negado

Por meio do site do DataPrev é possível consultar o motivo do auxílio emergencial é sido negado

Os cidadãos que fizeram a solicitação do auxílio emergencial de R$ 600 ou R$1.200, oferecido pelo Governo, poderão consultar a situação do próprio cadastro pelo site do Dataprev, basta inserir o nome completo e a validação recebida por SMS no celular registrado. Com isso, é possível verificar:

  • os motivos do auxílio ter sido negado;
  • se existe alguma informação errada no cadastro;
  • como corrigir os possíveis erros.

O objetivo desse novo portal de consulta é dar transparência aos procedimentos de :

  • análise;
  • processamento;
  • homologação;
  • pagamento do benefício.

Dessa forma, os requerentes podem acompanhar detalhadamente o processo sem precisar acessar o site da Caixa Econômica Federal. A redação da FinanZero separou algumas dicas importantes para auxiliar as pessoas que desejam saber o motivo da recusa do auxílio emergencial, confira.

Veja também – Quem tem direito ao Benefício Emergencial (BEm)?

Quais as informações aparecem no site do Dataprev?

Os requerentes poderão acompanhar todo o detalhamento dos pedidos, como:

  • resultados;
  • datas de recebimento;
  • envio dos dados pela Caixa à Dataprev e vice-versa;
  • motivo da negativa do benefício;
  • análise da segunda solicitação.

Quais os principais motivos de ter o auxílio emergencial negado?

De acordo com as informações da Caixa Econômica Federal e da Dataprev os principais motivos de recusa do benefício ocorre por erro no cadastro, tais como:

  • chefes de família que esqueceram de indicar todos os membros da família;
  • declaração do sexo no cadastro errada ou inconsistente;
  • Cadastro de Pessoa Física (CPF) errado;
  • data de nascimento errada;
  • indicação de nome de pessoa falecida.

Contudo, centenas de cadastros foram negados por não estarem de acordo com as regras impostas pelo Governo para conseguir o auxílio. São elas:

  • O solicitante deve pertencer à família cuja renda mensal por pessoa não ultrapasse meio salário mínimo, o valor de R$ 522,50, ou cuja renda familiar total seja de até três salários mínimos (R$ 3.135,00);
  • Ao realizar o pedido o solicitante não pode estar recebendo benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou outro programa de transferência de renda federal, exceto o Bolsa Família;
  • Em 2018 os rendimentos tributáveis não devem estar acima de R$ 28.559,70;
  • A pessoa deve estar desempregada ou exercer atividade como: Microempreendedores individuais (MEI), contribuinte individual da Previdência Social ou trabalhador Informal, de qualquer natureza, inclusive o intermitente inativo.

Veja também – Como usar o aplicativo do Caixa Tem?

Como fazer o recadastro do auxílio emergencial?

Cerca de 12,4 milhões de pessoas que solicitaram o auxílio emergencial até o momento terão que refazer o pedido no aplicativo do programa ou no site auxilio.caixa.gov.br. Isso porque, de acordo com os dados divulgados pela Caixa, este é o total de inscritos que tiveram o cadastro classificado como inconclusivo.

Esse tipo de justificativa não indica que a pessoa foi negada, e sim que podem ter colocado em seu cadastro dados divergentes. É importante ressaltar que apenas os cidadãos com pedidos considerados inconclusivos podem refazer o cadastro.

Quem teve o benefício negado e recebeu a classificação de inelegível não pode retificar os dados e solicitar novamente, pois não tem direito ao benefício. Dos 97,7 milhões de pedidos de auxílio emergencial, 50,5 milhões foram aprovados, 32,8 milhões considerados inelegíveis e 13,7 milhões receberam a classificação de inconclusivos e necessitam de complementação cadastral para que seja feita uma nova análise sobre o pedido.

Veja também – Simule seu empréstimo e encontre as melhores taxas de juros do mercado!

Como fazer o saque do auxílio emergencial?

Os trabalhadores que já tiveram o benefício autorizado e desejar realizar o saque do dinheiro em espécie, poderá fazer essa operação nos terminais de autoatendimento da Caixa Econômica Federal. O Banco esclarece que todos que chegarem às agências durante o horário de funcionamento, de 8h às 14h, serão atendidos e também poderão tirar dúvidas com os funcionários do local.

Além disso, o banco intensificou o atendimento às pessoas que estão nas filas, de forma a dar celeridade com prestação de informações e geração de códigos pelo aplicativo para a realização dos saques, conforme o calendário de pagamento e da necessidade de se manter o distanciamento de 1,5m.

As pessoas que comparecerem pessoalmente nos terminais da Caixa precisam estar utilizando a máscara de proteção obrigatória para locais fechados durante o período da quarentena. Quem não estiver com o equipamento de proteção não poderá entrar no banco para realizar as operações e será impedido pelos funcionários da Caixa de permanecer na fila de atendimento.

É solicitado que só pessoas com emergências vão até as agências da Caixa, isso porque o principal objetivo do distanciamento social e evitar qualquer aglomeração. Por isso, o aplicativo do Caixa Tem, que dá acesso a conta digital com o montante referente ao auxílio emergencial, conta com as seguintes opções de operações sem precisar sair de casa;

  • transferência do valor para outros bancos;
  • pagamento de boletos;
  • solicitação de cartão de débito para uso do dinheiro;
  • extrato da conta do Caixa Tem.

Veja também – Não consigo transferir o dinheiro do Caixa TEM, o que fazer?

Ficou com mais alguma dúvida sobre como saber o motivo de ter o auxílio emergencial negado? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.