O Tesouro Direto é um título emitido pelo Governo mais rentável que a poupança

Tesouro direto

Investir no tesouro direto chama a atenção dos brasileiros devido a sua rentabilidade, que é superior à poupança. O Tesouro Direto é um título emitido pelo Governo e funciona como um empréstimo. Sendo assim, o investidor oferece o próprio dinheiro e o recebe acrescido de juros na data de vencimento, a qual fica definida no momento da compra do título.

As principais vantagens do Tesouro Direto são:

  • É possível começar comprando apenas R$ 100,00 de títulos.
  • O risco é muito baixo, pois o Governo é o emissor.
  • Independente do planejamento financeiro do investidor ser de curto, médio ou longo prazo, o Tesouro Direto possui variadas opções.

Contudo, antes de sair investindo nas opções do Tesouro Direto, é crucial entender como os títulos públicos funcionam, quais são as taxas do Tesouro e como investir na categoria mais adequada para cada carteira. Por isso, a redação da FinanZero preparou esse post com informações atualizadas sobre o Tesouro Direto.

Confira mais clicando aqui – O que é taxa Selic?

O que é e como funciona o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um empréstimo realizado pelo investir para o Governo. Em troca, o investidor recebe um valor, a rentabilidade, que funciona de acordo com o tipo de título. Por isso antes de começar a investir, o proprietário do dinheiro precisa saber sobre cada categoria para escolher a que melhor se adequa aos seus objetivos.

O Tesouro Direto capta recursos que são direcionados para o financiamento de áreas como:

  • educação;
  • infraestrutura;
  • saúde.

Por isso, o investidor ganha dinheiro e ainda contribui para o desenvolvimento do Brasil investindo em títulos públicos. Mas, como funciona a aplicação no Tesouro Direto em cada um dos títulos que fazem parte deste programa?

O que é um Tesouro Prefixado?

  • Há dois títulos considerados prefixados:
  • Tesouro Prefixado;
  • Tesouro Prefixado com Juros Semestrais.

O Tesouro Prefixado tem uma taxa fixa de rentabilidade, por exemplo, 8% ao ano fixo. Dessa forma, o investidor vai receber os 8% todos os anos até o vencimento, sem levar em consideração as condições do mercado. Esse tipo de título é usual para quem acredita que os juros da economia nacional possam cair.

Como a taxa de rendimento é fixa, o investidor sabe exatamente quanto irá retirar no futuro, isso é uma vantagem para quem precisa investir hoje para atingir um determinado valor até a data do vencimento do título. Esse é o tipo de investimento certo para as pessoas que possuem um perfil mais conservador e não querem arriscar.

Com o Tesouro Prefixado com juros semestrais, o investidor recebe o rendimento do período de seis em seis meses, isso significa que não é preciso esperar pela data de vencimento para conseguir resgatar o capital sem que haja perda na rentabilidade.

O que é Tesouro IPCA+ ?

Os títulos que são atrelados à inflação podem ser chamados de híbridos. Porque, a taxa de rentabilidade é separada por uma parte fixa e uma parte variável. Por exemplo: 4% + IPCA. Com isso o investidor sabe que o dinheiro investido vai render de forma fixa 4%. Porém, como o IPCA fica sujeito a variações ao longo do tempo, existem momentos em que o investidor irá receber um valor mais alto e, em outros, um valor menor .

Mas, o Tesouro IPCA+ e o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais oferecem um ganho sempre acima da inflação para o investidor. Essas características demonstram que esse tipo de título é ideal para quem deseja proteger o dinheiro da desvalorização.

O que é Tesouro Taxa Selic?

O Tesouro Selic é o único título governamental que tem a rentabilidade indexada à taxa Selic (taxa básica da economia nacional), e é um dos mais conhecidos, graças a sua alta flexibilidade. Tal ativo oferece ao investidor um retorno que equivale ao percentual atual da taxa Selic. Isso faz com que ele seja um bom comparativo com investimentos que pagam cerca de 100% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Outra vantagem do Tesouro Selic é a baixa instabilidade. Pois, se o investidor desejar solicitar o resgate antes do vencimento, o mesmo não irá perder nenhum dinheiro. Logo o valor investido está em constante crescimento.

O Tesouro Selic pode ser visto como um dos investimentos essenciais para todas as carteiras de investimento de títulos governamentais. Isso porque, ele é perfeito para os investidores que querem alocar seu capital para uma reserva dedicada para emergências.

Qual é a Rentabilidade do Tesouro Direto Hoje?

Para conhecer a rentabilidade de uma aplicação, o investidor deve pensar que a inflação está estimada no valor de 2,54% ao ano, o que pode tornar o rendimento dos títulos que dependem dela menos atrativo.

Contudo, o Tesouro IPCA +, o qual está indexado à inflação, ainda conta com uma parte prefixada, e isso pode aumentar a rentabilidade do investimento. Por isso, olhando para o Brasil atualmente, com os juros em baixa e a inflação bem controlada, o Tesouro Direto tende a apresentar um retorno menor. Isso é uma característica de todos os produtos de renda fixa.

Mas, de forma alguma investir no Tesouro Direto para de ser interessante, basta que o consumidor alinhe bem quais são os seus objetivos. Pois, esse investimento ainda é uma boa aplicação para quem está começando e precisa de uma carteira segura. E para os investidores experientes, o Tesouro Direto pode ser a forma perfeita de diversificar as aplicações.

Veja também – Simule seu empréstimo e encontre as melhores taxas de juros do mercado!

Como posso investir no Tesouro Direto?

Assim que o investidor escolher qual o título do Tesouro Direto que quer investir, chega o momento de realizar a aplicação. É possível fazer todo o procedimento online por meio da corretora ou o banco de confiança do investidor.

O primeiro passo é pesquisar as melhores corretoras, e escolher a que oferece maiores vantagens para o investidor. Feito isso, é preciso criar uma conta no aplicativo da corretora e fazer uma transferência através de TED de mesma titularidade.

Depois, basta entrar na plataforma de investimentos, para encontrar as aplicações disponíveis, inclusive os títulos do Tesouro Direto. Ao escolher o seu investimento a corretora irá direcionar o usuário para um teste que define o perfil de investidor do mesmo.

Essa etapa é importante para que o próprio investidor se conheça e saiba quais as melhores aplicações para o próprio dinheiro. De tempos em tempos esse perfil será atualizado e otimizado de acordo com a carteira do investidor.

Passando por todas essas etapas, o usuário poderá investir com segurança no título de sua preferência.

Ficou com mais alguma dúvida sobre o tesouro direto? Deixe nos comentários, e não se esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.