Beneficiários do Bolsa Família começam a receber terceira parcela do auxílio emergencial residual. Confira calendário

Nesta terça-feira (17), a Caixa Econômica Federal inicia o pagamento da oitava parcela do auxílio emergencial, isto é, a terceira com o valor de R$ 300 para quem faz parte do programa do Bolsa Família.

No entanto, neste dia 17, os pagamentos serão realizados apenas para aqueles que tem o NIS (Número de Identificação Social) terminado em 1.

Além disso, os pagamentos da 8ª parcela seguem até dia 30 de novembro, conforme calendário divulgado pela Caixa. E, por isso, de acordo com a instituição financeira, até sexta-feira (20), 6,4 milhões de brasileiros vão receber o benefício do auxílio emergencial.

Veja mais – Simule seu empréstimo e encontre as melhores taxas de juros do mercado!

Calendário das próximas parcelas

A Caixa Econômica liberou o calendário de pagamento do auxílio emergencial residual para beneficiários do Bolsa Família em setembro. Isso porque o pagamento para esse grupo segue calendário do programa, isto é, sempre nos dez últimos dias úteis do mês, de acordo com o final do NIS.

Glossário: o que é auxílio emergencial residual?
O auxílio emergencial residual nada mais é do que a prorrogação do benefício. O valor foi reduzido para R$ 300, sendo ao todo quatro parcelas com pagamentos até o mês de dezembro

Por isso, o pagamento das quatro parcelas extras do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família teve início em 17 de setembro, com o pagamento da 6ª parcela. E, por fim, está previsto que termine em 23 de dezembro, quando os últimos beneficiários vão receber a 9ª parcela.

No entanto, é importante lembrar que esse calendário não é válido para quem não faz parte do Bolsa Família. Isso porque outros brasileiros que recebem o auxílio emergencial devem seguir outro calendário.

8ª parcela do auxílio emergencial

A 8ª parcela corresponde a 3ª parcela do auxílio emergencial residual, ou seja, ao benefício no valor de R$ 300 (R$ 600 para mães chefes de família).

Por isso, o pagamento dessa parcela tem início nesta terça-feira (17) e termina em 30 de novembro. No entanto, como dito anteriormente, esse calendário só é válido para brasileiros que recebem o Bolsa Família.

NIS terminado em:Data de pagamento:
117 de novembro
218 de novembro
319 de novembro
420 de novembro
523 de novembro
624 de novembro
725 de novembro
826 de novembro
927 de novembro
030 de novembro

Além disso, veja também – Auxílio emergencial: calendário de pagamentos de R$ 300

9ª parcela do auxílio emergencial

Por fim, a 9ª parcela corresponde a 4ª parcela do auxílio emergencial residual, ou seja, ao benefício no valor de R$ 300 (R$ 600 para mães chefes de família).

Por isso, o pagamento dessa parcela tem início no começo de dezembro, isto é, dia 10 e termina em 23 de dezembro. No entanto, como dito anteriormente, esse calendário só é válido para brasileiros que recebem o Bolsa Família.

Além disso, é importante ressaltar que essa é a última parcela da prorrogação do benefício. Isso porque de acordo com o governo federal o pagamento do auxílio emergencial deve ser finalizado em dezembro de 2020.

NIS terminado em:Data de pagamento:
110 de dezembro
211 de dezembro
314 de dezembro
415 de dezembro
516 de dezembro
617 de dezembro
718 de dezembro
821 de dezembro
922 de dezembro
023 de dezembro

Leia também – O que é o programa de crédito de 2021 do Governo Federal?

Auxílio emergencial até 2021?

O auxílio emergencial pago aos brasileiros já está com data para finalizar: dezembro deste ano. Por isso, a previsão é que o governo pague as quatro parcelas da prorrogação até o final do ano, mas que depois não de continuidade.

No entanto, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou na última terça-feira (10) que o auxílio emergencial pode ser pago para a população em 2021. Isso porque a equipe econômica está preocupada em manter os brasileiros durante uma possível segunda onda do novo coronavírus.

Além disso, de acordo com o Estadão, a equipe econômica do governo está organizando os gatos para o final deste ano. Por isso, o Ministério da Economia deve publicar uma portaria delimitando quais serão os gastos com a pandemia para o ano que vem.

Contudo, ainda não há uma definição do que deve acontecer. E, por isso, o governo está sendo cobrado pela demora para apresentar uma proposta.

Ficou com mais alguma dúvida sobre o calendário do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.