Ao investir em ações os conceitos de valor nominal e real aparecem e são indicadores importantes

Valor nominal e valor real são dois conceitos distintos, mas ambos são indicadores econômicos. São muito usados quando o assunto é economia e investimento.

Esses são conceitos importantes para o brasileiro, considerando que, desde o final de 2019 até novembro de 2020, o número de pessoas físicas investindo na bolsa de valores subiu 87,2%. O número CPFs cadastrados na bolsa de valores passou de 3.1 milhões em outubro. Além disso o percentual de mulheres investindo também subiu de 23,11% no final de 2019, para 25,42% em setembro de 2020.

O que é valor nominal e valor real?

Valor nominal é o preço vigente no momento do cálculo, ele é o valor emitido e escrito em um título ou aplicação, por exemplo. Os valores nominais são os que não são ajustados pela inflação, quando falamos de economia de um país.

Enquanto o valor real é o valor aplicado com as mudanças da inflação sobre uma ação, título ou outros investimentos. Ele é um valor ajustado que mostra o poder aquisitivo de uma quantia com o passar do tempo.

Como comprar ações na Bolsa de Valores?

Diferenças valor nominal e valor real

Para ficar mais simples, imagine um produto que você comprou, o valor da nota fiscal seria o valor nominal e o valor real contaria com a desvalorização que acontece com o tempo e começa ao sair de uma loja. Ou também uma nota de real por exemplo, por mais que o valor nominal, escrito na nota, seja de dois reais, com a desvalorização da moeda o valor real é bem inferior.

Se você investe em ações, o relação ideal entre valor nominal e real para você, é quando o valor real é maior, nesse momento você tem lucros.

O que é limite de crédito pessoal?

O que são indicadores financeiros?

Indicadores financeiros, como o valor real e o valor nominal por exemplo, são os números que fornecem boas informações sobre a situação de uma empresa. Eles ajudam os investidores a avaliar uma empresa antes e entender se ela é uma boa opção.

Além disso esses números ajudam a comparar resultados entre duas empresas de um mesmo segmento. Eles mostram a rentabilidade sobre ativos tangíveis, a produtividade, além de alguns indicadores de endividamento.

IOF volta a ser cobrado. O que isso significa?

Tipos de indicadores

Além do valor nominal e valor real, em primeiro lugar temos o indicador de rentabilidade, o Retorno sobre o Patrimônio Líquido (ROE). Para calculá-lo basta dividir o lucro líquido dos últimos 12 meses pelo patrimônio líquido da empresa. No geral, quanto maior a porcentagem do ROE, melhor a performance da empresa.

Em seguida os de lucratividade, uma empresa deve ter lucros após o desconto dos custos de operação. Esses lucros podem ser divididos em margens, elas são a porcentagem de lucros que uma empresa conseguiu a partir de sua receita líquida. Existem os seguintes tipos de margem:

  • Antes de tudo temos a margem bruta, ela ajuda a lucratividade em relação aos custos variáveis. calcula-se a partir do lucro bruto dividido pela receita líquida;
  • Em segundo lugar temos a margem EBITDA, que foca no operacional, excluindo juros, impostos, depreciação e amortização. Ela reflete a geração de lucro com base apenas nas atividades operacionais;
  • Por fim a margem líquida, ela mede a fração de cada real que resultou em lucros líquidos. Ou seja, são descontados os custos das vendas

O último indicador é o de endividamento, que demonstram a capacidade da empresa de gerar lucros para quitar as dívidas. O mais usado é o quociente entre endividamento e patrimônio líquido. Se acaso esse índice for alto indica que a empresa pode ter dificuldades em quitar suas dívidas. Além desses temos o valor real e o valor nominal.

O que são os números do cartão de crédito?

Por que o número de investidores subiu?

Esse ano a taxa Selic atingiu uma baixa histórica, 2%, e isso diminui o lucro de investimentos mais seguros, os de renda fixa. Com os investimentos mais seguros trazendo pouco, ou quase nenhum lucro, outras opções ficaram mais atrativas.

Investimentos que não são afetados pela Selic, como ações na bolsa de valores e fundos imobiliários saíram na frente e ganharam mais investidores.

Os fundos imobiliários ganham com a Selic em baixa, pois com a taxa a 2% o mercado imobiliário cresce e os financiamentos para quem quer comprar um imóvel ficam mais baratos, aquecendo os negócios.

Enquanto a bolsa de valores não é influenciada pela Selic, já que a valorização das empresas que ofertam ações não depende dela. Daí a importância em saber termos como valor nominal e real, com o número de CPFs na B3 em crescimento esses termos são essenciais para novos investidores.

Vale a pena ter um seguro de vida?

Então, ficou com alguma dúvida? Pergunte nos comentários.

E, por fim, não esqueça de seguir a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram; FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.