58% dos brasileiros adiram as compras de bens e serviços devido a pandemia o que provoca preocupações para a economia

A pandemia provocada pelo coronavírus (Covid19), levou cerca de 58% dos consumidores brasileiros a adiarem a compra de bens e serviços. Isso porque, de acordo, sondagem especial realizada pelo FGV Ibre (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas) feita com 1.171 pessoas preferem poupar gastos no momento.

Dessa forma, o principal motivo apontado para adiar as compras é:

  • a incerteza com relação à pandemia de Covid-19 (53%);
  • crise sanitária que levou às restrições de circulação, inibindo o consumo, e gerou insegurança em relação ao futuro.

Confira mais clicando aqui – Qual o melhor site para comprar roupas?

E, ainda, os consumidores também afirmam que estão poupando por precaução (31%).

Há os que estão com medo do desemprego de alguém na família (19%) ou com dificuldade de obter emprego (13%).

Entre as famílias com renda de até R$ 2.100, um percentual de cerca de um terço dos entrevistados relatam como motivo a dificuldade de obter emprego, praticamente o mesmo percentual dos que citam as incertezas com a pandemia (35%). Certamente devido as incertezas da vacina.

Desemprego causa queda nas compras?

Sim! Os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram que a taxa de desemprego chegou a 14% em setembro, maior percentual da série histórica da Pnad Covid, pesquisa criada para mensurar os efeitos da pandemia.

A taxa é maior entre mulheres (17%) e negros (16%).

Falta de dinheiro em geral provoca queda nas compras?

Outra razão para o freio nos gatos apontada na pesquisa do Ibre é a falta de recursos .

Já que cerca de 10% dizem não ter como pagar as contas. Com isso a perda de renda com o fim dos benefícios emergenciais é citada por 7% dos entrevistados.

Sendo assim, entre os 11,3% que apontaram outras razões, muitos relataram a redução de consumo por causa da alta de preços, que pode ser visto até nas mercadorias do mercado.

Em outubro, a prévia da inflação (IPCA-15) acelerou para 0,94%, o maior valor para o mês desde 1995.

Setor afetado

O setor de cultura foi um dos mais impactados pela pandemia, com o fechamento de:

  • cinemas;
  • teatros;
  • casas de show.

Apesar da flexibilização da quarentena, ainda há resistência do consumidor a voltar a esses espaços. Sendo assim o gasto é cada vez menor nesses espaços que teoricamente impulsionam a economia.

Esse temor, no entanto, está diminuindo. Segundo levantamento do FGV Ibre, os números melhoraram em outubro em relação à pesquisa semelhante realizada em julho: cinema e teatro (de 80% para 64%), viajar de férias de avião ou ônibus (de 70% para 48%), frequentar bares e restaurantes (de 64% para 42%) e shopping centers (de 55% para 38%).

Leia também – Morte de idosos por corona empobrece famílias

Como fazer compras apesar da crise?

Separamos algumas dicas importantes para quem deseja ou precisa fazer compras no final desse ano apesar da crise. Veja abaixo:

Faça sua listinha apenas com o básico

Parece dica tola, mas uma lista de compras pode salvar na hora de economizar. Isso porque quando não se tem uma lista a tendência é comprar mais de uma vez a mesma coisa.

Assim, é possível reduzir a compra de itens desnecessários e o tempo de permanência na loja (quanto mais passear por lojas, mais terá vontade de consumir).

Veja também – Como saber se o site é confiável?

Compre tudo de uma única vez, se possível

Tente não ir até lojas ou shoppings várias vezes. Sendo assim é mais fácil evitar os gastos.

Compare preços

Com a inflação instável, por vezes consumidores podem perder a noção dos preços reais dos produtos, assim como empresários podem encarecer seus produtos antecipando uma alta dos preços gerais da economia.

Pesquisar preços parece uma tarefa inglória, só que é essencial para conseguir entender o que é um nível correto de preço e saber onde há exagero e fugir das ciladas antes de fazer as compras necessárias de fim de ano.

Não tenho dinheiro, e agora?

Quem está sem dinheiro nesse momento talvez a melhor opção seja evitar mesmo as compras de final de ano e não se endividar.

Para quem está com problemas financeiros e com dívidas em aberto a melhor opção é quitar as dívidas de vez fazer novas compras que acarretam em nossas contas. E, para dar fim aos problemas financeiros a FinanZero pode ser a sua aliada!

Somos um buscador de crédito com mais de 40 parceiros, entre financeiras e bancos. Que avaliam o perfil de consumidor de cada um dos clientes e, assim, oferecemos até 10 ofertas de crédito com um cadastro na plataforma.

Saiba mais em – Quero um empréstimo com a FinanZero!

Além disso, ficou com mais alguma dúvida sobre o assunto? Deixe nos comentários e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.