Considerado por muitos como uma saída rápida, o empréstimo com agiotas é sempre um mau-negócio. Entenda o que é e por que não pegar dinheiro com agiota.

Todos nós estamos sujeitos a imprevistos e emergências. Dependendo da gravidade da situação, é difícil manter a cabeça fria e avaliar todas as possibilidades antes de tomar uma decisão. Ainda mais quando a emergência envolve dinheiro, é comum que aqueles que estejam endividados e/ou com o nome sujo se desesperem e recorram a um agiota. Mas, fique sabendo que a prática é ilegal e pode trazer consequências graves para você! A seguir, a gente explica direitinho o que é e por que não pegar dinheiro com agiota.

Afinal, quem é e como trabalha um agiota?

Seja em novelas, notícias de jornal ou conversas com conhecidos, quase todo mundo já ouviu falar de agiota. Mas, nem todos sabem exatamente do que se trata a agiotagem. Se você é uma dessas pessoas que ainda têm dúvida em relação a isso, a gente explica: agiota é uma pessoa que oferece empréstimos fora do mercado legal de crédito. Ou seja, diferentemente do que acontece quando você pega dinheiro emprestado com um banco ou financeira, as transações realizadas com um agiota não são consideradas legais e não são reguladas pelo Banco Central.

É justamente por essa informalidade que muitos procuram o agiota em situações de emergência. Enquanto instituições financeiras devidamente regulamentadas exigem uma série de documentos para a concessão do empréstimo, os agiotas oferecem dinheiro rápido e sem burocracias, inclusive para quem está negativado. Por outro lado, é também por conta da falta de regulamentação que a agiotagem pode ser muito perigosa, como veremos.

Por que não pegar dinheiro com agiota?

Digamos que você esteja sem grana, endividado, negativado e depende de dinheiro para pagar o aluguel atrasado e evitar uma ação de despejo. ? Em situações extremas como essa, pode parecer razoável recorrer a um agiota. Mas, essa nunca deve ser uma opção. Aqui vão 5 bons motivos para não pegar dinheiro com agiota:

1. É uma prática ilegal!

De acordo com a legislação, qualquer transação de crédito realizada sem a regulamentação do Banco Central é considerada crime contra a economia popular e contra o Sistema Financeiro Nacional. Embora a pena de 6 meses a 8 anos de prisão recaia sobre o agiota, ao se envolver nesse tipo de transação, você pode estar contribuindo também com outros crimes, já que, muitas vezes, a origem do dinheiro obtido também é ilegal (roubo, lavagem de dinheiro, etc).

Como consultar meu FGTS inativo?

Para fazer a consulta de seu FGTS inativo, você deve entrar no site da Caixa Econômica Federal. Uma vez na página de consulta, é necessário fazer um cadastro com senha, informando seu número de PIS/PASEP. A informação pode ser encontrada em seu Cartão Cidadão, na Carteira de Trabalho, ou no extrato do FGTS entregue pela empresa. Feito isso, você terá acesso aos valores também pelo aplicativo oficial do FGTS.

2. Juros abusivos

Aproveitando-se do momento difícil em que se encontra a maior parte das pessoas que procuram agiotas, são cobradas taxas de juros muito acima da média. Para se ter uma ideia, enquanto em instituições financeiras regulamentadas elas não passam de 10% ao mês, com um agiota elas podem chegar a até 40% ao mês, o que dificulta ainda mais a saída das dívidas.

3. São solicitadas garantias

O fato de agiotas não exigirem muitos documentos não quer dizer que não estejam preocupados em receber. Na verdade, o objetivo deles é conseguir lucrar o máximo possível com a transação. Para isso,muitas vezes, os agiotas exigem garantias, como jóias e veículos, com valor muito acima da quantia emprestada. E é bem provável que você acabe perdendo o bem.

4. Não existe fiscalização

Por atuarem de forma ilegal, os agiotas não estão submetidos a nenhum órgão de fiscalização. Isso significa que, em caso de problemas, não é possível recorrer ao Procon ou ao Banco Central. Também por conta da falta de fiscalização, agiotas podem mudar as regras do empréstimo conforme seus interesses. Por exemplo: aumentando as taxas ou recusando-se a devolver o bem dado em garantia, mesmo após o pagamento dos valores.

5. Métodos de cobrança perigosos

Quando você deve para uma instituição financeira, o máximo que pode acontecer — e sabemos que isso já é bem ruim — é você ficar com o nome sujo e ter que lidar com inúmeras ligações de cobrança. Já quando toma dinheiro emprestado com um agiota, os riscos são bem maiores. A fim de receber a grana, muitos recorrem à ameaças e agressões, mesmo ficando com seu bem em garantia.

Preciso de dinheiro! Alternativas para não recorrer a um agiota

Conhecer os riscos envolvidos em pegar dinheiro com agiota é fundamental, mas não acaba com a dúvida: o que fazer quando é preciso conseguir dinheiro rápido, mas estou negativado?

De fato, se você está com o nome sujo, é mais difícil e burocrático obter um empréstimo em instituições financeiras, mas, não é impossível! Na verdade, existem algumas modalidades de crédito mais fáceis de serem obtidas por quem se encontra nesta situação. É o caso do penhor, do crédito consignado e do empréstimo com garantia, por exemplo.

Caso você não trabalhe com carteira assinada e não tenha bens que possam ser deixados como garantia, saiba que o empréstimo pessoal também não está completamente fora de alcance. Antes de se dar por vencido, aproveite que você está no site da FinanZero e faça uma simulação em nossa plataforma, que nós mostraremos as opções disponíveis para você. Embora as taxas de juros para negativados sejam mais altas, elas ainda são bem menores que as cobradas por agiotas. Vale a pena conferir!