Inflação sobe atingindo mais as famílias com renda muito baixa do que as com renda alta

De acordo com IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), a inflação para as famílias com renda baixa, até R$ 1.650, foi de 0,98% em setembro.

Por outro lado, a inflação para as famílias mais ricas, com renda acima de R$ 16.509,66, foi de apenas 0,29% no mesmo período.

Simule empréstimo pessoal e receba ofertas pré-aprovadas em até 5 minutos!

O que é inflação?

É usado um índice do aumento de preços de produtos e serviços para medir a inflação. Logo, se os produtos aumentam muito de preço, a inflação também sobe.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) acompanha esses aumentos e divulga dois dos mais importantes índices de preços: o IPCA (Índice de Preços para o Consumidor Amplo) e o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).

Enquanto o IPCA avalia a variação do custo de vida da população de 1 a 40 salários mínimos, o INPC avalia de famílias de 1 a 5 salários, sendo assim dos grupos mais sensíveis a variação de preço.

Leia mais: Por que o IPCA é tão importante quando o assunto é inflação?

Inflação aumenta preço de alimentos

Em setembro, o aumento da inflação se deu principalmente nos alimentos e bebidas (75%), mas com alta em gás de botijão e materiais de limpeza também.

  • Arroz, com 18%;
  • Óleo, com 28%;
  • Leite, com 6%.

No entanto, o aumento dos preços para famílias mais ricas foi impactado por alimentos e gasolina, sendo menos impactante no índice de inflação devido à queda do preço de planos de saúde e cursos, como de idiomas e informática.

Veja também: Inflação acelera para 0,64% em setembro

Inflação acumulada do ano sobe

Ao analisar a inflação acumulada do ano de 2020. Até setembro, é possível ver uma desigualdade ainda maior, com crescimento principalmente para classes menos favorecidas.

O aumento da inflação nos últimos 12 meses foi 4,3% maior para classes mais pobres, mas de 1,8% para os mais ricos.

Confira: Inflação tem desaceleração em agosto ante julho, de acordo com IBGE

Como contornar a inflação?

  • Procure consumir alimentos de marcas mais baratas, quando possível;
  • Substituir alimentos mais caros, como o arroz, por outros que sejam fonte dos mesmos nutrientes, no caso o carboidrato;
  • Se possível, compre em mercados de atacado. Pois, esses estabelecimentos oferecem descontos sob o produto.

Veja também- 5 dicas de como organizar sua vida financeira

Tem alguma pergunta sobre como sobreviver a inflação? Deixa aqui nos comentários!

E não esquece de conferir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.