O final e começo de ano são épocas cheias de gastos, então planejar o 13° pode te salvar de algumas enrolações

Em novembro chega a primeira parcela do aguardado 13°, logo depois a black friday. Então muitos brasileiros ficam com a dúvida de como usar esse dinheiro, ou investir.

Hoje o José Daniel, nosso Analista de Marketing, vai falar um pouco sobre como ele planeja e usa o 13° dele.

“Meu plano para o 13°, que é um valor bem alto, é sempre pegar uma quantia logo que recebo e já coloco pra poupar. No meu caso investir, porque eu invisto em ações, para já investir antes de gastar. Eu invisto cerca de um sexto do meu 13°.

Na verdade depende muito de como a gente estrutura nossas contas, porque se você só focar em quando você recebe o 13° não adianta. Você tem que estruturar como vão ser seus gastos durante todo o ano. Não 100%, mas ter um planejamento pelo menos.

Como a economia solidária pode melhorar o Brasil? FinanZero responde

A gente pode segmentar em duas situações, a pessoa que está endividada, que está com as contas atrasadas. Aí, ao meu ver, o ideal seria essa pessoa tentar pagar essas contas. Se a dívida for muito alta, melhor ela pegar o 13° e tentar quitar todas as pequenas. Pra ficar menos afogada, porque aí já diminui a quantidade de contas.

Depois essa pessoa pode tentar renegociar as dívidas para o próximo ano e já planejar pro ano seguinte. Porque o 13° é traiçoeiro, é num período próximo a black friday, um período que estimula o consumo e movimenta o mercado. Porém um mês, um mês e meio depois, já começam os impostos de começo de ano, que seriam IPTU, IPVA, ou se a pessoa tiver filhos ou estiver estudando, pagar rematrícula e material escolar.

“…se você só focar em quando você recebe o 13° não adianta. Você tem que estruturar como vão ser seus gastos durante todo o ano”

Vale a pena a pessoa já estruturar os gastos pro próximo ano, para já não começar com dívidas acumuladas.

O outro segmento seria de quem está com as contas em dia, não está muito apertado. Ao meu ver o essencial seria ele receber o 13°, já separar uma parte pra quitar parcela de IPTU, IPVA, as coisas obrigatórias do começo de janeiro.

Separar também uma parte desse 13° para economizar pode ser bom, mas essa porcentagem vai depender muito do salário da pessoa. Isso vai te ajudar a se planejar melhor, porque você vai ter um dinheiro de reserva, caso aconteça algum imprevisto ao longo do próximo ano. A ideia é sempre pensar no ano seguinte.

E o restante seria pra fazer compras necessárias, aproveitar black friday, que em tese os produtos estão em promoção. Aí já adiantar compras de final de ano porque, provavelmente, depois o preço aumenta.

Foque-se em planejar mesmo o próximo ano, não entrar em desespero de “recebi o dinheiro, vou gastar”. Sempre pense em como você está e estruture para o próximo ano, para você ficar numa situação financeira melhor.

Para mim coisas como viagens ficam em segundo plano. A única vez que eu planejei veio o Covid e acabou com tudo: ima semana antes da viagem começou o lockdown.

“Sempre pensar em como você está e estruturar pro próximo ano, para você ficar numa situação financeira melhor.”

Se você gosta de viajar, você deve ter essa viagem já planejada, em vez de receber o 13° e querer comprar na hora. Isso tem que estar planejado, porque durante a viagem você gasta também. A ideia é você já ter estruturado para esses gastos entrarem como se fossem custos fixos que você já planejou.

É como se fosse uma conta fixa, como IPTU, uma viagem ou curso que você quer fazer. Você já deixa uma parcela guardada, para ajudar a pagar isso. Tanto você guarda pro IPTU do próximo mês, como também guarda um pouco pra pagar a viagem ou o curso, ou qualquer coisa que você focou em você.

Eu costumo economizar ao longo do ano pra não ficar endividado, evito usar cartão de crédito. Então eu não fico no desespero de pagar as contas de início de ano, mas sempre guardo um pouco para se precisar.

O ideal pra quem vai comprar coisas e também quer guardar um pouco é disponibilizar um limite pra gastar no final do ano. Procurar promoções, se for comprar comidas por exemplo, ver lugares mais baratos e não se deixar levar pela praticidade de um mercado perto de casa.

“O ideal não é só planejar o 13°, mas ter um planejamento do ano, não adianta planejar só o final do ano”

Se possível, deixa mais uma quantia na reserva, além do que for investir, pra se precisar. E sempre ter controle emocional na hora a compra, eu sei que é difícil, mas tentar comprar só o que for necessário.

Entrar na pandemia mudou um pouco meus planejamentos, foi um ano atípico, mas não perdi tanto o controle. O que mudou mais foi o quanto eu deixei pra investimento: planejava uma quantia maior, mas, por segurança, coloquei uma menor pra deixar mais dinheiro disponível. Deixei uma reserva de emergência maior do que eu colocaria para investimento.

O ideal não é só planejar o 13°, mas ter um planejamento do ano, não adianta planejar só o final do ano.

Casar com pouco dinheiro é possível? FinanZero Responde

E você economizou seu 13°? Se tiver alguma dúvida é só perguntar nos comentários.

Além disso, veja mais dicas lá nas nossas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.