(atualização 08/04/2020) – Confira as principais características do cartão de crédito e de débito

O cartão de débito e o cartão de crédito são dois meios de pagamentos muito comuns entre os brasileiros. E ambos possuem vantagens e desvantagens singulares. Saber qual o melhor método de pagamento irá depender do planejamento financeiro de cada consumidor e quais serão as compras realizadas.

Para entender melhor como funciona essas duas modalidades e quais são as vantagens e desvantagens que elas levam ao consumidor, a redação da FinanZero preparou algumas dicas e informações que podem ajudar na organização financeira.

Veja também – Como conseguir um cartão de crédito para negativado?

Qual a diferença entre crédito e débito?

A pesquisa mais recente do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) revelou que cerca de 52 milhões de brasileiros utilizam o cartão de crédito como forma de pagamento primária. Além disso, todas as pessoas com conta em banco tem a opção de possuir um cartão de débito. Por isso, compreender a diferença entre o cartão de crédito e débito é essencial para saber como administrar as finanças pessoais.

Ambos os cartões oferecem benefícios e facilidades para o usuário, mas de formas opostas. Isso porque, o principal fator que diferencia um do outro é como os cartões utilizam o dinheiro. Pois um cartão de débito usa o dinheiro que estiver presente na conta bancária, pode ser o valor do salário, dinheiro da conta poupança ou crédito atribuído graças ao cheque especial. Mas, só dá para usar o cartão débito enquanto há recursos na conta.

Entretanto um cartão de crédito vai permitir ao consumidor que utilize um limite que é oferecido pelo banco. Isto porque o cartão de crédito usa, apenas, uma linha de crédito pré aprovada. Ao solicitar um cartão dessa modalidade é realizada uma análise de crédito que irá definir um valor o qual o consumidor poderá gastar todos os meses mediante ao pagamento do mesmo no próximo mês. Além disso, esse cartão conta com:

  • pagamento de juros caso haja atraso para quitar a fatura;
  • em alguns casos: anuidade mensal ou anual para usufruir dos benefícios do cartão de crédito;
  • tarifas diversas que podem ser cobradas de acordo com o contrato entre a instituição financeira credora e o solicitante.

Veja também – Simule seu empréstimo pessoal e receba ofertas pré-aprovadas em até 5 minutos!

O que é um cartão de débito?

Os cartões de débito são mais fáceis de conseguir. Pois, a grande maioria das contas bancárias (corrente e poupança) oferecem esse recurso ao cliente já que um está atrelado ao outro. Os cartões de débito funcionam da seguinte forma:

  • Um consumidor realiza uma compra, e solicita que passe o valor no cartão na modalidade débito.
  • Após o cliente colocar a senha de seu cartão, o valor liberado pela compra sai da conta do consumidor.
  • Esse valor vai automaticamente para a conta de quem realizou a cobrança.

Para que essa operação seja concluída com sucesso é importante manter a conta do cartão de débito com saldo positivo, para se certificar que não irá dar compra recusada por falta de recursos. Além disso, alguns bancos pode colocar o cheque especial como apoio ao crédito da conta, e mesmo sem ter o dinheiro a compra é aprovada. Contudo, o consumidor precisará arcar com os juros do crédito ofertado por meio do cheque especial.

O cartão de débito possibilita ao cliente gastar apenas o necessário sem acumular dívidas para o próximo mês. Além disso, é fácil consultar o saldo da conta que o cartão está vinculado, para isso o consumidor pode instalar o aplicativo da instituição financeira ou se dirigir até o caixa eletrônico de autoatendimento mais próximo.

O que é um cartão pré-pago?

Um tipo de cartão de débito não muito convencional são os cartões pré-pagos. Eles podem ser comprados em lojas de conveniência e não precisam de uma conta por trás deles. Basta o consumidor cadastrar o número do cartão comprado no próprio nome, por meio da central ou do site do cartão em questão.

