Empréstimo pessoal, refinanciamento de veículos e refinanciamento de imóvel: qual o melhor dentre os diferentes tipos de empréstimo?

Pedir um empréstimo é muito mais do que simplesmente pegar um dinheiro emprestado do banco ou financeira. Existem diferentes tipos de empréstimo. Vai comprar um carro? Financiar um imóvel? Pagar dívidas? Fazer compras? Para cada uma dessas razões, existe um tipo de empréstimo que funciona melhor. Antes de escolher, que tal conhecer alguns?

Está com as contas apertadas? Vem de empréstimo pessoal, bebê!

Esse é o tipo mais comum de empréstimo, já que não exige nenhum bem como garantia. Se você se apertou nas contas ou quer fazer uma compra grande, vale a pena ir atrás dessa categoria. Ao solicitar o empréstimo pessoal, você escolhe o valor e o número de parcelas ideais. Uma dica? Faça uma simulação antes! Clique aqui

O empréstimo pessoal é simples e, normalmente, bem rápido de ser liberado. Depois que você pede o valor que deseja, seu pedido passa por uma análise por parte da instituição financeira. Visto que ela precisa ter a garantia de que você vai pagar o que solicitou. Em caso de aprovação, você recebe o dinheiro em conta em questão de horas.

Desvantagens do empréstimo pessoal

A desvantagem desse tipos de empréstimo gira em torno dos juros. Em comparação com todas as outras linhas de crédito, o empréstimo pessoal têm as maiores taxas de juros do mercado. Elas giram em torno de 5% por mês, o que significa que cada parcela terá o acréscimo de 5% do valor do empréstimo. Se você optou por estender o pagamento em muitos meses, precisa ficar bem atento para não entrar em novas dívidas! Neste caso, tentar quitar as parcelas o mais rápido possível é uma boa solução.

Aconteceu um imprevisto mas tem um carro na garagem? Refinanciamento de veículo já!

Imprevistos acontecem, principalmente no universo das finanças. Às vezes, você fica com dívidas muito maiores do que esperava e não tem jeito: precisa tomar medidas mais drásticas, como o corte de gastos excessivos e a aquisição de um empréstimo. Caso você tenha um carro em seu nome, um refinanciamento de veículos pode ser uma solução!

Basicamente, você vai colocar o seu automóvel como garantia para poder solicitar um empréstimo. O bacana dessa opção é que você continua utilizando o seu carro normalmente, e ainda consegue pegar um crédito de até 70% do valor do automóvel! 

Essa categoria é muito utilizada e aceita mais facilmente pelas instituições financeiras do que um empréstimo sem garantias, visto que elas ficam mais seguras de que a dívida será quitada. Se você optar por fazer um refinanciamento, o primeiro passo é deixar todos os documentos, tanto os seus quanto os do carro, atualizados. Ah, e o veículo precisa estar no seu nome, caso contrário, não serve como garantia, heim. 

Corra atrás da avaliação do seu automóvel para saber qual é o valor de mercado. Assim, você consegue ter uma prévia de quanto poderá pedir, visto que alguns bancos podem solicitar essa vistoria caso seu pedido seja maior do que R$ 15 mil. Fique atento também na “idade” do seu carro – é muito difícil as instituições aceitarem carros com mais de 10 anos. 

Juros mais baixos!

A maior vantagem de refinanciar o seu veículo é a taxa de juros. Essa linha de crédito tem um dos menores juros do mercado e, por isso, é uma ótima solução para você economizar. A desvantagem é que você precisa ser extremamente organizado com os seus pagamentos: após 3 meses sem pagar as parcelas, o seu carro pode ser leiloado pelo banco para pagar a sua dívida. Imagina a dor de cabeça? Por isso, mantenha-se ciente dos valores e datas de pagamento. 

Com grandes pedidos vêm grandes responsabilidades: conheça o refinanciamento de imóvel

Parecido com a hipoteca, com a diferença de que, no caso do refinanciamento, o imóvel fica no nome do banco durante o tempo em que você estará pagando as parcelas, para evitar que o solicitante venda o imóvel ou faça outra transação que possa atrapalhar o pagamento mensal.

Mas, não se preocupe, você consegue utilizá-lo normalmente!
Você decidiu que é hora de mudar de vida: comprar um apartamento, começar um novo negócio, quitar dívidas enormes que tem há muito tempo… Para isso, chegou a hora de solicitar um empréstimo gordo para o banco mas, como?

O refinanciamento de imóvel é o que faltava para o seu negócio decolar de vez. Quando se trata de valores muito altos, as instituições financeiras ficam receosas em ceder o empréstimo. Para facilitar essa aprovação, refinanciar o seu bem é uma excelente alternativa. Pode ser a sua casa, apartamento, estabelecimento comercial, terreno, tanto faz – o que importa é estar no seu nome. Depois de avaliar os seus documentos, o banco pode te oferecer até 60% do valor do seu imóvel no empréstimo!

Como essa alternativa te oferece números altos, o prazo para pagamento das parcelas também é maior, podendo chegar a até 20 anos com taxa de juros a partir 1,09% a.m. É uma opção viável para quem precisa de empréstimos e tem um bem no valor mínimo de R$ 30 mil. É bem parecido com a hipoteca, com a diferença de que, no caso do refinanciamento, o imóvel fica no nome do banco durante o tempo em que você estará pagando as parcelas, para evitar que o solicitante venda o imóvel ou faça outra transação que possa atrapalhar o pagamento mensal. Mas, não se preocupe, você consegue utilizá-lo normalmente!

Fique atento!

Mas, fique atento: o atraso no pagamento das parcelas pode fazer com que o banco leiloe o seu imóvel para sanar a dívida. Então, saiba exatamente quanto e como você irá pagar antes de fechar o negócio. Uma simulação serve nessa situação, deixando tudo mais simples e visível para você! Ah, e caso haja algum tipo de problema com as parcelas, vale renegociar com o banco ou financeira, que estão mais preocupados com o pagamento da parcela do que em tirar o imóvel de você.

Agora, a dica de ouro: independente de qual sua escolha dentro dos tipos de empréstimo, a gente te ajuda em todas elas! Aqui mesmo no nosso site você pode fazer  simulações, tirar suas dúvidas e escolher a melhor opção para o seu empréstimo com os nossos parceiros.