PIB da Alemanha cresceu acima do esperado após queda recorde

De acordo com a Destatis, agência de estatística do país, o PIB da Alemanha cresceu 8,2% no terceiro trimestre se comparado ao segundo. O resultado esperado, pelo The Wall Street Journal, era de um avanço de 6,8% para esse período.

Simule empréstimo com as melhores condições do mercado!

PIB da Alemanha cresce

A maior economia europeia se recuperou, em parte, da pior recessão de sua história, causada pelo covid-19. O aumento do PIB da Alemanha de 8,2% entre julho e setembro foi o maior desde que a agência nacional começou a coletar dados, em 1970.

No segundo trimestre desse ano, entretanto, o PIB havia caído 10% devido ao colapso causado pelo início da pandemia. De acordo com a agência de estatística, esse aumento aconteceu devido ao aumento do consumo, investimento e exportações.

Anteriormente a expectativa de retração do PIB da Alemanha, em 2020, era de 5,8%, porém agora acredita-se que será de 5,5%. Além disso o governo divulgou estimativa de crescimento de 4,4% para 2021.

PIB da China cresce 4,9% ao ano no terceiro trimestre

O que é Produto Interno Bruto?

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos por um país em um ano, portanto ele é parâmetro para medir se a economia está crescendo e um indicador da criação de empregos.

Para cálculo do PIB são levados em conta somente os produtos finais, assim sendo, a matéria prima não é usada. Além disso, somente usamos os produtos circulando dentro do país para esse cálculo. Aqui também não consideramos a depreciação nos materiais de produção.

O PIB está diretamente relacionado ao crescimento econômico porque a renda também está relacionada a qualidade de vida. Se a renda de uma família cresce, por exemplo, seu poder de compra também, isso influencia a economia.

Desemprego recorde: taxa bate 14,4% em agosto

PIB do Brasil

Como resultado da pandemia e queda das atividades econômicas, no primeiro trimestre, o Brasil registrou uma queda de 1,5% no PIB.

No segundo trimestre, de acordo com o IBGE, a queda foi de 9,7%, o que estava dentro do esperado de 8% a 10%, enquanto para o ano todo espera-se queda de 4,7%.

Ao registrar queda do PIB por dois trimestres seguidos, o país entra em recessão técnica. Essas foram as maiores quedas desde que começou o registro, com saldo positivo para agropecuária, mas negativo para indústria e serviços.

Apesar de não ter previsões como do PIB da Alemanha para o terceiro trimestre, o país deve registrar crescimento de 5,8%, mas 5,5% abaixo do mesmo período em 2019.

Preço do pacote de arroz aumentou 71% desde fevereiro

Se você ainda tem alguma dúvida, é só ir nos comentários!

E não esqueça de conferir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram; /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.