Aneel teve leilão no dia 17 de dezembro e arrecadou cerca de R$ 7,3 bilhões, além de ter definido reduções em algumas usinas

O leilão de linhas de transmissão da Aneel, que aconteceu dia 17 de dezembro, ofertava 11 lotes em nove estados. O leilão contou com a presença de gigantes do setor, que é considerado de baixo risco, além disso tinha opções de financiamento de longo prazo para os projetos.

O Leilão aconteceu na sede da B3, a previsão é que esses lotes contem com a instalação de mais de 1.900 km de linhas de transmissão e subestações. Além disso, a Aneel alcançou as expectativas de arrecadar R$ 7,3 bilhões.

O prazo para iniciar as operações comerciais desses lotes varia entre 46 e 60 meses para concessões por 30 anos, a partir dos contratos. Alguns empreendimentos já estão em operação, pela Amazonas GT, que decidiu não continuar com o contrato.

De acordo com a Aneel, os contratos devem acontecer em 31 de março, e a operação deve iniciar entre setembro de 2024 e março de 2026.

Leilão dos 11 lotes

O leilão aconteceu na quinta-feira, dia 17 de dezembro, e arrecadou cerca de R$ 7,3 bilhões. Nesse evento grandes empresas participaram, entre elas a MEZ, que arrematou cinco dos 11 lotes.

Além disso, o evento atraiu 55 empresas, sendo 37 nacionais. Para o presidente da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), essa disputa mostra que o setor é considerado seguro por investidores. Mas ele também acredita que a participação pode ser pela expectativa de retomada da economia no próximo ano.

Embora a novata MEZ tenha comprado maior número de lotes, os três maiores foram para Neoenergia, ISA Cteep e Energisa. Embora tenha perdido os lotes 3 e 8 para a MES, a ISA Cteep conseguiu o segundo maior lote, com um investimento superior a R$ 1 bilhão.

Algumas empresas devem buscar lotes com empreendimentos já existentes. Como a Eletrobrás por exemplo, que tem interesse em um trecho da Amazonas GT. De acordo com o presidente da Eletrobrás a vantagem é que já está pronto.

Embora a Aneel tenha conseguido um bom retorno, muitas empresas foram mais cuidadosas, visando o retorno a longo prazo. Essa cautela das empresas do setor acontece por conta da incerteza na macroeconomia. As taxas de juros tem estado voláteis, o que faz com que os investidores sejam mais cautelosos. Sendo assim, já era esperado que a disputa fosse menor. Mas mesmo assim a expectativa foi alcançada.

Dicas para economizar na ceia de Natal? FinanZero responde

Aneel aprova redução de tarifas

A Aneel definiu a redução de valores de tarifas no dia 15 de dezembro, e deve começar em 2021. Aneel definiu uma redução de 1,18% no repasse de energia da usina de Itaipu no próximo ano. Ou seja, os consumidores das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste terão impacto na conta de luz. Entretanto, esse impacto também irá depender do valor do dólar.

Não só a usina de Itaipu, como também as usinas Angra 1 e Angra 2 terão redução. Para as usinas de Angra a redução está prevista para 8,1% em 2021.

Enquanto em Rondônia, a redução da Aneel deve ser de 11,29% em média, o desconto para alta tensão será de 16% e os de baixa tensão será de 9,85%. Embora as medidas anteriores comecem a valer no próximo ano, as para Rondônia começou já em 13 dezembro de 2020, e deve continuar pelos próximos 12 meses.

Entende-se por consumidores de alta tensão as indústrias e comércios, enquanto os de baixa tensão são as residências. O relator para a redução em Rondônia atribui a redução a ações do Governo Federal, como a medida provisória 998. Essas ações visam reduzir impactos do ajuste de tarifas e a pandemia.

Empréstimo com score baixo é possível?

Então, ficou com alguma dúvida sobre o leilão da Aneel ou reduções? Pergunte nos comentários.

E, por fim, não esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram; FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.