Umas das maiores dúvidas em relação à prorrogação do auxílio emergencial é sobre quem pode ou não receber em 2021. Entenda o que mudou

Uma das principais consequências causadas pela pandemia do Novo Coronavírus enfrentada pelo mundo foi o impacto na economia do nosso País.

Dessa maneira, os desafios que foram acrescentados obrigaram o Governo a tomar atitudes para ajudar os cidadãos de todo o Brasil.

No ano de 2020 muitas pessoas foram beneficiadas pelo auxílio disponibilizado pelo Governo. Contudo, em 2021 houveram mudanças significativas em relação a essa contribuição.

Imposto de Renda 2021: prazo para entrega é ampliado

Quem vai ter direito ao auxílio emergencial em 2021?

Só receberão o auxílio aqueles que se encaixem nas seguintes regras:

  • Pessoas com mais de 18 anos;
  • Mães adolescentes;
  • Pessoas que não possuem empregos formais;
  • Inscritos no CadÚnico ou no Bolsa família;
  • Quem recebe abono salarial;
  • Família com renda de até meio salário mínimo, ou seja R$550 por pessoa e/ou renda total de até três salários mínimo, ou seja R$3.300;
  • Beneficiários do auxílio no ano de 2020;
  • Microempreendedor individual (MEI), contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social que trabalhe de maneira autônoma ou trabalhador informal sem carteira assinada;
  • Quem não seja titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda;

Como visto, as novas regras excluem algumas pessoas que tiveram direito ao recebimento do auxílio em 2020.

Ou seja, nem todas as pessoas que receberam o auxílio em 2020 poderão recebê-lo em 2021.

Quem não terá direito ao auxílio emergencial em 2021?

  • Menores de 18 anos, com exceção de mães adolescentes;
  • Pessoas que possuem empregos formais, com carteira assinada;
  • Quem recebe benefício do INSS ou de programa de transferência de renda federal;
  • Cidadãos que não receberam o auxílio ou tiveram ele negado em 2020;
  • Pessoas que receberam o auxílio em 2020, mas não sacaram ou usaram o dinheiro;
  • Residentes médicos, multiprofissionais, beneficiários de bolsas de estudo, estagiários e similares;
  • Presidiários que tiveram rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019;
  • Quem recebeu em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte superior a R$ 40 mil;
  • Cidadãos que tinham em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive Terra Nua, de valor total superior a R$ 300 mil;

Qual o valor do auxílio emergencial em 2021?

Segundo o Ministro da Economia, Paulo Guedes, as parcelas do auxílio em 2021 terão um valor diferente dependendo dos integrantes que compõem a família do beneficiário.

Dessa forma, os valores seguirão conforme:

  • Valores mensais de R$150 para pessoas que moram sozinhas;
  • Para famílias com mais de um integrante o valor será de R$250;
  • E por fim, para mulheres chefes de família o valor será de R$375;

Além disso, as parcelas serão pagas em até 4 vezes, nos meses de abril, maio, junho e julho podendo ser sacadas até agosto.

Auxílio Emergencial 2021: confira o calendário

Quem não recebeu o auxílio emergencial em 2020 poderá receber em 2021?

Nesse primeiro momento, uma das regras sobre quem pode ou não receber o auxílio é que cidadãos que não receberam ou tiveram o auxílio negado em 2020 não poderão receber em 2021. Isso acontece pois quem não recebeu o auxílio em 2020 não se encaixam nos pré-requisitos.

As inscrições para recebimento do auxílio que serão usadas esse ano serão as já realizadas até dezembro do ano de 2020. A ideia, então, é que os cidadãos que hoje se encaixam nos pré-requisitos para receber o auxílio continuem recebendo essa ajuda do Governo.

E então, restou mais alguma dúvida sobre o recebimento do auxílio emergencial em 2021? Se sim, enfim, deixe aqui o seu comentário que nós lhe ajudamos.

Além disso, siga a FinanZero nas redes sociais para mais dicas e para nos acionar quando quiser: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.