Depois de cadastrado, basta transferir a quantia que deseja usar, que se torna um saldo dentro do próprio cartão. Esse saldo pode ser usado deliberadamente, pois cada compra realizada desconta o valor sem juros ou multas.

O que é um cartão de crédito?

Um cartão de crédito é uma forma de pagamento que permite tomar dinheiro emprestado ao fazer uma compra ou pagamento. Isso porque, o usuário usa o cartão para fazer suas transações e somente no próximo mês o valor gasto será ressarcido para a instituição bancária.

Caso o cliente não realizar o pagamento na data de vencimento de sua fatura todo o dinheiro que foi gastos terá juros sobre o que não foi pago. Exemplo: se foi usado o valor de R$500 do limite do cartão, e foi pagou R$400, o consumidor pagará juros sobre R$100 no mês seguinte, os chamados juros retroativos.

Através de um cartão de crédito, é também possível parcelar compras. Isso porque seu limite de crédito do cartão estará separando, todos os meses, o valor correspondente à parcela da compra para pagá-la. O limite entregue

O limite de um cartão de crédito é o valor total da linha de crédito que o cartão disponibiliza. É como se um empréstimo estivesse sempre disponível e que, se o usuário não tiver cuidado, pode ficar mais endividado do que ao usar seu cartão de débito e o cheque especial.

Quais são as vantagens do cartão de crédito?

  • Prazo para pagamento: para os consumidores bem organizados, o prazo de pagamento do cartão, de até 40 dias corridos.
  • Parcelamento sem juros: para quem precisa comprar algo com alto valor agregado essa função pode otimizar a compra dos consumidores que não possuem a totalidade dos recursos em mãos.
  • Segurança: por ser apenas um pedaço de plástico, o cartão de crédito permite que o usuário ande com grandes quantias de dinheiro, que só podem ser liberadas mediante a senha. Além disso, no caso de perda ou furto é possível cancelar rapidamente.
  • Milhas e descontos: o usuário constante do cartão de crédito pode acumular milhas e conseguir grandes descontos e benefícios o que ajuda nas finanças.
  • Compras online: a comodidade tem muita relevância. E o cartão de crédito contribui com isso, uma vez que ele permite a compra de bens no conforto de casa.

Quais são as desvantagens do cartão de crédito?

  • Taxas de juros: as taxas incidem quando não há pagamento total da fatura e variam de acordo com a instituição financeira. Nesse ponto, a facilidade do crédito pode ser um vilão. Por isso, o consumidor precisa se programar para não pagar mais do que deveria.
  • Complemento de renda: muita gente usa o cartão de crédito como, ainda que inconscientemente, como renda extra. Vale lembrar que o limite do cartão não é renda extra.
  • Fraude: apesar de facilmente identificadas, ainda há muitas fraudes de cartão de crédito. Principalmente em épocas festivas como o carnaval.
  • Descontrole: o cartão de crédito incita que o consumidor passe pequenas compras no cartão de crédito, com a sensação que a fatura virá com um valor baixo. Aí ocorre o descontrole que gera altas faturas de compras desnecessárias.

Quais são as vantagens do cartão de débito?

  • Conveniência e segurança: o usuário não precisa carregar dinheiro e nem cheque quando sai de casa.
  • Sem dívidas posteriores: o pagamento é realizado à vista.
  • Alta aceitação comercial: os cartões de débito são mais aceitos em compras por atacado ou com descontos.
  • Planejamento financeiro: o consumidor não irá gastar mais do que tem em sua conta.

Quais são as desvantagens do cartão de débito?

  • Cheque especial: caso o consumidor passe uma compra com valor mais alto que o dinheiro que está na conta o banco pode oferecer o cheque especial, o qual conta com altos juros mensais,
  • Sem parcelamento: como só pode comprar à vista com o cartão de débito, é impossível conseguir parcelar uma compra.
  • Vínculo com a instituição financeira: com exceção do cartão pré-pago, todos os cartões de débito precisam de um vínculo com conta bancária.

Ficou com mais alguma dúvida sobre cartão de crédito? Deixe nos comentários, e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.