Empréstimo: qual a melhor forma de pagar, o que acontece se não pagar e demais questões que envolvem um pedido de crédito

De acordo com dados da Serasa, no mês de setembro de 2021, cerca de 62,21 milhões de brasileiros se encontravam inadimplentes. O dado revela que parte da população se encontra com dívidas em aberto e por isso podem encontrar dificuldades no pagamento de empréstimo e demais serviços financeiros.

A seguir estão algumas questões sobre o não pagamento de créditos e suas consequências. Além disso, será abordado as ações que podem ser feitas por cidadãos que não conseguiram pagar pela operação financeira adquirida.

Qual o calendário de pagamentos para o Auxílio Brasil 2022?

Qual a melhor forma de pagar um empréstimo?

Um empréstimo pode ser pago de algumas maneiras, como:

  • Boleto;
  • Carnê;
  • Chegue especial;
  • Cartão de crédito;
  • Descontos diretos da folha de pagamento ou benefício INSS;

Cada opção de pagamento apresenta vantagens e desvantagens e algumas questões devem ser analisadas, como:

  • Ao perder o carnê é preciso pagar uma multa;
  • Pedir a segunda via de um boleto é um processo simples;
  • Com o carnê é mais fácil de ter um controle financeiro por visualizar as parcelas de uma única vez;
  • As taxas de juros podem ser maiores com o carnê;
  • Utilizar o cartão de crédito pode comprometer o limite disponível;

Além disso, é preciso verificar com a instituição financeira quais são as condições ofertadas para cada uma das opções de pagamento e assim, escolher a melhor opção para cada realidade. Sendo assim, a melhor opção é aquela que melhor se encaixa na realidade do cliente e que faz sentido levando em consideração sua situação atual, sendo necessário analisar todas as possibilidades antes de tomar uma decisão.

Vale mencionar também que o pagamento adiantado do empréstimo pode garantir boas condições ao solicitante. Isso acontece pois pagar mais de uma parcela em uma única vez faz com que os juros diminuam e consequentemente o valor total a ser pago.

O que acontece se não conseguir pagar empréstimo bancário?

Existem algumas consequências para o cidadão que não paga pelo empréstimo que fez. Confira abaixa quais são os acontecimentos que podem ser visto com o não pagamento de um pedido de crédito:

Nome sujo

Uma das principais consequências do não pagamento de uma dívida é a restrição no CPF e então o mesmo acontece quando um empréstimo não é pago. A instituição que não teve o pagamento efetuado registra o nome do devedor nos birôs de crédito, que são consultados eventualmente em pedidos de cartões de créditos, empréstimos e demais ações financeiras. Com o nome sujo, o indivíduo pode ter problemas em algumas situações, como:

  • Conseguir empréstimos ou financiamentos;
  • Pagar dívidas a prazo;
  • Ter um cartão de crédito;

Score baixo

Em consequência do nome sujo, a pontuação do score diminui, o que também implica nas ações financeiras comentadas e ainda em aumento de limites no cartão de crédito. O score abaixo de 300 pontos indica que o consumidor não é um bom pagador e, de maneira geral, os cidadão com o nome negativado ou que ainda não possuem ações financeiras em seu histórico possuem essa pontuação.

O score funciona da seguinte maneira:

  • Abaixo de 300 pontos, o cliente possui alto risco de inadimplência;
  • De 300 a 700, o risco de inadimplência é médio;
  • Acima de 700, a inadimplência é baixa;

Dificuldade para conseguir um novo empréstimo

Em solicitações de empréstimos são feitas análises pelas instituições financeiras sobre o perfil do solicitante. Antes que um crédito seja liberado, os bancos verificam algumas questões, como:

  • Histórico financeiro;
  • Renda;
  • Score;
  • Profissão;
  • Quantidade de dependentes;

Dessa forma, são analisadas informações pessoais para que a liberação ou não empréstimo aconteça, assim como as condições oferecidas pela instituição. Por isso, ter o nome negativado, score baixo e outro empréstimo em aberto podem ser questões que comprometem a liberação do crédito desejado.

Cobranças por telefonema e e-mail

Uma das formas de cobrança da dívida não paga no tempo determinado é por meio de telefonemas e envio de mensagens por e-mail. Essas são as maneiras encontradas pelas instituições para cobrar e informar o devedor sobre a situação de sua dívida, já que o não pagamento implica no aumento constante dos juros acumulados. Então, ser contatado de maneira constante é mais uma das consequências do não pagamento de um empréstimo.

Imóvel ou veículo tomado

Em empréstimo com garantia, seja de imóvel ou veículo, um bem é utilizado como forma de pagamento da dívida, em casos de inadimplência. Então, se o indivíduo realizou essa modalidade de crédito o banco pode tomar o bem do devedor para ele, isso acontece pois no refinanciamento a instituição passa a ser dona secundária do veículo ou imóvel usado como garantia.

Como investir em renda fixa?

Não pagar o empréstimo dá cadeia?

De acordo com a Constituição Federal, a dívidas em cartões de crédito, cheque especial, financiamentos ou empréstimos não levam à prisão. As consequências dessa situação se são nas restrições financeiras citadas acima. As dívidas que podem levar o cidadão à prisão são relacionadas ao não pagamento de alimentos e depósitos infiéis.

Pegar empréstimo e não pagar é estelionato?

Não, o estelionato é caracterizado como um crime que visa enganar uma pessoa e atingir o seu patrimônio. Como exemplo podemos citar golpes e fraudes, como:

  • Falsificação de documentos;
  • Golpes de empréstimos;
  • Cobrança por serviços que não são prestados;

Por isso, o não pagamento de um empréstimo não é considerado um estelionato e suas consequências não envolvem a prisão ou resposta por um crime.

Não consigo mais pagar o empréstimo, o que fazer?

Uma das soluções mais viáveis para a situação de não conseguir pagar um empréstimo é a busca por um acordo com a instituição financeira. Realizar um acordo com o banco significa buscar novas condições, que sejam favoráveis ao devedor e a instituição, e que façam sentido com a realidade financeira do cidadão. O acordo tem como objetivo encontrar novas possibilidades para que a dívida seja paga.

Outra opção disponível é a portabilidade do empréstimo. A portabilidade consiste na troca de instituições, dessa maneira o crédito passará a ser oferecido por outro banco com diferentes condições. Para isso, o cidadão deve verificar quais instituições aceitam essa ação e verificar as condições oferecidas, já que o intuito dessa ação é a conquista de menores taxas de juros e demais questões favoráveis que envolvem o empréstimo.

Quantos dias de férias tenho direito: 30 ou 31?

E então, restou mais alguma dúvida sobre quando não conseguir mais pagar pelo empréstimo solicitado? Se sim, deixe aqui o seu comentário que nós lhe ajudamos.

Além disso, siga a FinanZero nas redes sociais para mais dicas e para nos acionar quando quiser: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.