Brasileiros que não se sentem representados pelos candidatos podem votar branco, nulo ou justificar.

No Brasil, é obrigatório votar e, muitas vezes quem não quer votar, ou escolher um candidato, anula seu voto.

Afinal, qual a melhor opção e qual o impacto?

Peça uma cotação grátis e receba ofertas de empréstimo pessoal de até 10 parceiros FinanZero!

Sistemas de eleição

Primeiramente, devemos entender que existem dois tipos de sistemas: o majoritário e o proporcional.

Majoritário:

  • Usamos para eleições de presidente da República, governador, prefeito e senadores, com seus respectivos vices ou suplentes.
  • Eleitores escolhem candidatos nominalmente
  • Candidato com maioria de votos ganha
  • Em municípios com mais de 200 mil de eleitores pode ter segundo turno
    • caso nenhum candidato tenha maioria absoluta de votos (superior a 50%)

Confira: Qual é o calendário das Eleições 2020?

Proporcional:

O sistema proporcional, no entanto, é mais complexo. Aqui o eleitor pode votar tanto no candidato quanto no partido, apenas digitando os dois primeiros números

O voto em um partido pode, em síntese, valer para toda a coligação da qual ele faz parte. Isso porque, quando uma coligação surge, ela é, legalmente, um partido só.

Veja também: O que faz um prefeito?

Em primeiro lugar, calcula-se o quociente eleitoral:

  • o total de votos válidos é dividido pelo número de vagas.

Dessa forma, somente os partidos e coligações com número de votos superior a esse número têm direito a preencher essas vagas.

Em seguida, o quociente partidário é calculado:

  • o número de votos válidos sendo dividido pelo quociente eleitoral.

Assim, chegamos ao número de cadeiras que cada partido irá ocupar.

Leia: TSE testará sistema de votação pela internet

Diferença entre voto branco e voto nulo

Voto Branco

No caso do voto em branco, o eleitor simplesmente declara não ter preferência por nenhum candidato.

Voto nulo

Enquanto o voto nulo é apenas anulado, basta votar um número de candidato inexistente.

Antigamente, os votos válidos incluíam os brancos, que eram contabilizados para o candidato vencedor, enquanto o nulo era um voto de protesto. No entanto, essa fórmula não tem mais validade.

Nãi deixe de conferir: Cresce número de mulheres nas eleições, mas como vice

Votos válidos

Votos válidos são os de fato contabilizados para as eleições. Sendo assim, são somente os votos nominais, em candidatos, ou partidos.

Atualmente, os votos brancos e nulos têm a mesma função: anular seu voto. Eles não são contabilizados. Logo, você não exerce seu direito de escolha.

Por exemplo, no Brasil, em 2018, existiam 147.306.275 eleitores aptos. Se 73 milhões de eleitores votassem branco ou nulo, nós teríamos pouco mais de 50% de votos válidos.

Metade da população escolhendo um representante para 208 milhões de brasileiros, na época.

Leia mais: Partidos criticam brechas em sistema de representação para negros

Ficou alguma dúvida? Me conta nos comentários que eu te respondo.

Para mais informações e novidades, acompanhe a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.