(atualização: 04/03) Como, porquê aplicar na Bolsa de Valores e quais os principais conceitos relacionados

Em junho de 2019, a Bolsa de Valores de São Paulo bateu os 100 mil pontos pela primeira vez na história. Desde então, a bolsa vêm batendo recorde atrás de recorde. E na data deste post o seu recorde atual estava na casa dos 119 mil pontos, patamar atingido no dia 23 de janeiro de 2020.

Ver tais notícias e o entusiasmo dos investidores levanta uma importante questão para diversos brasileiros: como investir na Bolsa de Valores? Responderemos esta pergunta até o fim do post, mas, antes, explicaremos diversos conceitos básicos que devem ser sabidos antes do brasileiro em questão começar a investir.

O que é a Bolsa de Valores?

Também conhecida como B3 e BM&F Bovespa, a Bolsa de Valores de São Paulo, como as demais bolsas do mundo, é um local físico, mas com operação virtual. Nela estão listadas as empresas brasileiras de capital aberto.

O que é empresa de capital aberto?

Uma empresa de capital aberto é uma companhia inscrita na B3. Assim, pode receber investimentos de qualquer pessoa física também inscrita na B3. Deste modo, a Bolsa de Valores serve como o intermédio entre o investidor e a empresa na qual ele deseja investir.

Em suma, existem dois tipos de empresas:

  1. Empresa de capital aberto: recebe recursos de diversos investidores, por meio de uma Bolsa de Valores.
  2. Empresa de capital fechado: recebe recursos de um número limitado de investidores. Portanto, não está inscrita em nenhuma Bolsa de Valores.

Confira mais clicando aqui – Como juntar dinheiro para comprar a minha casa?

O que é uma ação?

Uma ação é uma fração da empresa. Se um empresário possui o total de uma empresa, significa que ele é dono de 100% da empresa. Contudo, se uma empresa possui mais de um dono, cada dono terá um percentual na empresa.

Exemplo: José, João e Pedro possuem uma padaria. Tal padaria pode ser considerada uma empresa de capital fechado (fora da Bolsa de Valores). José investiu R$ 2.500 na padaria, João investiu R$ 4.000 e Pedro aplicou R$ 3.500.

Em decisão conjunta dos donos da padaria, os lucros seriam divididos conforme o investimento inicial de cada um. Assim:

  1. José possui 25% da padaria e da participação nos lucros;
  2. João possui 40% da padaria e da participação nos lucros;
  3. Pedro possui 35% da padaria e da participação nos lucros;

Caso a padaria dos três estivesse listada na Bolsa de Valores, e as participações permanecessem as mesmas, isso significaria que cada um dos donos (agora chamados de acionistas) teriam os percentuais citados em ações da empresa.

Ou seja, João possuiria 40% de ações da padaria. E seria o acionista majoritário, por possuir a maior fatia da empresa. Enquanto José seria acionista minoritário, com 25% das ações, e João também seria acionista minoritário, detendo 35% das ações. Assim:

  1. Acionista majoritário: aquele que possui a maior parte das ações de uma empresa de capital aberto.
  2. Acionista minoritário: demais acionistas que não possuem a maior fatia de uma empresa de capital aberto.

Quais os tipos de ações?

Existem três tipos principais de ações:

  1. Ação ordinária: dá direito a voto em assembleias da empresa;
  2. Ação preferencial: não dá direito a voto, mas dá preferência para o recebimento de dividendos;
  3. Unit: combinação de uma ou mais ações. Pode ser uma combinação de ações ordinárias e preferenciais também.

O que é Ibovespa?

O Ibovespa é um índice acionário, o principal da Bolsa de Valores de São Paulo (B3). O Ibovespa é medido por uma pontuação, que oscila diariamente conforme as movimentações do mercado. Cada ponto equivale a R$ 1.

Veja também – Simule seu empréstimo pessoal e receba ofertas pré-aprovadas em até 5 minutos!

O que é índice acionário?

Os índices acionários são listas compostas por ações de empresas. Os fundos, que são conglomerados de investidores que movimentam seu dinheiro e de outros investidores em conjunto, são os principais desenvolvedores de índices acionários.

Assim, o índice acionário pode ser considerado como uma cesta com as principais apostas dos fundos. Se o fundo acreditar que determinadas empresas são as melhores apostas de uma Bolsa de Valores, eles os colocarão juntos, para que o investidor possa investir em todas elas de uma forma simples, facilitada e com menor risco (para entender o risco, veja abaixo).

O principal índice acionário do Brasil é o Ibovespa, compilado pela própria Bolsa de Valores. Assim, o Ibovespa é composto pelas empresas que são as principais apostas da própria B3.

O que é risco na Bolsa de Valores?

Na divisão geral de investimentos, existem dois tipos:

  1. Renda fixa: investimento no qual você sabe ou tem uma boa noção do quanto terá de retorno. Desta forma, o risco é baixo.
  2. Renda variável: investimento no qual você não sabe quanto terá de retorno. Desta forma, o risco é alto.

O risco é o grau de incerteza do rendimento de uma aplicação. Deste modo, os investimentos realizados na Bolsa de Valores são considerados como renda variável, tendo em vista que investindo em uma empresa de capital aberto, é difícil ocorrer o que acontecerá com ela.

O motivo disso é que todo o capital de uma empresa inscrita na Bolsa de Valores é virtual. O dinheiro existe, porém somente em computadores.

Os montantes podem ser movidos em qualquer momento que a Bolsa de Valores estiver funcionando. Um exemplo recente do quão rápida e facilmente uma empresa pode ter o seu valor alterado é da companhia aérea Azul (AZUL4).

No dia 25 de fevereiro de 2020 foi confirmado pelo Ministério da Saúde o primeiro caso do novo coronavírus no Brasil. No dia 26, volta do feriado do Carnaval, a empresa perdeu cerca de R$ 290 bilhões em valor de mercado., de acordo com a revista Exame. Isto pois:

  • No dia 21, última abertura da Bolsa de Valores antes do dia 26, a ação da Azul encerrou o dia cotada a R$ 55,65;
  • Já no dia 26, a ação encerrou cotada a R$ 48,25 (Fonte: Investing);

Conforme o cálculo publicado pela revista, o valor da perda multiplicado pelo número de ações que a empresa possui resultou na perda mencionada.

O que é ticker na Bolsa de Valores?

Ticker é o código que cada empresa recebe na Bolsa de Valores. No exemplo citado acima, o ticker da companhia aérea Azul é AZUL4.

O ticker é composto por quatro letras somado a um ou dois algarismos. Veja o que significa cada algarismo acrescendo ao fim do ticker:

  • 3: para ações ordinárias;
  • 4: para ações preferenciais;
  • 11: para ações units;

Assim, AZUL4 é um ticker que identifica uma ação preferencial da Azul.

Como investir na Bolsa de Valores?

Por fim, a questão que iniciou toda discussão. Para investir na Bolsa de Valores é necessário ter uma conta em uma corretora de valores. Uma corretora nada mais é do que uma intermediadora entre o investidor pessoa física e os investimentos.

Assim, a corretora não é responsável somente pelos investimentos em renda variável, na Bolsa de Valores. Ela também faz o intermédio para investir em renda fixa (alguns bancos também o fazem). No post “Qual o melhor aplicativo de corretora para investir?” da FinanZero há mais informações sobre algumas corretoras do Brasil.

Que horas abre a Bolsa de Valores?

A Bolsa de Valores inicia a negociação às 10h e encerra às 18h00 em dias comuns (exceto feriados).

Ficou com mais alguma dúvida sobre como investir na Bolsa de Valores? Deixe nos comentários, e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.