imposto de renda

A restituição do imposto de renda de 2020 já começou e pode ser conferida no site da Receita Federal (IR)

A Receita Federal pagou no dia 29 de maio às restituições do primeiro lote do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) 2020. Estão sendo depositados R$ 2 bilhões para 901.077 contribuintes. O primeiro lote contempla contribuintes com prioridade legal, sendo:

  • 133.171 idosos acima de 80 anos;
  • 710.275 contribuintes entre 60 e 79 anos;
  • 57.631 com alguma deficiência física ou mental.

Neste ano, o cronograma de restituições foi antecipado para maio e a quantidade de lotes reduzidos de sete para cinco lotes. A antecipação é uma iniciativa da Receita Federal para diminuir os efeitos econômicos da pandemia de Covid-19.

O último lote tem pagamento previsto para 30 de setembro. No ano passado, as restituições começam apenas no dia 17 de junho e se estenderam até 16 de dezembro.

Outra mudança feita pela Receita Federal foi no dia em que a restituição é depositada na conta do contribuinte. Normalmente o crédito bancário ocorria no dia 15 de cada mês. Neste ano, o pagamento da restituição será realizado no último dia útil do mês.

Veja também – Simule seu empréstimo e encontre as melhores taxas de juros do mercado!

Como consultar o Imposto de Renda?

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados. Nesta hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

A Receita disponibiliza também um aplicativo para:

  • tablets;
  • smartphones;

Que facilita a consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF. Com o aplicativo é possível consultar, diretamente nas bases de dados da Receita Federal, informações sobre liberação das restituições do Imposto de Renda e a situação cadastral.

A restituição fica disponível no banco durante o período de um ano. Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento da Receita por meio dos telefones:

  • 4004-0001 (capitais);
  • 0800-729-0001 (demais localidades);
  • 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos).

Para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança,no próprio nome, em qualquer banco.

Qual o calendário de restituições em 2020?

  • 29 de maio de 2020 – (1º lote);
  • 30 de junho de 2020 – (2º lote);
  • 31 de julho de 2020 – (3º lote);
  • 31 de agosto de 2020 – (4º lote);
  • 30 de setembro de 2020 – (5º lote).

É preciso declarar o Fundo de Garantia?

Apesar de esse tópico não ser uma novidade do Imposto de Renda, com a liberação do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) inativo em 2019, todos os contribuintes que receberam algum valor inativo precisa justificá-lo.

Embora o FGTS seja um rendimento isento de tributação, sem cobranças de taxas, o contribuinte precisa colocar no IR pois, assim a Receita Federal consegue acompanhar o fluxo de caixa do declarante. O valor de resgate é informado no ato do preenchimento, na aba “Rendimentos isentos e não tributáveis”, no item 04.

Receita Federal já liberou a consulta do lote residual de restituição?

Sim. A Receita Federal abriu no dia 7 de maio a consulta ao lote multiexercício de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física, contemplando as restituições residuais referentes aos exercícios de 2008 a 2019.

O crédito bancário para 87.066 contribuintes será realizado no dia 15 de abril, totalizando mais de R$ 163 milhões. Desse total, R$ 75.821.405,38 referem-se aos contribuintes com prefererência no recebimento: 1.854 idosos acima de 80 anos, 11.966 com idade entre 60 e 79 anos, 1.628 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou doença grave e 6.427 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Ficou com mais alguma dúvida sobre como consultar o valor da restituição do Imposto de Renda? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.