Empréstimo no carnê pode ser prático; no entanto, tende a ter juros mais altos e ser trabalhoso em caso de perda

Você está buscando por empréstimo pessoal no carnê?

Mas sabe realmente como ele funciona? E, além disso, como ele pode ser bom (ou ruim) para você?

Bem, aqui na FinanZero temos vários parceiros têm esse tipo de pagamento disponível.

No entanto, vamos explicar por que um empréstimo no carnê pode não ser a melhor alternativa para você.

Antes disso, vamos por partes.

Empréstimo pessoal para negativado confiável: onde pedir?

Como funciona empréstimo pessoal no carnê

O funcionamento do carnê você já sabe como é, né? Basicamente, você faz uma compra parcelada e, em vez de usar um cartão para isso, recebe um carnê com os pagamentos de todos os meses de uma única vez.

Então, vai pagando mensalmente a sua dívida.

Essa opção é boa para quem não tem cartão de crédito, por exemplo, ou tem limite baixo para compras.

O empréstimo pessoal no carnê funciona da mesma forma: você contrata um valor de crédito. E, em seguida, recebe um carnê com as parcelas de todos os meses até a quitação desse contrato.

Como fazer portabilidade de empréstimo consignado?

Bom pela praticidade, ruim pela clareza

Ter todas as parcelas em mãos no momento da contratação pode ser muito prático. Afinal, fica mais fácil controlar o que pagar.

Além disso, as taxas de juros deste empréstimo são menores que o rotativo do cartão ou o cheque especial. Logo, pontos positivos!

Porém, embora possa soar prático poder pegar um empréstimo pessoal com carnê, há também algumas desvantagens:

  1. As taxas de juros nem sempre são claras nesse tipo de contratação;
  2. Em geral, os juros são mais altos, porque a inadimplência é maior;
  3. Se você perder o carnê, fica sujeito à multa;
  4. Além disso, em caso de perda, terá que pedir outro à financeira ou ao banco;
  5. Por fim, se quiser renegociar as parcelas ou quitar o contrato, terá que fazer o mesmo caminho de contato.

Últimas notícias de empréstimo consignado

Qual é uma boa opção ao empréstimo no carnê?

Bem, se você chegou até aqui e achou que o empréstimo pessoal no carnê pode te dar trabalho, vamos falar de algumas opções.

A primeira delas é o empréstimo pessoal no boleto.

De forma semelhante ao empréstimo pessoal no carnê, você pode ter todas as parcelas impressas de uma única vez. O diferencial, neste caso, é a praticidade da segunda via e a possibilidade de pedir um boleto final de quitação – muitas vezes, com desconto.

Quando esse tipo de empréstimo é feito, há também a opção do débito em conta. No entanto, nesse caso, há a possibilidade de ficar no cheque especial se não houver fundos na sua conta!

A segunda é o crédito pessoal consignado.

Se você é funcionário de uma empresa que tem esse tipo de parceria, é aposentado pelo INSS, essa pode ser uma boa opção. Afinal, com empréstimo consignado, as parcelas são descontadas diretamente da sua folha de pagamento.

E, por fim, pode ser interessante pesquisar mais sobre refinanciamento.

Seja de imóvel ou de veículo, essa modalidade tem juros mais baixos e pode lhe render um valor maior de empréstimo.

Quer saber qual dessas opções é o melhor custo benefício para você? Então simule seu empréstimo de qualquer modalidade aqui na FinanZero.

Por fim, ficou com alguma dúvida sobre o empréstimo pessoal no carnê? Então comente!

Além disso, siga a FinanZero nas redes sociais: @finanzero no Instagram, /FinanZero no Facebook e @finanzero no Twitter.