Tudo depende de qual é a sua intenção e valores que quer solicitar. Entenda a diferença entre eles e saiba qual é melhor para dar como garantia.

Sabe quando chega a hora de quitar suas dívidas, começar uma nova empresa, viajar ou ir atrás daquele sonho antigo, e só tem um pequeno detalhe: você não tem dinheiro para isso? E mesmo se vender muitas coisas que tem ou trabalhar mais, ainda não será o suficiente? Esse é o momento de se considerar um empréstimo.

Solicitar um empréstimo é uma prática bem comum entre os brasileiros. E com tendência a crescer mais nos próximos anos. O que trava o brasileiro na hora de pedir uma quantia emprestada para instituições financeiras é a sensação de que está fazendo mais dívidas, ao invés de organizar a vida financeira. E, dependendo da modalidade de crédito que você escolher, isso pode ser verdade.

Escolha simples

Então, como pedir um empréstimo sem prejudicar ainda mais as suas finanças? É simples: opte pelas opções com a menor taxa de juros e maior número de parcelas. 

E, como você já deve saber, existem diversos tipos de crédito:

  • o pessoal;
  • cartão de crédito;
  • cheque especial;
  • empréstimo com garantias (refinanciamentos);
  • entre outros.

Antes de pedir, é importante você definir qual o motivo da solicitação de dinheiro extra, para onde o dinheiro vai. Quanto você precisa e em quanto tempo pode pagar. O ideal é que, fazendo em parcelas, elas não ultrapassem 30% da sua renda mensal.

O empréstimo pessoal e o cartão de crédito são as modalidades com maiores taxas de juros, que podem chegar em 18% a.m. e não oferecem valores altos de retirada. Ou seja, você vai gastar uma alta grana só em taxas e pode nem conseguir o valor que precisa. Mas, sempre vale lembrar que é uma ótima opção para quem não tem bens para deixar como garantia. 

Agora, quem tem bens que poderia dar como garantia, a melhor coisa a se fazer é pensar nos refinanciamentos (também chamados de empréstimo com garantia) tanto de imóvel quanto de automóvel. Cada um tem a sua particularidade, mas são super vantajosos, com taxas baixas, valores altos e muito tempo para pagar.

Como funciona o empréstimo com garantia de veículo?

Ambos os refinanciamentos servem para te ajudar a ter um pedido de empréstimo aprovado usando o seu bem como garantia. Se você precisa de um valor não muito alto, como R$ 15 mil ou R$ 30 mil, uma boa opção é investir no refinanciamento de automóvel . Depois de juntar os documentos necessários e fazer a solicitação, a resposta é rápida e você já consegue o dinheiro na sua conta. 

É importante lembrar que o carro precisa estar no seu nome. Nessa modalidade, é possível conseguir até 70% do valor de mercado do automóvel. Ou seja, se o seu carro custa R$ 50 mil, você pode pedir chegar até R$ 35 mil. 

Fique atento na idade do seu carro, pois as instituições financeiras não costumam aceitar carros com mais de 10 anos. Além disso, a vantagem desse tipo de empréstimo é que, enquanto as parcelas estiverem sendo pagas, você continuará utilizando o seu bem  normalmente. Mas, não esqueça de pagar as parcelas em dia, heim? Pois, do contrário, ele poderá ir a leilão para quitar a dívida.

Quando falamos de refinanciamento de veículos, estamos falando de taxas de juros a partir de 1,69% a.m., e de parcelas que podem ser pagas em até 48 meses. São custos mais baixos e com maior prazo para pagar, tornando muito mais vantajosos solicitar empréstimos desse tipo para quitar suas dívidas, por exemplo. 

Documentos necessários do veículo

Os documentos necessários para o refinanciamento de veículos são:

  • Certificado de Registro do Veículo (CRV), também conhecido como documento de compra e venda do carro;
  • Certificado de Registro e Licenciamento de carros (CRLV), aquele que temos que ter no carro para circular e que contém o comprovante de licenciamento do carro; 
  • Documento de Identidade – RG e CPF;
  • Carteira Nacional de Habilitação (CNH);
  • Comprovante de endereço;
  • Comprovante de renda.

Como funciona o empréstimo com garantia de imóvel?

Agora, se você quer investir em uma empresa, começar a montar o seu próprio negócio ou fazer alguma transação grande, é melhor considerar o refinanciamento de imóvel, pois talvez seja a melhor opção. Os valores disponibilizados são ainda mais altos e com muito mais prazo de parcelamento. O que permite que você se organize e tenha uma boa folga.

Para poder pedir essa modalidade, é preciso ter um imóvel no seu nome, seja ele comercial, residencial ou um terreno. Usando o imóvel como garantia, é possível conseguir até 60% do valor desse bem. 

Esse refinanciamento é muito utilizado para valores a partir de R$ 30 mil reais, podendo chegar a mais de R$ 1 milhão dependendo da sua propriedade. Com os documentos em mãos, envie a solicitação para a instituição financeira de sua escolha e aguarde a aprovação. A aprovação pode demorar um pouco, pois o banco vai analisar duas coisas: o valor da sua propriedade e se você tem um histórico de bom pagador. Ou seja, se você vai pagar nas datas, tem dinheiro para isso, ou corre o risco de se tornar inadimplente. 

Por isso, mantenha suas contas em dia e o seu nome o mais limpo possível – dessa forma, o banco terá uma boa impressão de você e pode te conceder o valor solicitado. Ah, é importante também fazer uma vistoria e descobrir quanto vale o seu bem, para ter certeza de quanto pode pedir.

Documentos necessários do imóvel

As vantagens desse pedido de crédito também ficam nas taxas de juros e prazos para pagar. Com valores de taxas que giram em torno de 1,09% a.m. e 20 anos para pagar, fica muito mais fácil solicitar esse empréstimo e acomodá-lo nas suas despesas. Os documentos necessários são:

  • Uma cópia do RG e CPF;
  • Comprovante de Renda e Residência;
  • Certidão de Matrícula do Imóvel (documento que contém o registro da propriedade no nome do cliente);
  • Cópia da capa do Imposto Sobre Território Urbano (IPTU), documento que apresenta o endereço e as áreas do imóvel;
  • Certidão Negativa de Tributos Imobiliários (documento fornecido pela prefeitura que garante a regularidade no pagamento dos impostos).

Agora que você já sabe tudo sobre o refinanciamentos, basta escolher qual é a melhor opção para o seu caso. Faça uma simulação de refinanciamento de veículos e de imóveis aqui no site da FinanZero e solicite esse empréstimo!