Para pessoas físicas, o desconto do INSS varia de 7,5% a 14%, dependendo da faixa salarial

A Reforma da Previdência alterou idade, tempo de contribuição e cálculo de aposentadoria. Além disso, mudou o valor descontado do seu salário para o pagamento do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Se você trabalha com registro na carteira de trabalho, isso é feito pelo seu empregador. Entretanto, se você é pessoa jurídica, deve fazer seu próprio desconto do INSS.

Para que serve o desconto do INSS?

Você deve fazer desconto de INSS para garantir seu direito de receber aposentadoria e outros benefícios, como afastamentos e pensões.

Mas, afinal de contas, quanto deve pagar por mês ao INSS para ter direito a esses benefícios?

Entenda as alíquotas

O desconto do INSS depende de quanto você ganha. Afinal, o benefício é descontado sobre o seu salário, em percentuais que variam de 7,5% a 22%.

Para trabalhadores em geral, os descontos variam entre 7,5% e 14%. Para servidores federais, no entanto, a alíquota aumenta: são 8 faixas de desconto, com máximo de 22% para quem ganha mais do que R$ 40.747.

Leia mais: Como um empréstimo consignado pode te ajudar?

Quanto pago ao INSS se ganho um salário mínimo?

Quem ganha um salário mínimo (R$ 1045) deve pagar de INSS 7,5%.

Simule um empréstimo com a FinanZero!

E se ganho mais do que isso?

O desconto de INSS é feito por faixa salarial:

  • Até R$ 1045, 7,5%;
  • A partir de R$ 1045 (um salário mínimo) até R$ 2.089, desconto de 9%;
  • De R$ 2090 até R$ 3.134, 12% de desconto;
  • Entre R$ 3135 e R$ 6.101, alíquota de 14%.

Esse é o teto de contribuição para o INSS. Isso significa que se você ganha mais do que isso, só terá 14% de desconto sobre R$ 6.101 do salário.

Leia mais: Governo amplia para 40% margem de empréstimo consignado no INSS

Sou pessoa jurídica. Como fica o INSS?

Não há alíquota determinada de desconto do INSS. Você (ou seu contador) é responsável por recolher o valor, independentemente do seu rendimento.

O ideal, porém, é que recolha, todo mês, o mesmo percentual.

Marinalva Alves, contadora há 20 anos, diz que a estabilidade facilita o cálculo para sua aposentadoria.

“Se puder pagar de INSS um valor semelhante mensalmente, melhor ainda. Assim você garante uma aposentadoria estável”, diz Alves.

Além disso, aconselha, nunca fique sem pagar o INSS. “Um mês ou outro sem pagar o benefício pode impactar muito na sua aposentadoria”, aconselha.

Entenda: Cresce número de mulheres nas eleições, mas como vice

O que mais você gostaria de saber sobre o INSS? Comente suas dúvidas!

Siga a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.