Sim, mesmo quem caiu na malha fina no ano anterior precisa declarar Imposto de Renda no ano atual; entenda mais

Começa ano e em primeiro lugar a gente pensa nos impostos obrigatórios: IPVA e IPTU. Mas logo depois vem o segundo baque.

Sim, estou falando do temido Imposto de Renda.

As entregas do IRRF começam em 2 de março e vão até 30 de abril. Quem não entregar dentro deste prazo pode ter de pagar multa de R$ 165,74 ou até 20% dos imposto devido à Receita Federal.

Por isso, a primeira mensagem é essa: não perca o prazo!

E, além disso, tenha em mente que quem declara primeiro também restitui primeiro. Ótimo incentivo para agilizar, não é?

Agora, e quem caiu na malha fina em 2020, precisa declarar Imposto de Renda da mesma maneira?

IPVA SP 2021: confira calendário de pagamento do imposto

Malha fina: o que é?

Antes, vamos entender o que é a malha fina.

Esse é o nome dado para as declarações retidas pela Receita: quando o que foi informado ao órgão tem algum ponto a ser averiguado por um erro ou uma divergência.

Portanto, quem cai na malha fina precisa entregar mais dados ou, então, ir a uma sede da Receita para responder por essas divergências.

Se recebeu restituição no ano vigente passado, não se preocupe: isso indica que você não caiu na malha fina.

No entanto, se você não recebeu e não sabe o status da sua declaração, terá de checar no site do órgão.

Para isso, acesse o Centro Virtual de Atendimento da Receita, o e-CAC, para seguir suas declarações do IR. Tenha em mãos o código de acesso e senha.

Isenção de IPTU: descubra quem tem direito

Caí na malha fina em 2020. Preciso declarar IRRF em 2021?

Sim. Se você ficou com a declaração retida no ano vigente anterior, ainda assim deve entregar o IRRF do ano atual.

Ou seja, mesmo se caiu na malha fina em 2020, deve declarar Imposto de Renda em 2021. Afinal, o que vale é o ano de exercício.

Então, reúna todos os documentos e tenha atenção ao preencher os dados neste ano para, desse modo, não correr o risco de ficar retido mais uma vez.

Empréstimo com fiador existe? Como funciona?

O que acontece se eu cair na malha fina por dois anos seguidos?

Na teoria, você deverá responder pelos dois termos de declaração de forma independente.

Contudo, se a Receita notar que o erro é recorrente e, desse modo, levantar alguma suspeita de fraude, você pode passar por uma investigação.

Os casos desse tipo existem, sim, mas demoram e são burocráticos. Afinal, a Receita tem até cinco anos para averiguar as suas declarações, o que pode incluir anos anteriores, que você inclusive já restituiu.

Então, mais uma vez, fique atento à declaração. Seja honesto com os ganhos e os gastos e, além disso, dê todos os dados pedidos, ao menos os que são de preenchimento obrigatório.

Empréstimo para quem recebe auxílio emergencial: como funciona?

Como faço para declarar o Imposto de Renda após cair na malha fina?

Como já dissemos antes, um Imposto de Renda não interfere no outro a não ser que a Receita lance uma investigação profunda sobre suas declarações.

Portanto, mesmo se você caiu na malha fina no ano anterior, deve declarar o Imposto de Renda de forma normal, com o mesmo prazo e formulário, no ano atual.

Por exemplo: caso esteja em trâmite para resolver as pendências da malha fina do IRRF de 2020, ainda assim declare o Imposto de 2021 até 30 de abril, usando o mesmo programa de sempre.

E, do mesmo modo, a princípio a sua declaração será lida independente do status do IRRF do ano anterior. Isso quer dizer, então, que pode restituir, se tiver direito a isso no ano vigente.

Por fim, vale dizer que você deverá entregar os mesmos dados que outros contribuintes. São eles:

  • Seus informes de rendimentos,
  • Os dados bancários; e
  • Se tiver, os dados dos dependentes. 

IPVA SP 2021: confira calendário de pagamento do imposto

Ficou com mais dúvidas?

Por fim, ficou com mais dúvidas sobre o que fazer sobre o Imposto de 2021 se caiu na malha fina em 2020? Então, comente.

Estamos sempre à disposição para tudo o que você precisar 😉

Siga a FinanZero nas redes sociais para mais dicas e para nos acionar quando quiser: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.