Brasil é o 4º país com mais desemprego de longa duração entre países da OCDE, diz IBGE

O Brasil tem uma das maiores proporções de pessoas atrás de emprego há mais de um ano. Isso é visto como desemprego de longa data, num comparativo com países da OCDE, mostra a Síntese de Indicadores Sociais, divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com isso, do total da força de trabalho, 5,1% estava em busca de trabalho havia um ano ou mais em 2018. Essa proporção é superada apenas na:

  • Itália (6,3%),
  • Espanha (6,4%)
  • Grécia (13,6%)

Segundo o levantamento disponibilizado pelo IBGE. Isso coloca o país em 34º lugar de 37 países.

O desemprego de longa duração preocupa especialistas.

Em geral, quanto mais tempo desempregado, menor a chance de conseguir uma colocação.

O menor índice de desemprego de longa duração está no México (0,1%) e na Coreia do Sul (0,1%), seguidos por Israel (0,3%) e Islândia (0,3%). Nos EUA, a taxa de desemprego de longa duração era de 0,5%, segundo a OCDE, considerando os dados disponíveis de 2018.

Seguro-desemprego

Para receber é preciso estar dentro de alguns critérios:

  • Dispensa sem justa causa;
  • Estar desempregado no momento do requerimento do benefício;
  • Não ter renda própria para o sustento de sua família;
  • Não receber nenhum outro benefício de prestação continuada do INSS – exceto pensão por morte ou auxílio-doença

No entanto, é preciso trabalhar por um período para ter direito ao benefício:

  • Pelo menos 12 dos 18 meses antes da demissão – no caso do primeiro pedido;
  • Por no mínimo 9 dos 12 meses antes da dispensa – no caso de segundo pedido, e
  • Ademais é preciso ter emprego nos 6 meses antes da demissão.

Veja mais – Posso abrir MEI com o auxílio emergencial?

Quais são os documentos para pedir o seguro-desemprego?

Alguns exemplos de documentação solicitada tanto no pedido presencial como no online, são:

  1. Documento de identificação com foto: Cédula de Identidade (RG), a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou o passaporte;
  2. Cadastro de Pessoa Física (CPF);
  3. Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS);
  4. Documento do PIS/PASEP;
  5. Termo de rescisão do contrato de trabalho,
  6. Documentos de levantamento dos depósitos no FGTS ou extrato comprobatório dos depósitos.

Aumento nos pedidos de seguro-desemprego

As cidades que mais tiveram solicitações foram:

  • São Paulo – 281.360 ;
  • Minas Gerais com 103.329 e,
  • Rio de Janeiro com 82.584.

Entenda: Partidos criticam brechas em sistema de representação para negros

Ah, e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.