Saiba como conferir se o CPF foi usado em uma fraude de solicitação do auxílio emergencial do Governo

Os brasileiros estão cada vez mais suspeitado de fraudes no pedido do auxílio emergencial, quando se diz respeito ao próprio número de Cadastro de Pessoa Física (CPF). Isso porque, está havendo fraudes de dados por todo o País, para a realização do pedido do auxílio emergencial.

Mas, quem suspeita que seus dados estão sendo usados indevidamente podem consultar a página do benefício para verificar as informações. Nessa página, o cidadão deve informar:

  • Cadastro de Pessoa Física (CPF);
  • Nome completo;
  • Nome da mãe;
  • Data de nascimento.

Segundo as informações passadas pela Caixa Econômica Federal , após consultar os dados no site do benefício, há cinco respostas possíveis para o pedido de auxílio que podem ajudar a entender se há algo de errado com o cadastro.

Veja também – A 2ª parcela do auxílio emergencial foi cancelada, e agora?

Veja as respostas possíveis indicadas:

Benefício aprovado

Nesse caso o cidadão ele é elegível a receber o valor do auxílio emergencial. A data de envio para a Caixa não representa a data efetiva do pagamento do benefício. O calendário de pagamento dos beneficiários deverá ser consultado diretamente no site da Caixa.

Caso o benefício apareça a aprovação, mas a pessoa não solicitou o benefício, isso demonstra que os dados estão sendo usados por fraudes.

Benefício não aprovado

Significa que o cidadão não é elegível a receber o valor do auxílio emergencial do Governo. Na mesma tela, o cidadão poderá verificar qual critério não foi atendido, motivo que causou a sua inelegibilidade ao benefício, e se o cadastramento já havia sido feito anteriormente.

Veja também – Simule seu empréstimo e encontre as melhores taxas de juros do mercado!

Requerimento não encontrado

No caso de o requerimento do cidadão ainda não ter sido recebido pela Dataprev, é apresentada a mensagem “Requerimento não encontrado”.

Isso significa que o requerimento foi previamente retido: A mensagem diz que o cadastro foi retido pela equipe de homologação do Ministério da Cidadania em função da complexidade de cenários e cruzamentos. Com isso, será realizado novo reprocessamento das informações as quais irão conferir se há problemas ou fraudes.

Dados inconclusivos

Caso o sistema identifique problemas nos dados do cidadão que impeçam a análise para concessão do benefício, o sistema por meio da avaliação efetuada vai orientar que se realize um novo requerimento no site da Caixa para complementar ou confirmar seus dados cadastrais ou de sua família

Sendo assim, observando essas respostas mencionadas acima, é possível saber se alguém usou os dados indevidamente para solicitar o benefício do Governo.

Segundo o Ministério da Cidadania, em casos suspeitos de fraude no auxílio emergencial, o cidadão deve registrar denúncia no sistema Fala.Br (Plataforma integrada de Ouvidoria e Acesso à Informação da Controladoria Geral da União – CGU), disponível na internet ou pelos telefones seguintes telefones:

  • 121;
  • 0800 7070 2003.

Veja também – Mães menores de idade podem pedir o auxílio emergencial?

‘CPF já cadastrado’: candidatos acusam erro em aplicativo da Caixa para pedir auxílio emergencial. O que fazer?

A mensagem de que os CPFs já teriam sido utilizados aparecem tanto para quem tenta pela primeira vez se inscrever para ter o benefício quanto para quem já se cadastrou, mas recebeu a indicação do próprio sistema de que deveria repetir o procedimento.

Nesse caso, a pessoa precisa:

  • Fazer uma denúncia para a Caixa por meio do site, ou ligar para as centrais oficiais da Caixa.
  • Em, ultimo caso, fazer um Boletim de Ocorrência que determine que os dados da pessoa foram pegos ilegalmente.

Ficou com mais alguma dúvida sobre CPF usado indevidamente no auxilio emergencial. O que fazer? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.