Existem alguns fatores que podem impedir a tomada de um empréstimo consignado, como a vínculo empregatício temporária e falta de margem consignável.

De acordo com o Relatório de Economia Bancária do Banco Central, o empréstimo consignado é considerado uma das principais modalidades de crédito voltada às pessoas físicas.

Inclusive, ainda segundo a pesquisa, aposentados e pensionistas representam 60% dos tomadores de empréstimo consignado, percentual que representa crescimento médio de 14% entre 2016 e 2020.

O que muda no empréstimo consignado em 2022?

Como funciona o empréstimo consignado?

O empréstimo consignado é realizado através da parceria entre instituições financeiras, que são responsáveis por conceder o crédito, e órgãos públicos e empresas do setor privado, na qual o tomador de crédito recebe uma quantia mensal.

Com isso, quando uma pessoa solicita um determinado valor de crédito, as parcelas são descontadas diretamente na folha de pagamento, seja salário ou algum tipo de benefício, como aposentadoria e pensão, por exemplo.

Sendo assim, por contar com o desconto automático na conta, o empréstimo consignado costuma oferecer taxa de juros menor, já que o risco de inadimplência tende a diminuir, e prazo de pagamento estendido que, em alguns casos, pode chegar a 72 meses. Além disso, quem solicita o empréstimo consignado não passa por consulta ao SPC ou Serasa.

Além do dinheiro concedido através do empréstimo, essa modalidade conta ainda com o cartão de crédito consignado, que funciona como um cartão de crédito tradicional, entretanto, o valor da fatura do cartão é descontado automaticamente do salário ou benefício, assim como acontece ao empréstimo.

Troquei de celular e não consigo acessar o Caixa Tem, o que fazer?

Quem pode solicitar um empréstimo consignado?

De modo geral, para ter acesso ao empréstimo consignado é necessário possuir vínculo empregatício com uma empresa privada ou órgão público, ou ainda ser aposentado ou pensionista, já que também haverá um vínculo junto a uma instituição, que garante o recebimento mensal de uma quantia.

Isso porque, como dito inicialmente, as parcelas do empréstimo são descontadas automaticamente na folha de pagamento, logo, é necessário que o banco ou financeira tenha certeza de que haverá dinheiro na conta durante o período de pagamento da dívida.

Portanto, podem solicitar um empréstimo consignado:

  • trabalhadores com carteira assinada, ou seja, que trabalha em regime de contratação CLT;
  • servidores públicos;
  • pensionistas do INSS;
  • aposentados do INSS.

O que é preciso para fazer um empréstimo consignado?

O primeiro passo para solicitar um empréstimo consignado é consultar se a instituição financeira possui vínculo com a empresa ou órgão público do qual a renda é oriunda. A partir daí, é necessário se dirigir a uma agência bancária, analisar as propostas e, caso goste, entregar os documentos necessários, que normalmente, são:

  • RG e CPF;
  • comprovante de renda;
  • comprovante de endereço.

Quem é trabalhador com carteira assinada, por sua vez, pode também solicitar o empréstimo consignado através do RH da empresa. Neste caso, a empregadora é responsável por realizar a mediação entre o funcionário e a instituição que concederá o crédito.

Pode descontar empréstimo na rescisão?

O que impede um empréstimo consignado?

É importante destacar que a instituição financeira pode negar a solicitação de empréstimo consignado, ainda que o solicitante se encaixe em um dos grupos mencionados anteriormente. Isso pode ocorrer devido a diversos fatores, como explicaremos a seguir.

Não possuir margem consignável

O Banco Central estipula que o valor das parcelas do crédito consignado não podem comprometer mais do que 30% da renda mensal do consumidor, chamada de margem consignável. Portanto, uma pessoa que recebe R$2 mil, por exemplo, deve fechar um empréstimo com parcela de, no máximo, R$600.

Logo, se o solicitante não tiver margem consignável suficiente para a quantia solicitada, o pedido pode ser reprovado. Caso isso aconteça, é possível diminuir o valor solicitado, de modo que as parcelas também diminuam e caibam no orçamento mensal.

Vínculo empregatício temporário

Como dito, para obter um empréstimo consignado é necessário possuir renda fixa, com isso, profissionais com vínculo empregatício temporário, como estagiários, trabalhadores temporários e servidores públicos em cargos provisórios não têm direito à solicitação do crédito.

Isso acontece porque os vínculos empregatícios são estipulados por tempo determinado e o trabalhador não conta com a estabilidade exigida.

Dados incorretos ou desatualizados

Os dados pessoais do solicitante são utilizados desde a simulação do empréstimo até a concessão da quantia, logo, é de suma importância que eles estejam corretos e atualizados. Além disso, os documentos enviados devem estar legíveis e dentro do prazo de validade, caso contrário, é possível que haja recusa do pedido.

Idade

Assim como acontece com outras modalidades de crédito, a idade mínima para tomada de um empréstimo consignado é de 18 anos. Entretanto, não há previsão legal que estabeleça uma idade máxima para solicitação do dinheiro, sendo assim, cada instituição financeira implementa sua política de crédito.

Diante disso, é comum que os bancos e financeiras estipulem uma idade máxima para concessão de empréstimo consignado, que gira em torno de 80 anos. Inclusive, esse grupo, normalmente, tem acesso a valores menores e prazo de pagamento mais curto.

Possuir outros empréstimos ativos

Possuir outros empréstimos vigentes não é sinônimo de que a solicitação será reprovada, contudo, se a parcela dos empréstimos ativos, juntas, alcançarem a margem consignável, há probabilidade da instituição negar o pedido.


Ou ainda, mesmo que haja margem consignável, os bancos e financeiras podem contar com políticas internas, que restrinjam a concessão de crédito a consumidores que possuem outros empréstimos ativos.

Ficou mais alguma dúvida sobre o empréstimo consignado? Deixa nos comentários que a gente te ajuda. Acompanhe a FinanZero também nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.