjecturas compiladas pelo próprio Estado. Para conferir, clique aqui.

Contudo, as publicações estão em atraso, e o boletim não tem atualizações desde a metade do ano passado.

Apesar disso, a Secretaria de Política Econômica (SPE) da pasta mantém atualizadas as publicações do Panorama Macroeconômico: acesse aqui. Ambos os documentos são apresentados na esplanada dos Ministérios, no Distrito Federal.

Banco Central

Por meio de uma pesquisa com entidades do mercado financeiro, o Banco Central (BC) compila o Boletim Focus semanalmente. O relatório é publicado todas as segundas-feiras neste link.

Além do PIB, há também projeções para a inflação, o fechamento anual do dólar, da balança comercial, dentre outros indicadores.

Veja também – Quanto preciso poupar para me aposentar?

Fundação Getúlio Vargas

A instituição privada Fundação Getúlio Vargas (FGV) também divulga suas estimativas em formato de boletim, o Boletim Macro. Dentro da publicação mensal é possível ver as projeções da atividade econômica do Brasil. Para acessar, basta clicar aqui.

Itaú Unibanco

O Itaú Unibanco reúne diversas figuras do cenário econômico brasileiro em dois eventos com frequências distintas: o Itaú Macro Vision, que é anual, e o Itaú Macro Em Pauta, que é trimestral.

Os eventos discutem as projeções e análises do banco, que deixa disponível seus relatórios neste link.

Ficou com mais alguma dúvida sobre o PIB? Deixe nos comentários, e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.