Bastante complexo, o cálculo exige ferramentas específicas. Aprenda a calcular os juros de empréstimo.

Aqui no blog da FinanZero, nós sempre reforçamos a importância de comparar o maior número de propostas de empréstimo. Fundamental para não cair em ciladas, este processo te permite analisar diferentes condições de prazo e de taxas para fazer um bom negócio. Mas, afinal, você sabe como calcular juros de empréstimo?

Para quem usa o simulador de empréstimo na nossa plataforma, nós fazemos questão de apresentar o valor dos juros e de outros encargos de forma bem clara e detalhada, para que você possa decidir qual a melhor oferta para o seu bolso. Mas, na dúvida, você também pode fazer o cálculo por conta própria, com a ajuda de algumas ferramentas que veremos a seguir.

A importância dos juros na comparação de empréstimos

De maneira bem simplista, fazer um empréstimo funciona como a compra de qualquer outro produto. Ou seja, além de pagar pelo produto em si — o que, no caso dos bens de consumo, inclui gastos com funcionários, impostos, matéria-prima, etc. —, o consumidor paga um valor a mais, correspondente ao lucro do empresário que fornece o produto ou serviço.

Também no caso dos empréstimos, você não paga apenas pelo valor que solicitou. Sobre ele, são acrescidos juros que garantem a estrutura e o lucro da instituição financeira. Por isso mesmo, eles variam de uma empresa para outra. Na verdade, eles variam até mesmo de cliente para cliente, dependendo do risco de inadimplência.

Na prática, conhecer e saber como calcular juros de empréstimo é importante para ter certeza do quanto você vai pagar a mais pelo dinheiro obtido. Por exemplo: digamos que você precise de um empréstimo no valor de R$ 4 mil e tenha recebido uma proposta para pagamento em 12 meses. Com taxa de juros de 6,5% ao mês. Ao final da última parcela. Você terá pago aproximadamente R$ 8.516,38. Ou seja, R$ 4.516,38 a mais do que você realmente utilizou, ou o equivalente a 112,9095 do valor emprestado.

Certo, mas, como calcular juros de empréstimo?

Segundo as regras do Banco Central, as instituições financeiras são obrigadas a dar informações claras sobre prazo. Juros e demais taxas de um empréstimo. Mas, nem sempre isso acontece, sendo comuns os casos em que empresas destacam apenas a quantidade aprovada e o valor das parcelas. Já que estas costumam ser as informações que mais chamam a atenção do consumidor. Então, como calcular juros de empréstimo?

Bom, o primeiro passo é exigir que a empresa te passe o Custo Efetivo Total (CET) da operação. Porém, você também pode chegar a esse dado por meio de uma ferramenta simples, como a Calculadora do Cidadão, disponibilizada pelo Banco Central. Veja o passo a passo:

Ao receber uma proposta, clique aqui para acessar a Calculadora do Cidadão;
Você será redirecionado para o simulador de financiamento de parcelas fixas;
No box que vai aparecer na tela, preencha na ordem: número de parcelas. Valor da prestação e o total de dinheiro que você deseja pegar emprestado, deixando o campo da taxa de juros em branco;
Clique em “calcular” e pronto! O próprio site vai te informar qual é a taxa de juros mensal. Assim como qual é o valor a mais que você pagará pelo dinheiro.

A princípio, calcular a taxa de juros de empréstimo pode parecer uma tarefa simples. Envolvendo somente uma regra de três, mas . Mas não é bem assim. Bastante complexo, o cálculo dos juros mensais corresponde a uma fórmula que engloba outras taxas, como taxa anual. Taxa período, número de períodos, etc. Sendo assim, não tente calcular na ponta do lápis. O melhor é exigir a informação da instituição financeira ou recorrer a ferramentas específicas, como a que mostramos acima.

O que é Custo Efetivo Total (CET) e por que ele deve ser considerado na hora de calcular os juros de empréstimo

A taxa de juros não é a única cobrança que recai sobre o valor do empréstimo. Além dela, a operação também está sujeita a outros valores, como encargos, tributos, etc.

À somatória de todas essas cobranças, isto é, juros + taxas + encargos + tributos + seguros. É dado o nome de Custo Efetivo Total da operação, ou CET. Dado na forma de porcentagem, trata-se de um cálculo ainda mais complexo que o da taxa de juros. A boa notícia é que as instituições financeiras também são obrigadas a informar o CET de forma clara.

Na hora de comparar dois empréstimos de mesmo valor e prazo. É muito importante olhar não só para a taxa de juros, mas também para o CET. Isso porque, digamos que uma empresa tenha juros mais em conta. Mas gastos operacionais elevados, esse empréstimo pode sair mais caro que outro com taxa de juros mais alta e menos gastos operacionais.

Empréstimo de forma clara e sem dor de cabeça é na FinanZero!

Como já dissemos, comparar o máximo de propostas de empréstimo pessoal online é fundamental para fazer um bom negócio. Para isso, você também deve ter em mãos todas as informações de cada oferta de maneira clara e sem enrolações.
Em vez de esquentar a cabeça, entrando em contato com uma empresa por vez. Aproveite que você está no site da FinanZero e utilize nossa plataforma para fazer uma simulação e receber até 10 ofertas de crédito pré-aprovadas para você! Elas já vêm com todas as informações mais importantes. Incluindo taxas de juros e CET, para você só comparar e escolher.